Edilázio sobre fim da ‘farra de capelães’: ‘Dinheiro poderia ter bancado auxílio emergencial’

O deputado federal Edilázio Júnior (PSD) destacou na tribuna da Câmara Federal, a decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Nunes Marques, que determinou a suspensão do cargo comissionado de capelão no Maranhão, no bojo de uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) ingressada contra o governo Flávio Dino (PCdoB).

Com o dinheiro gasto por Dino no caso que ficou conhecido nacionalmente como “Farra de Capelães”, 30 mil famílias poderiam ter sido beneficiadas com uma espécie de auxílio emergencial estadual, segundo Edilázio.

“De 2018 a 2021 o estado do Maranhão perdeu com essa lei inconstitucional, cerca de R$ 15 milhões. Imaginem só vocês esse recurso em caixa nesse momento de pandemia. O governador Flávio Dino que em momento em algum se sensibilizou em criar um auxílio emergencial, daria tranquilamente para atender cerca de 30 mil famílias com auxílio emergencial de R$ 500”, disse.

Edilázio lembrou que somente no ano eleitoral de 2018, quando Dino foi reeleito para o cargo, 36 cargos comissionados de capelães foram criados e distribuídos por lideranças de dezenas de igrejas no estado.

“ O segundo estado do país que tem o maior número de capelães é Alagoas, com 5. No Maranhão Flávio Dino elevou esse número para 50 e no período da campanha eleitoral o governador prometeu criar mais 10”, destacou.

Edilázio lembrou que tramita na Justiça Eleitoral uma Ação de Investigação Judicial Eleitoral por abuso de poder em desfavor de Dino e que pode resultar na perda de mandato do comunista. A ação é assinada pela advogada Anna Graziella, também destacada na tribuna pelo parlamentar.


8 pensou em “Edilázio sobre fim da ‘farra de capelães’: ‘Dinheiro poderia ter bancado auxílio emergencial’

  1. Esse comunista maluco só ainda não perdeu o mandato porque a justiça caminha a paços de tartaruga. Os absurdos cometidos na seu desgoverno são suficientes para perda do cargo. O Maranhão deveria dar um exemplo para o resto do país não votando em Flávio Dino nem para síndico de prédio popular.

    • Capelães já deram muitos votos para os comunistas, a verdade e a prioridade é essa.

      Caindo essa gastança já alcunhada pelo povo de “Farra dos Capelães”, vão cair, por conseguinte, as votações inexplicáveis da irmã EG, de FD e os tão propalados 2 milhões de votos do Maragato e de muitos deputados federais e estaduais. Pois, para quem não sabe, no MA temos 30% da população se congregando nas seitas evangélicas e lá eles gostam muito de política, se reúnem quase todo santo dia principalmente próximo das eleições. Diferentemente das igrejas católicas e de outros credos religiosos do Maranhão.

  2. Todas as vezes que vejo esse cidadão de BENS, me vem à memória um projeto de Lei ( ignorado é claro) onde se tornaria OBRIGATÓRIO os parlamentares se submeterem a exames toxicológicos periódicos.
    Quantos pulariam fora das Assembleias Legislativas, principalmente a do Maranhão.

  3. O Caixa do Governo Dino deve estar alquebrado? Dificilmente cederão aos apelos dos deputados Edilázio Jr, César Pires e Wellington do Curso pagando um auxílio emergencial estadual mínimo ao contingente expressivo de pobres do Maranhão, nem em míseros R$ 100,00 mensais por 4 ou 5 meses?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *