Renegados

A decisão do governador Flávio Dino (PCdoB), de apoio à candidatura do deputado federal Weverton Rocha (PDT) ao Senado – e o iminente apoio também ao deputado José Reinaldo Tavares (PSB) – jogou para escanteio não apenas o deputado federal Waldir Maranhão como também sua colega Eliziane Gama (PPS).

Tanto Eliziane quanto Waldir assediavam Flávio Dino pelo apoio às suas candidaturas. Maranhão dizia ter o compromisso de Lula e do PT para viabilizá-lo. Eliziane conseguiu até o apoio oficial de sua igreja, a Assembleia de Deus.

Dino, no entanto, sucumbiu à pressão nacional do DEM e do PDT e acabou por usar o pragmatismo, escolhendo Weverton e Tavares, garantindo, assim, tempo suficiente na propaganda eleitoral.

Para Eliziane Gama e Waldir Maranhão resta agora apenas um caminho: mostrar que estão mesmo dispostos a concorrer ao Senado e buscar aliança com outros candidatos a senador. E há muitas chapas fortes, como a do senador Roberto Rocha (PSDB), a da ex-prefeita Maura Jorge (PODE) e a do deputado estadual Eduardo Braide (PMN).

Mas é pouco provável que tanto Eliziane Gama quanto Waldir Maranhão estejam mesmo falando sério quando dizem querer disputar o Senado. Para ambos, a pressão tem o objetivo – dizem analistas – apenas de receber de Dino garantias para suas reeleições à Câmara Federal.

Caso contrário, teriam eles se manifestado desde sexta-feira, quando saiu o primeiro anúncio.

Mas preferiram o silêncio até agora…

Da coluna Estado Maior, de O EstadoMaranhão


4 ideias sobre “Renegados

  1. Essas duas criaturas assim como os demais candidatos que se apresentaram como postulantes ao cargo de senador deveriam se ausentar da vida pública já que não fariam nenhuma falta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *