Com virose, Rubens Jr. está fora da reta final da campanha de Duarte Jr.

O deputado federal Rubens Júnior (PCdoB) deu hoje (23) uma explicação para o fato de estar afastada da campanha do seu novo aliado, Duarte Júnior (Republicanos), a prefeito de São Luís.

O comunista contraiu uma virose.

Nas redes sociais, ele comunicou o problema e disse que passará os próximos dias afastado das atividades. “Logo logo tô de volta”, disse.

O 2º turno da eleição na capital ocorre no domingo (29). São apenas seis dias até lá. Tempo o suficiente para a recuperação do parlamentar.

Braide não acredita em retaliação de Dino caso seja eleito prefeito

O candidato do Podemos à Prefeitura de São Luís, Eduardo Braide, declarou hoje (23), durante participação na Sabatina O Estado/Imirante, que não acredita em rompimento da parceria Governo/Prefeitura caso ele seja eleito.

No 2º turno da eleição da capital o governador Flávio Dino (PCdoB) declarou apoio a Duarte Júnior (Republicanos), e tem engrossado o tom contra Braide nas redes sociais.

Apesar disso, o candidato do Podemos acredita numa relação institucional.

“Se tem alguém que está ajudando o Governo do Estado, sou eu, como deputado federal. Não acredito que o governador, após a nossa eleição para prefeito, vá fazer com que essa parceria acabe”, destacou.

Braide também reforçou que já mantém boa relação de parceria com a administração comunistas como deputado federal.

“Minha parceria com o Governo do estado já existe antes de eu ser candidato a prefeito”, disse, citando emendas destinadas à gestão Dino.

CHECAMOS! É fake que Edivaldo tenha declarado apoio a Duarte

Aliados do candidato do Republicanos à Prefeitura de São Luís, Duarte Júnior, tem compartilhado fake news envolvendo o prefeito Edivaldo Holanda Jr. (PDT).

Desde ontem (22) há registros de envio de mensagens com uma foto dos dois sugerindo apoio do pedetista ao republicano.

A foto, contudo, é de 2018, quando Duarte, recém-eleito deputado estadual, foi ao gabinete de Edivaldo colocar-se à disposição do prefeito para ajudar a capital (reveja).

Dino vê aliados se sobressaindo, e pode se isolar se rejeitar PDT e DEM

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), está numa encruzilhada em que ele mesmo se meteu.

Derrotado no 1º turno da eleição para prefeito de São Luís – quando apoiou o também comunista Rubens Júnior -, ele escolheu Duarte Júnior (Republicanos) como tábua de salvação. Mas sabe que é praticamente impossível a missão de eleger um membro do partido dos filhos de Bolsonaro como se fosse seu tutelado.

Pra piorar, Dino ainda viu PDT e DEM ignorarem seu comando e aderirem a Eduardo Braide (Podemos) na capital, num movimento que repercutiu muito mal para sua imagem de bom articulador político (saiba mais).

Enquanto o comunista se enrola todo na capital do estado que governa, lideranças de esquerda do calibre de Guilherme Boulos (PSOL), bem posicionado em São Paulo, e Manuela d’Ávila, disputando o 2º turno em Porto Alegre, estão se destacando no debate nacional, empurrando o governador maranhense para trás na “fila” progressista para 2022.

Se cumprir o que anda prometendo aos mais próximos no Palácio dos Leões – de expulsar da base os partidos que não seguiram sua ordem de apoio a Duarte -, a situação fica ainda mais delicada.

Isolado na capital, Flávio Dino ficará ainda mais vulnerável sem o apoio do PDT e do DEM em Brasília, por exemplo.

E isso é péssimo para.seus planos nacionais.

Braide: ‘Meu adversário é do partido dos filhos do Bolsonaro’

Jornal Pequeno

1 – Que avaliação global o senhor faz do primeiro turno, com 10 candidatos a prefeito de São Luís?

R: Nossas propostas seguramente são as melhores, porque são reais, de quem conhece a cidade e sabe o que pode fazer. Vencemos em todas as regiões de São Luís. Com serenidade, respeito e equilíbrio, apresentamos boas propostas, sem ofender, tanto é que agregamos os melhores apoios para este segundo turno.

2 – Os ataques dos adversários tiveram influência no resultado do primeiro turno?

R: As pessoas repudiam as ofensas, ainda mais gratuitas e oportunistas. Ninguém vai se qualificar perante a visão do povo atacando com essas fake news requentadas. Quem gasta o tempo do eleitor com grosserias não tem propostas e nem história de vida convincente.

3 – Para este segundo turno, houve alguma adaptação ou mudanças nas propostas de sua plataforma de campanha?

R: As ruas, as pessoas e os contatos vão ampliando o conhecimento do candidato sobre a cidade.  Tenho a felicidade de poder agregar ao meu programa de governo boas propostas das campanhas que se uniram à nossa, como a do Morar Melhor, do Neto Evangelista.

4 – O que dizer da pecha de ‘candidato de Bolsonaro’ que adversários lhe tentam colocar?

R: A eleição é para a escolha do prefeito de São Luís e não do presidente da República. Meu adversário neste segundo turno, que se ocupou muito disso, é por exemplo, do partido dos filhos do Bolsonaro e dos candidatos deles em capitais importantes, como São Paulo e Rio de Janeiro. Considero que a discussão mais importante não seja essa, mas sim sobre os problemas da cidade.

5 – Como se deu agora, no segundo turno, a articulação política para os apoios e adesões à sua campanha?

R: Naturalmente, como resultado da comparação entre os dois candidatos que continuaram na disputa. Quem quer o melhor para São Luís optou por nos apoiar e fico muito feliz com a confiança de todos.

6 – Dos apoios recebidos, quais considera mais importantes, decisivos e que vale destacar?

R: Todos, absolutamente todos, são importantes. Cada manifestação de confiança nos entusiasma, aumenta a nossa responsabilidade e a vontade de trabalhar mais por nossa cidade.

7 – Que influência podem ter nesta eleição figuras como Bolsonaro, Flávio Dino e o prefeito Edivaldo?

R: O eleitor está interessado é na proposta e na capacidade que tem o candidato para cumpri-la. Cada um é dono da sua vontade e tem suas próprias convicções. O eleitor é o verdadeiro protagonista dessa eleição.

8 – Eleito prefeito, como será o relacionamento com o governador do Estado?

R: Passada a eleição, de minha parte, prevalecerá a maturidade e o interesse comum em atender as necessidades dos cidadãos de São Luís.

9 – Comparada com a campanha de 2016, qual a lição ou lições importantes obtidas nesta campanha de 2020?

R: Experiência agrega conhecimento. Hoje sei ainda mais da cidade, das pessoas e das suas necessidades.

10 – Qual a prioridade absoluta nesta última semana da campanha?

R: Ver e ouvir as pessoas, ampliar os apoios e reforçar minhas propostas.

11 – Qual a mensagem mais importante de Eduardo Braide para o eleitor neste segundo turno?

R: Comparem e defendam a sua liberdade de escolha. Nenhuma força irá confrontar sua consciência. Eu não faço propostas mirabolantes e nem sou um vendedor de ilusões. Sou real, quero merecer sempre sua confiança. Estou pronto para transformar São Luís em uma cidade de oportunidades.

DataM: Braide 51,28% x Duarte 33,58%

Pesquisa do Instituto DataM divulgada neste domingo (22) confirma vitória de Eduardo Braide (Podemos), com 51,28% das intenções de votos, no 2° turno da eleição em São Luis. Duarte Júnior (Republicanos) tem 33,58%; Não sabem ou não quiseram responder 8,18% e Nenhum ou nulo 6,96%.

O levantamento foi feito entre os dias 16 e 19 de novembro.

Se considerados apenas os votos válidos, Braide chega a 60,4% das intenções de votos.

O levantamento feito pelo Instituto DataM ouviu 800 pessoas, está registrado sob o número MA-1140/2020, tem margem de erro de 4 pontos para mais ou para menos e intervalo de confiança de 95%.

Após desistir de ato, Dino faz caminhada com Duarte na Pedro II

O governador Flávio Dino (PCdoB) realizou na manhã de hoje (22) uma caminhada com o candidato do Republicanos à Prefeitura de São Luís, Duarte Júnior, na praça Pedro II, em frente aos Palácios dos Leões e de La Ravardière.

A agenda foi cumprida depois de o comunista haver desistido de participar – como havia sido anunciado – de uma caminhada dos correligionários do candidato republicano na Rua Grande, na manhã de ontem (21).

Pertencente ao grupo de risco da Covid-19 e, ainda, temendo críticas por conta da aglomeração, Dino acabou optando por não participar do movimento (reveja).

Neste domingo, Dino e Duarte trataram de parcerias entre governo e prefeitura, como se o segundo já estivesse eleito.

Neto Evangelista mostra força na campanha de Eduardo Braide

Iniciada a corrida para o segundo turno das eleições municipais de São Luís, Neto Evangelista entrou com força total na campanha do candidato a prefeito Eduardo Braide. Caminhadas, reuniões e adesivaço e panfletagens acompanhados do seu grupo político e da sua militância, mostraram que o apoio de Neto a Braide fará a diferença na disputa para a Prefeitura de São Luís.

“Desde quando comecei minha vida pública eu sempre tive posições muito claras. Nós entendemos que diante do quadro que se apresenta, o Eduardo Braide é o melhor caminho para a nossa cidade”, disse Neto, convidando a comunidade a dar o mesmo apoio e energia que recebeu no primeiro turno, a Braide.

Neto Evangelista obteve mais de 83 mil votos no primeiro turno das eleições. Vários representantes do seu grupo político estão com ele nessa nova etapa de campanha, incluindo os vereadores eleitos Osmar Filho, Nato Júnior, Gaguinho, Marquinhos, Raimundo Penha e Silvana Noely, os deputados estaduais Wellington do Curso, Glaubert Cutrim e  Roberto Costa, além de vários representantes dos partidos PDT, DEM e MDB.

O candidato Eduardo Braide, disse que a experiência, a maturidade, o equilíbrio uniram ele a Neto Evangelista. “Estamos juntos porque pensamos no bem de São Luís. Conversei com Neto e algumas de suas propostas já foram incluídas no meu Plano de Governo. Estou muito feliz e honrado pela escolha dele e vamos juntos a vitória”, afirmou Braide.

A causa negra também é minha

Da Coluna do Sarney

As causas da raça negra e da cultura foram as duas maiores preocupações minhas em 12 anos de Câmara dos Deputados e 40 de Senado. Sou o Senador que mais tempo exerceu mandatos naquela Casa. E o político mais longevo da República, com mais de 60 anos de atividade e ainda presente — sem militância partidária, mas Presidente de Honra do MDB, partido a que sou filiado há 36 anos. Exerci por oito anos a Presidência do Senado Federal.

Sempre discordei da maneira como o problema da raça negra era tratado. Só existia o discurso político de retirá-la da situação de miséria e de segregação social. Minha visão, que nunca havia sido colocada na República — mas tinha origem em José Bonifácio e Joaquim Nabuco —, era de que somente com ascensão social, educação, participação em postos de direção ela sairia desse longo caminho de discriminação. Essa foi a solução adotada pelos Estados Unidos, que em parte deu certo, permanecendo, entretanto, o violento racismo.

É que o problema deles era muito mais grave do que o nosso, com as sequelas da guerra de secessão. Mas lá já chegou um negro à Presidência da República e agora uma mulher negra, Kamala Harris, à Vice-Presidência, como muitos chegaram a outros altos cargos da República e do poder econômico.

Quando era Presidente da República ocorreu o Centenário da Abolição. Em vez de comemorações políticas, criei a Fundação Palmares, com a finalidade de promover a ascensão social, a educação e as oportunidades de trabalho para os descendentes dos escravos. No Parlamento, como Senador, apresentei o projeto de lei de cotas raciais, que nunca tinham sido tratadas no Brasil e estabeleci que eram o caminho.

O Senador negro Paulo Paim pediu-me para absorver meu projeto no Estatuto da Igualdade Racial. Concordei, porque meu objetivo não era político, mas o de criar o debate sobre o problema e lançar a política de cotas para ajudar a resolver a questão. Meu projeto, no entanto, era bem mais amplo, incluindo os cursos de graduação, os cargos públicos e o financiamento dos estudos.

Orgulho-me de ter tido uma participação na defesa dessa maioria-minoria que continua a sofrer depois de quase quinhentos anos de presença no Brasil. Nosso débito com a raça negra é a maior dívida que temos em nossa História.

O Dia da Consciência Negra mostra que se mantém o caminho fracassado do passado. Pensa-se como sempre em dividendos políticos e nada de objetivo para fazer com que os negros tenham na sociedade o mesmo lugar dos brancos.

Outro débito que temos — e digo com a autoridade de quem é um lutador desta causa e detentor do Prêmio Zumbi, que me foi entregue pelo grande negro José Vicente, Reitor da Universidade Zumbi dos Palmares — é com o Negro Cosme, da Balaiada, enforcado no Maranhão, que ficou no esquecimento e devia estar sendo reverenciado junto com Zumbi.

Ele deu o maior exemplo do que precisava a raça negra: criou uma escola no quilombo. Ele já sabia que só a educação liberta.

Vereadores Raimundo Penha e Pavão Filho declaram apoio a Braide

O candidato a prefeito de São Luís, Eduardo Braide (Podemos), chegou ao final da primeira semana do segundo turno das eleições com o apoio de importantes líderes políticos do PDT. Agora ele conta também com os vereadores Pavão Filho e Raimundo Penha, e do ex-vereador Fábio Câmara.

Esses apoios foram anunciados em grandes atos políticos, realizados sexta-feira (20). Acompanhado do deputado estadual e ex-candidato a prefeito, Neto Evangelista, e dos deputados Roberto Costa (MDB) e Wellington do Curso (PSDB), Eduardo Braide participou de todos os eventos.

“Conheço a história, o trabalho e a seriedade do deputado Eduardo Braide, logo meu apoio a ele é natural, e tenho certeza do quanto a gestão dele à frente da Prefeitura de São Luís fará bem à nossa cidade”, declarou Pavão Filho diante de uma plateia formada por mais de 300 lideranças comunitárias.

Fábio Câmara (PDT) também declarou apoio à Braide em evento marcado pela presença maciça de eleitores e militantes do partido. “Eu acredito que o momento é de Eduardo Braide e, por conta de sua trajetória e atuação, já provou estar preparado para corresponder às muitas expectativas da população de São Luís”, enfatiza.

No último compromisso da sexta-feira, Eduardo Braide recebeu apoio do vereador reeleito Raimundo Penha. Diagnosticado com Covid-19, Penha não pôde participar presencialmente do evento, mas se manifestou por meio de mensagem eletrônica.

“Apesar de não poder ter comparecido ao evento para dar um abraço no amigo Eduardo Braide, reitero que eu e toda a militância do PDT estamos juntos com ele no segundo turno e vamos sair vitoriosos dessa grande batalha pelo bem do povo de São Luís”, disse Raimundo Penha.

Eduardo Braide disse que recebeu com muita honra e gratidão todas as adesões à sua candidatura. “O que estamos construindo neste segundo turno é uma união de esforços e de propostas para levar São Luís aos melhores caminhos a partir do ano que vem. É assim que formamos o time do 19”, concluiu Braide.