Apoio a Braide é ‘sinal de que o governador começa a perder importância’, diz jornalista

Por Roberto Kenard

Ao declarar apoio à candidatura de Duarte Júnior, o candidato pífio do governador, Rubens Júnior, ameaçou: quem for apoiar Eduardo Braide passará a ser adversário do governador Flávio Dino.

Esses garotos inexperientes e candidatos a coronéis do mato precisam levar umas palmadas e dormir debaixo da rede de quem entende de política. Então, vamos lá, dar uma aulinha de política para eles.

Flávio Dino tem só mais ano e meio de governo. Como não terá a reeleição pela frente, irá se desincompatibilizar para concorrer ao Senado ou para se aventurar na disputa de vice-presidente.

Ou seja, a disputa pelo governo do Maranhão em 2022 não passa por suas mãos.

A partir de 2022 ele dependerá do vice tornado governador, Carlos Brandão. Fazer chantagem ou perseguir aliados será, assim, mais um tiro no próprio pé.

Por que aliados decidiram apoiar Eduardo Braide sem medo?

É o primeiro sinal de que o governador começa a perder importância.

Por não poder mais se reeleger, quem ganha musculatura e importância são os aliados. Tratá-los mal é burrice.

Quem acha que se rebaixando irá ser escolhido como candidato a governador não sabe absolutamente nada de política.

Flávio Dino mostra-se, mais uma vez, pequeno demais para o papel de líder.

Logo, logo a realidade baterá à sua porta com a notícia indigesta: – Você não é líder, é só um governador.

E vai passar ao fim do mandato como todos os que foram insignificantes.


4 pensou em “Apoio a Braide é ‘sinal de que o governador começa a perder importância’, diz jornalista

  1. A nau comunista ruiu no dia 15/11/22, isso é inegável. Flávio Dino deve estar vivendo o pior inferno astral que um homem público pode passar. Há quem diga que o projeto nacional de presidente da República em 2022 era uma maluquice jamais alcançada; o de vice: muito difícil; de senador em 2022 não se elege mais diante da quadra política atual com vários postulantes de peso, só se conseguir reverter a situação política atual o que se pressupõe como pouco provável, e de deputado federal seria para ele hoje possível, mas imprevisível.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *