Consórcio recua da tentativa de importação da Sputnik V para teste

O Consórcio Brasil Central – que reúne os governos do Maranhão, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Tocantins e Rondônia, além do Distrito Federal -, decidiu, após reunião na manhã desta quinta-feira, 10, aguardar uma decisão final da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) sobre a compra de doses da vacina Sputnik V.

O colegiado pretendia obter da agência autorização parecida com a concedida ao Consórcio Nordeste, mas considerou “estritas e complexas” as condições impostas naquele caso (saiba mais).

Conforme revelou o Blog do Gilberto Léda na manhã de quarta-feira, 9, a Anvisa não deu à Sputnik V o mesmo aval de segurança e eficácia que o concedido aos imunizantes da AstraZeneca, Pfizer e Sinovac, por exemplo.

“Na prática, uma parte do quantitativo de doses da vacina poderá ser importada no primeiro momento para ser utilizada dentro de um estudo de efetividade a ser seguido pelos estados requerentes”, diz um comunicado da agência (reveja).

Diante disso, o Consórcio Brasil Central optou por aguardar que a Anvisa conceda autorização para uso emergencial antes de efetivar a compra do imunizante.


6 pensou em “Consórcio recua da tentativa de importação da Sputnik V para teste

  1. Quanto esta o placar entre o consórcio e bolsonaro? Até agora só tomaram na tarraqueta. Fazer politicagem com saúde é caso de polícia, de serem julgados.
    A sputinik já ficou sem sentido depois que a oferta de vacina esta além da capacidade de distribuição dos incompetentes dos governadores e ainda mais sendo usada para teste.
    Ficou mais feio para eles e é bom que coloquem suas violas no saco, acabem com esse consórcio que é uma organização criminosa e respondam pelas suas irresponsabilidades.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *