Justiça anula licenças ambientais e paralisa obra da Votorantim em SLZ

A Justiça determinou, por meio da  Vara de Interesses Difusos e Coletivos de São Luís, a anulação das licenças ambientais da fábrica de cimento da Votorantim em um processo que expôs  irregularidades na concessão dessas licenças. A decisão também impede a continuidade das obras e operações da fábrica até que todas as questões legais sejam resolvidas.

A ação civil pública foi movida pelo Ministério Público do Estado do Maranhão contra a Votorantim Cimentos N/NE S/A, o Estado do Maranhão, o Município de São Luís, a Prominer Projetos Ltda., e a TJ Consultoria Ambiental Ltda. A acusação centra-se na emissão de licenças ambientais baseadas em informações incorretas e na falta de conformidade com a legislação de uso do solo de São Luís, Lei de Zoneamento Urbano do município. 

De acordo com o Ministério Público, do Estado do Maranhão havia emitido uma Licença Prévia (LP) 200/2010 em favor da Votorantim Cimentos, aprovando um estudo ambiental elaborado pelas consultoras Prominer e TJ Consultoria. Este estudo visava a implantação de uma estrutura fabril para moagem de clínquer (procedimento no qual  a substância é triturada para que suas partículas diminuam), componente essencial na fabricação de cimento.

A decisão judicial destaca diversas irregularidades no processo de licenciamento. Segundo o Ministério Público, a análise dos processos administrativos da Secretaria de Estado do Maranhão de Meio Ambiente e Recursos Naturais (SEMA) revelou violações significativas da legislação ambiental. Essas violações foram consideradas suficientes para invalidar os processos e as licenças finais emitidas, incluindo a Licença de Instalação (LI) 3255/2010.

As empresas envolvidas, incluindo a Prominer Projetos e a TJ Consultoria Ambiental, argumentaram que a área destinada à moagem de clínquer estava devidamente localizada em uma zona onde a atividade industrial é permitida. Eles sustentaram que a atividade de moagem de clínquer não tem um impacto ambiental significativo e que as matérias-primas usadas já chegavam prontas, necessitando apenas de mistura e moagem na unidade fabrill.

A Votorantim, em sua defesa, alegou que seguiu todos os procedimentos legais para obter as licenças e que a fábrica não causaria impacto ambiental significativo, pois não realizava a produção completa de cimento, mas apenas a fase final de moagem de clínquer.

O juiz Douglas de Melo Martins, responsável pela decisão, declarou nulos os Procedimentos Administrativos nº 4580/2010-SEMA e nº 5829/2010-SEMA, bem como a Licença Prévia nº 200/2010, a Licença de Instalação nº 3.235/2010 e a Certidão de Uso e Ocupação do Solo emitida no Processo nº 220.7149/2010. Estas licenças e procedimentos, que permitiram a construção e operação da unidade da Votorantim Cimentos, foram considerados inválidos.

A decisão também condena o Estado do Maranhão e o Município de São Luís a se absterem de conceder novas licenças ou alvarás relacionados à unidade fabril da Votorantim. Além disso, a empresa foi proibida de continuar as operações de construção, ampliação ou funcionamento da fábrica.

Em uma medida que visa minimizar os impactos socioeconômicos, o juiz concedeu um prazo de três anos para a desativação completa da unidade fabril. A Votorantim poderá, se assim desejar, transferir suas operações para outro município. 

A decisão também impõe uma multa diária de R$1.000,00, que será direcionada ao Fundo Estadual de Direitos Difusos, caso as determinações judiciais sejam descumpridas.

Yglésio propõe criação da Frente do Agro no Maranhão

O deputado estadual Yglésio Moyses protocolou nesta quarta-feira, 12/06, o registro da Frente Parlamentar em Defesa do Agronegócio junto à Mesa Diretora da Assembleia Legislativa do Maranhão. 

O objetivo é promover a discussão dos problemas enfrentados pelo setor e apresentar soluções para salvaguardar os interesses coletivos da atividade.A frente é uma entidade suprapartidária, sem fins lucrativos e será constituída por representantes de todas as correntes de opinião política da Alema.

Entre suas finalidades estão acompanhar a política oficial na área agropecuária, promover debates e eventos, aperfeiçoar a legislação sobre o assunto e promover o intercâmbio com outras instituições e parlamentos.

Um ponto importante a se destacar é o ineditismo da defesa e valorização do agronegócio da pauta do agronegócio em 189 anos de existência da Assembleia Legislativa do Maranhão. 

De acordo com o deputado Yglésio, há a necessidade de dialogar com a iniciativa privada e com as entidades governamentais para buscar soluções conjuntas e fortalecer os produtores e a cadeia de distribuição de alimentos no Maranhão. Ele afirma ainda que é preciso mudar o status de “vilão” do setor.

 “O agronegócio é visto, principalmente aqui no Nordeste, onde há uma forte influência dos partidos de esquerda e movimentos de trabalhadores do campo, como um vilão quando, na verdade, o agro pode ser um grande parceiro dos trabalhadores e acabar ocupando uma posição de destaque na geração de renda fixa e na geração de empregos. É mais do que fundamental fortalecer o setor aqui no Maranhão.O objetivo da nossa frente parlamentar é viabilizar esse diálogo e tornar possível o que considero ser um grande avanço para o nosso estado.”

Zé Inácio diz que Othelino faz “Oposição de WhatsApp”

Na sessão plenária da Assembleia Legislativa do Maranhão, realizada nesta terça-feira (11), o deputado Zé Inácio (PT) fez um pronunciamento contundente contra as acusações do deputado Othelino Neto. O tema central foi a manifestação recente relacionada ao Entreposto Pesqueiro de São Luís e ao Mercado do Peixe, que levou à interdição da Avenida Beira-Mar. Othelino Neto criticou a gestão do governador Carlos Brandão, acusando o governo de atrasar os pagamentos e a conclusão da obra, o que teria motivado a manifestação.

Zé Inácio, vice-líder do governo, não poupou críticas à abordagem de Othelino, rotulando-o como “oposição de WhatsApp” e esclarecendo os fatos por trás da polêmica. O deputado petista acusou Othelino de basear seu discurso em informações imprecisas e não verificadas, que circularam por redes sociais e aplicativos de mensagens, em vez de dados concretos.

Contexto

O incidente começou quando os vendedores do Entreposto Pesqueiro, uma estrutura destinada à venda de peixes e frutos do mar em grande escala, manifestaram-se. A principal reivindicação desses vendedores era a permissão para vender diretamente ao consumidor final, em varejo, o que entra em conflito com a função original do entreposto. Zé Inácio explicou que essa prática criaria uma competição desleal com os comerciantes do Mercado do Peixe, que operam na venda direta a população em geral.

“O entreposto tem uma função clara: distribuir em grande quantidade, vender no atacado. Já o Mercado do Peixe é voltado para atender consumidores individuais, a dona Maria, seu José, seu João. A insatisfação não é pela entrega da obra, mas sim pela tentativa de alguns de monopolizar a venda de peixe em todas as esferas”, afirmou Zé Inácio.

Esclarecimento

O deputado Zé Inácio rebateu diretamente as alegações de que a obra do Entreposto Pesqueiro estaria atrasada devido a falta de pagamento pelo governo. Segundo ele, a construção civil do entreposto está praticamente concluída, restando apenas a instalação de alguns serviços de vigilância sanitária, necessários para garantir a qualidade do pescado comercializado.

“Eu estive no local em 25 de maio e posso afirmar que a obra está pronta para ser entregue. O que falta é a finalização de alguns procedimentos internos, como a instalação da vigilância sanitária, que não fazia parte do projeto inicial. O governo está comprometido em entregar o entreposto com a melhor estrutura possível para garantir a qualidade dos produtos”, explicou Zé Inácio.

Zé Inácio destacou que o verdadeiro motivo da manifestação é a disputa entre os comerciantes do Entreposto Pesqueiro e os vendedores do Mercado do Peixe. Os primeiros querem estender suas operações ao varejo, o que os colocaria em concorrência direta com os segundos, que não têm como competir com os preços de atacado.

“O problema é que alguns comerciantes do entreposto querem vender no atacado e no varejo, o que inviabilizaria a sobrevivência dos vendedores do Mercado do Peixe. Esses comerciantes compram produtos a preços mais baixos e, se venderem em varejo, os pequenos comerciantes não terão como competir. Essa é a raiz da polêmica”, esclareceu Zé Inácio.

Críticas à Oposição

Zé Inácio criticou Othelino Neto por fazer oposição baseada em informações erradas e não verificadas, afirmando que ele deveria se preparar melhor antes de criticar o governo. O deputado acusou Othelino de criar um discurso de oposição superficial e baseado em rumores.

“O deputado Othelino está se tornando a ‘oposição de WhatsApp’. Ele deveria checar as fontes antes de subir à tribuna para fazer acusações. O discurso dele sobre a manifestação e a obra do entreposto está repleto de inverdades. Ele deveria usar sua competência para trazer críticas fundamentadas e não baseadas em boatos”, afirmou Zé Inácio.

O debate entre Zé Inácio e Othelino Neto expôs a complexidade da situação envolvendo o Entreposto Pesqueiro e o Mercado do Peixe de São Luís. A resposta de Zé Inácio serviu para esclarecer os mal-entendidos e reafirmar o compromisso do governo Brandão com a conclusão da obra e a justa competição entre comerciantes.

Enquanto Othelino Neto criticou a gestão e acusou o governo de não ouvir os comerciantes, Zé Inácio defendeu que o governo está agindo de forma responsável e comprometida com a entrega da obra e a resolução das disputas comerciais de maneira equitativa.

Após ação do Gaeco, advogado devolve R$ 800 mil desviados do Fundeb de Cantanhede

A Promotoria de Justiça de Cantanhede foi notificada na última segunda-feira, 10, da homologação pela Justiça de um Acordo de Não Persecução Penal (ANPP) firmado com um advogado e que prevê a devolução aos cofres públicos de R$ 797.900,41 em valores corrigidos. Também já foi autorizada a restituição imediata de R$ 119.332,78 que estavam bloqueados.

Os valores são resultado de três anos de investigações que motivaram, em dezembro de 2023, a deflagração da Operação Maat (deusa egípcia da justiça). A operação teve origem em três investigações que trataram sobre corrupção e desvio de recursos públicos, inclusive do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb), em Cantanhede, Pirapemas e Matões do Norte (termos judiciários da comarca).

Para o promotor de justiça Márcio Antônio Alves de Oliveira, que conduziu a celebração do acordo, o maior objetivo da operação sempre foi a devolução dos recursos para a população, “neste caso, diretamente as crianças e professores da Rede Municipal de Ensino, que serão beneficiados com a melhoria da estrutura escolar e com o pagamento de verbas salariais”.

VEÍCULOS

Ainda como resultado da operação, três veículos apreendidos foram disponibilizados para utilização pelas Polícias Civil e Militar, conforme representação do Ministério Público do Maranhão. As decisões, emitidas pelo juiz George Kleber Araújo Koehne, determinaram ao Estado a manutenção de conservação dos veículos após a respectiva incorporação provisória nas frotas das forças policiais.

Um veículo Chevrolet Tracker foi destinado para utilização em investigações pela Delegacia de Roubos e Furtos de Cantanhede, ficando sob a responsabilidade do delegado Luciano Bastos. Já o veículo Toyota SW4 foi disponibilizado para utilização na Delegacia de Polícia Civil de Pirapemas, termo da comarca e que não contava com viatura adequada, ficando sob responsabilidade do delegado Samuel Morita, delegado regional que responde pela unidade de Pirapemas.

Já uma Ford Ranger foi direcionada para uso da Companhia da Polícia Militar de Cantanhede, que enfrentava graves problemas para realização de policiamento ostensivo diante da ausência de viatura, ficando sob a tutela do 2º tenente Leudimar.

“O uso provisório dos veículos permite conservá-los e possibilitar um benefício social imediato, com a utilização no policiamento preventivo e repressivo, atenuando o dano causado pela corrupção e corroborando com a garantia de ordem pública e paz social”, avaliou Márcio Antônio de Oliveira.

ENTENDA O CASO

Coordenada pelo Ministério Público do Maranhão, com apoio da Polícia Civil, a Operação Maat resultou na prisão de cinco pessoas, em 13 de dezembro de 2023, todos envolvidos com desvios de recursos públicos. Foram presos os ex-prefeitos de Cantanhede, Marco Antônio Rodrigues de Sousa, conhecido como “Ruivo”; de Matões do Norte, Domingos Costa, conhecido como “Padre”; e de Pirapemas, Eliseu Moura.

Também foi presa Melissa Moura, filha do prefeito de Pirapemas, e o vereador Gessivaldo Silva Mendes, de Matões do Norte. O empresário Tiago Robson de Carvalho Lima ficou foragido.

Na segunda fase da Operação Maat, denominada de “Justiça é cega”, desencadeada em janeiro deste ano, foram novamente presos os três ex-prefeitos, sendo que Domingos Padre, de Matões do Norte, já se encontrava detido desde a primeira fase da operação e foi apenas intimado da nova decisão judicial. Nesta fase também foram presos o ex-secretário de Administração de Cantanhede Manoel Erivaldo; o empresário Luiz Guilherme Paiva; o advogado Sylvio Cadermartori Neto, no Rio Grande do Sul, e um advogado em prisão domiciliar em São Luís-MA.

Os mandados foram emitidos à época pelo juiz Guilherme Valente Soares Amorim de Sousa.

O advogado Sylvio Cadermartori Neto havia sido contratado, em 2006, pelo Município de Cantanhede, para atuar em uma ação que visava obter o ressarcimento de valores do Fundeb. Ao final da ação, o Município teve êxito e foi indenizado. Porém, o advogado se apropriou de R$ 2,6 milhões do valor transferido pela União e não repassou para os cofres municipais, descumprindo decisão judicial que determinava o repasse.

O acordo de não persecução penal que resultou no ressarcimento de recursos do Fundeb foi firmado com um dos então sócios de Sylvio Cadermartori Neto, que espontaneamente manteve contato com a Promotoria de Justiça de Cantanhede.

Paulo Victor anuncia convocação de excedentes do concurso da Câmara

O presidente da Câmara, vereador Paulo Victor (PSB), anunciou nesta terça-feira, 11, que a Casa Legislativa convocará, a partir de julho, todos os candidatos excedentes aprovados no concurso público realizado em 2019. 

“Informo aos senhores vereadores que, a partir do mês de julho, estaremos chamando todos os concursados aprovados no último concurso feito pela Câmara Municipal de São Luís. Até o fim do meu mandato, toda a lista de concursados será sanada e todos serão empossados por esta Casa Legislativa”, comunicou o presidente.

Paulo Victor detalhou a quantidade de vagas e os cargos a serem ocupados. “Temos, no total, 23 vagas ociosas. Dentre elas, temos vaga de Consultor Legislativo, Analista Legislativo – Informática, Analista Legislativo – Relações Públicas, Analista Legislativo de Assessoramento e Técnico Legislativo de Assessoramento. Faremos uma distribuição para que esses novos funcionários possam dar um suporte técnico legislativo para os 30 gabinetes que aqui se encontram”, disse.

Feito o anúncio, o vereador Pavão Filho (PSB) parabenizou a presidência da Casa pela iniciativa. “Quero parabenizar o presidente pelo compromisso de chamar todos os excedentes. As pessoas que se debruçam, estudam e se dedicam para disputar um certame tão concorrido como o concurso público, ficam aguardando na expectativa de serem chamados. Sou um defensor intransigente de que aqueles que são aprovados devem ser chamados para assumirem seus cargos”, afirmou o parlamentar.

O co-vereador Jhonatan Soares, representando o Coletivo Nós (PT), também se manifestou sobre o assunto. “Nós sempre temos tratado com muito afinco e seriedade a pauta trabalhista nesta Casa. Ontem mesmo nós nos reunimos com a comissão dos excedentes do concurso e com o SINDISCAM, e a pauta era essa. A seguridade da condição do trabalho dá qualidade de vida e qualidade no atendimento que é prestado à população. Essa Casa tem ganhado muito na qualidade do serviço prestado pelos trabalhadores e trabalhadoras que chegaram aqui após esse primeiro concurso público”, enfatizou o vereador.

PF indicia Juscelino Filho, que se posiciona: ‘Ação política e previsível’

A Polícia Federal indiciou o ministro das Comunicações, Juscelino Filho (União Brasil), por suspeitas dos crimes de organização criminosa, lavagem de dinheiro, corrupção passiva, falsidade ideológica e fraude de licitação em investigação que apura desvio de recursos de obras de pavimentação custeadas pela Codevasf (Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba).

A informação é da Folha de S.Paulo .

Conforme noticiou o veículo, as suspeitas envolvem irregularidades em obras executadas em Vitorino Freire (MA), que é governada por Luanna Rezende, irmã do ministro, e bancadas por emendas parlamentares indicadas por Juscelino Filho no período em que ele atuava como deputado federal.

Em nota, o auxiliar do presidente disse que a investigação “concentrou-se em criar uma narrativa de culpabilidade perante a opinião pública, com vazamentos seletivos, sem considerar os fatos objetivos”.

“O indiciamento é uma ação política e previsível, que parte de uma apuração que distorceu premissas, ignorou fatos e sequer ouviu a defesa sobre o escopo do inquérito”, completou.

Juscelino já havia criticado a PF quando do seu depoimento, em maio. Na ocasião, a oitiva foi encerrada pelo delegado Roberto Santos Costa, 15 minutos após seu início, quando o ministro afirmou que responderia apenas assuntos relacionados ao objeto da investigação autorizada pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Veja a íntegra da nota oficial:

“A investigação, que deveria ser um instrumento para descobrir a verdade, parece ter se desviado de seu propósito original. Em vez disso, concentrou-se em criar uma narrativa de culpabilidade perante a opinião pública, com vazamentos seletivos, sem considerar os fatos objetivos.

O indiciamento é uma ação política e previsível, que parte de uma apuração que distorceu premissas, ignorou fatos e sequer ouviu a defesa sobre o escopo do inquérito. 

É importante deixar claro que não há nada, absolutamente nada, que envolve minha atuação no Ministério das Comunicações, pautada sempre pela transparência, pela ética e defesa do interesse público.

Trata-se de um inquérito que devassou a minha vida e dos meus familiares, sem encontrar nada. A investigação revira fatos antigos e que sequer são de minha responsabilidade enquanto parlamentar.

No exercício do cargo como deputado federal, apenas indiquei emendas parlamentares para custear obras. A licitação, realização e fiscalização dessas obras são de responsabilidade do Poder Executivo e dos demais órgãos competentes.

Durante o meu depoimento, o delegado responsável não fez questionamentos relevantes sobre o objeto da investigação. Além disso, o encerrou abruptamente após apenas 15 minutos, sem dar espaço para esclarecimentos ou aprofundamento.

Isso suscita dúvidas sobre sua isenção, repetindo um modo operante que já vimos na Operação Lava-Jata e que causou danos irreparáveis a pessoas inocentes.

É importante lembrar que o indiciamento não implica em culpa. A Justiça é a única instância competente para julgar, e confio plenamente na imparcialidade do Poder Judiciário. Minha inocência será comprovada ao final desse processo, e espero que o amplo direito de defesa e a presunção de inocência sejam respeitados.”

Turista francesa viraliza com postagem sobre os Lençóis Maranhenses nas redes

O Brasil continua encantando nossos visitantes estrangeiros. Desta vez, o Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses, no Maranhão, viralizou após uma turista francesa compartilhar sua experiência nesse paraíso tropical. Paula Bolduratu publicou um vídeo nas redes sociais, demonstrando seu encantamento com o destino maranhense.

Não é surpresa que, segundo uma pesquisa divulgada pelo Ministério do Turismo, os Lençóis Maranhenses ocupem o quarto lugar entre os destinos mais desejados pelos brasileiros para visitar no país. No mesmo levantamento, o Maranhão figura entre os dez destinos mais visitados pelos brasileiros durante o verão, evidenciando todo o potencial turístico do estado com suas belezas naturais e rica cultura.

Além disso, as belas lagoas e dunas do local já foram destaque em pesquisas internacionais. O destino conquistou a posição de segundo parque nacional mais deslumbrante do mundo, de acordo com um estudo conduzido pela empresa Bounce.

Em uma área de 155 mil hectares, o Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses está inserido em uma zona de transição entre os biomas Cerrado, Caatinga e Amazônia. Composto por áreas de restinga, campos de dunas livres e costa oceânica, abriga um cenário repleto de dunas de areia branca e lagos de águas pluviais, sendo popular entre os ecoturistas devido às suas paisagens e vida selvagem.

PL que tornaria ‘São João da Thay’ Patrimônio Cultural é retirado de pauta

Foto: Anne Cascaes/Imirante.com

A presidente da Assembleia Legislativa, deputada estadual Iracema Vale (PSB), comunicou nesta quarta-feira, 12, que o deputado estadual Juscelino Marreca (PRD) desistiu de levar adiante um projeto de lei para reconhecer o “São João da Thay” como Patrimônio Cultural Imaterial do Maranhão.

O evento da influenciadora maranhense Tahynara OG ocorreu no último fim de semana.

Segundo Vale, Marreca – que voltou de licença nesta semana – entendeu que a brincadeira não atende a critérios técnicos exigidos para o reconhecimento e decidiu retirar a proposição de pauta.

“Nós dialogamos com o propositor da ação, deputado Juscelino [Marreca] e existem critérios para se tornar Patrimônio Cultural Imaterial. Realmente [o São João da Thay] não atende, apesar de ser um movimento muito importante para o estado, porque atrai investimentos, o povo gosta, dá visibilidade para o estado a nível nacional e a gente não quer desmerecer o São João da Thay […]. Porém, como não atende aos pré-requisitos necessários, o deputado Juscelino [Marreca] retirou o projeto [de pauta]”, declarou a presidente.

Maranhão avança no ranking nacional de saúde; Brandão comemora

O Maranhão avançou do 16º para o 12º lugar no ranking nacional de saúde, do ano 2022 e 2023. O dado reflete a melhoria dos índices de saúde no estado, com significativo progresso nos indicadores de atenção primária.

De acordo com o levantamento realizado pelo programa Previne Brasil, do governo federal, o Maranhão saltou da nota 6,1 para 8,5, superando o Distrito Federal e os estados do Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul.

“Esse resultado é fruto dos investimentos contínuos do programa Cuidar de Todos e da entrega de equipamentos de saúde para os 217 municípios do estado”, destacou Carlos Brandão. “Estamos criando um cenário muito promissor para 2024, 2025 e 2026”.

A subida no ranking representa melhores práticas na qualidade de atenção primária à saúde e na cobertura da população, e, ainda, comprova os resultados positivos dos investimentos que vêm sendo feitos.

Mais de 859 mil equipamentos, insumos e kits de saúde bucal já foram entregues para os 217 municípios maranhenses, beneficiando mais de 2 mil Unidades Básicas de Saúde (UBS) e 2.540 equipes de Saúde da Família no estado. O programa apresenta eixos como “Atenção Primária”, “Ações de Saúde”, “Oftalmo”, “Saúde Animal”, “Cirurgias”, “AVC – Cada Segundo Importa” e “Telemedicina”.

O governador Brandão ressaltou ainda que o Maranhão está no caminho para alcançar números históricos na saúde preventiva, reafirmando o compromisso do governo com a melhoria contínua dos serviços de saúde pública em todos os municípios maranhenses.

Arraial do Ipem começa na sexta-feira; veja programação de abertura

Começa na sexta-feira (14) a programação do São João do Maranhão no tradicional arraial do Ipem, com atrações nos palcos principal e alternativo, Barracão do Forró, além de uma programação especial para o público infantil. São quatro espaços para programação junina e o arraial vai funcionar até o dia 14 de julho. O Arraial do Ipem fica localizado no bairro Calhau, na Avenida A. A programação é diária, com entrada gratuita.

No primeiro dia de arraial se apresentam, a partir das 17h30, no palco principal, os grupos: Tambor de Crioula Estrela de Luz, Cacuriá de Dona Teté, Boi Oriente (baixada), show de Tutuca Viana, Boi Upaon-Açu (orquestra), show de Yara Costa, Boi de Axixá (orquestra) e Boi da Maioba (matraca).

No Barracão do Forró, a programação começa às 19h com os grupos: Forró do Meu Jeito, Trio Mulundus e Forró Não Gela. O São João do Maranhão é uma realização do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Cultura (Secma). 

Praça de Alimentação

Em todo local há espaços instagramáveis, área para acessibilidade, pontos de ativações de parceiros, área específica para soltura de bombinhas e barraca de tiros. E quando se fala de arraial, não dá para não falar da comida típica. No Ipem, o público poderá se deliciar com uma variedade de comidas e bebidas que podem ser encontradas nas barracas, food trucks, food bikes, restaurantes, quiosques e barracas do programa Mais Renda, sorveteria, barraca de drinks e uma vila de chopp. São mais de 70 pontos de alimentação e bebidas.

Além disso, haverá uma grande estrutura preparada para diversão e entretenimento do público, que vai se encantar com a decoração do lugar e espaços instagramáveis para deixar aquele registro especial. 

Arraiais em vários cantos

No arraial do Ipem, haverá programação todos os dias até o dia 14 de julho. Com o slogan “O Maior São João do Mundo”, a programação do São João do Maranhão 2024, em São Luís,  vai contar com muita música, comidas típicas e diversão nos arraiais do Ipem, Vila Palmeira, Santo Antônio, Bairro de Fátima, João Paulo, Cohatrac, João de Deus, Cidade Operária e Parque da Juçara. Também terá festejo no arraial do Maiobão, no município de Paço do Lumiar, e em São José de Ribamar.

No interior do estado, o São João do Maranhão vai contar com arraiais nas cidades de São José de Ribamar, Imperatriz, Cururupu, Barreirinhas e Timon. São mais de 700 atrações, em 60 dias de festa, que vão encher os arraiais realizados pelo Governo do Estado com apresentações de cantores, bandas, grupos de bumba meu boi, cacuriá, quadrilha, tambor de crioula, danças diversas, entre outras manifestações culturais maranhenses.

Programação
14/6 – Sexta-Feira
17h30 – TC Estrela de Luz
18h – Cacuriá de Dona Teté
19h – BMB Oriente (B)
20h – Tutuca Viana (Palco Show)
21h – BMB Upaon-Açu (O)
22h – Yara Costa (Palco Show)
23h – BMB de Axixá (O)
00h0- BMB da Maioba (M)

Barracão do Forró
19h – Forró do Meu Jeito
21h – Trio Mulundus
23h – Forró Não Gela

15/6 – Sábado
17h30 – TC Catarina Mina
18h – Quadrilha Fogueira Viva
19h – BMB Encanto do Olho d’Água (O)
20h – Bumba Show (Palco Show)
21h – BMB Lendas e Magias (O)
22h – Emanuel Jesus (Palco Show)
23h – BMB de Sonhos (O)
0h – BMB do Mestre Leonardo (Z) 

Barracão do Forró
19h – Forró Cris Campo
21h – Forró Made In Xote
23h – Forró do Rui 

16/6 – Domingo
17h30 – TC Arte Nossa
18h – DP Império de Lisboa
19h – BMB de Nina Rodrigues (O)
20h – Banda Erickson Andrade (Palco Show)
21h – Cia Barrica (A)
22h – Fernanda Furtado (Palco Show)
23h – BMB de Morros (O)

Barracão do Forró
19h – Forró Bom Demais
23h – Forró Com Xote