ICMS dos combustíveis: Yglésio pede manutenção do congelamento no MA

Por meio de indicação enviada ao Governo do Estado, nesta quarta-feira (19), o deputado estadual Yglésio (PROS) solicitou que fosse prorrogada a medida que culminou no congelamento da base de cálculo do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) dos combustíveis.

A solicitação do parlamentar vem após a recente decisão dos Estados de encerrar esse período de congelamento já no fim de janeiro. Nas redes sociais, Yglésio destacou as dificuldades enfrentadas pela população em relação ao aumento nos preços dos combustíveis e o papel dos estados nesse assunto.

__________________Leia mais
Governo Dino estima arrecadar R$ 9,6 bilhões com ICMS e IPVA em 2022
IPVA e ICMS devem ajudar a engordar caixa dos estados em 2022
ICMS dos combustíveis: Bolsonaro parte pra cima de governadores
Lira critica governadores por resistência a redução do ICMS
Governadores encerrarão congelamento de ICMS, e combustíveis vão subir

“Ninguém aguenta mais tanto aumento de combustível. A política de preços da Petrobras é apenas uma das vertentes do problema. Os estados brasileiros podem e devem colaborar com o controle dos preços e isso vinha sendo feito por 90 dias, com o congelamento dos preços de referência para a cobrança do ICMS. (…) Os estados brasileiros TÊM A OBRIGAÇÃO de não destruir mais o bolso de quem quer ir pro trabalho, de quem quer vender seu produto. Essa conta nefasta dos preços finas da gasolina e diesel chegou pra todos! Basta de aumento de carga tributária em 2022, ninguém aguenta mais”, enfatizou o deputado.

O ICMS é um dos impostos que compõem o preço final do litro de combustível a ser pago pelo consumidor nas bombas. Congelar a base de cálculo, como pontuou o deputado, ajuda a controlar a variação dos preços, os quais têm influência em outros produtos e serviços utilizados pelos consumidores.


2 pensou em “ICMS dos combustíveis: Yglésio pede manutenção do congelamento no MA

  1. EXCELENTE INICIATIVA PARLAMENTAR DO DEPUTADO IGLÉSIO.
    DE OUTRO LADO, CASO O DESGOVERNADOR DINO FOSSE REALMENTE COMPROMISSADO COM A CAUSA DO POVO DO MARANHÃO, JÁ TERIA BAIXADO A ALÍQUOTA DO ICMS. CONTUDO, HOJE, DEPOIS DE ENGANADO DUAS VEZES COM “DIÁLOGOS” E PROMESSAS, O POVO SABE QUE AS PRIORIDADS DE DINO SÃO AUMENTAR SEMPRE A ARRECADAÇÃO E GASTAR COM MÍDIA, CARGOS COMISSIONADOS AO COMPANHEIROS ESQUERDISTAS DE OUTROS ESDTADOS, ALUGÉIS CAMARADAS, ABASTECER AS DESPENSAS DO PALÁCIO DOS LEÕES COM FINAS IGUARIAS (GOSTA DE UMA CARNE DE SOL DE PICANHA, É SO VER OS ITENS DAS COMPRAS), AFINAL, NINGÉM E DE FERRO.
    O SOFRIDO POVO DO MARANHÃO DARÁ A MERECIDA RESPOSTA NAS URNAS.
    AFINAL, 2022 É ANO ELEITORAL. DINO E OS CANDIDATOS POR ELE APOIADOS FICARÃO OU PERMANECERÃO SEM MANDATO ELETIVO, À DISPOSIÇÃO DO MINISTÉRIO PÚBLICO E DO JUDICIÁRIO, PARA RESPONDEREM POR SEUS ATOS E OMISSÕES.

  2. Porque esse ai preocupado com a pandemia não solicitou uma redução no salário dos deputados em 50%, é hora de sacrifícios e políticos tem que participar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.