Silêncio complacente

Da coluna Estado Maior

É complacente o silêncio do governador Flávio Dino (PCdoB) depois da revelação – feita por seus próprios aliados na Assembleia Legislativa – de que membros do governo estão usando a força da máquina estadual para angariar votos no interior do estado com vistas ao pleito de outubro.

Já foi citado nominalmente o secretário de Estado da Agricultura, Márcio Honaiser (PDT) – que nega, claro. E o titular da Secretaria de Estado da Agricultura Familiar (SAF), Adelmo Soares (PCdoB), foi citado nas entrelinhas.

Nos bastidores, deputados reclamam também do presidente do Procon-MA, Duarte Júnior (PCdoB). Todos acusados de usar e abusar da força e da estrutura do governo para cooptar prefeitos e lideranças do interior que, ao longo dos últimos anos, já vinham mantendo conversas com parlamentares.

Mesmo assim, Flávio Dino prefere a imersão, como que para acobertar as práticas dos seus auxiliares. E como os deputados que reclamam não fazem muita coisa além disso, reclamar, o comunista empurra com a barriga mais essa crise na base, até que venha a próxima.

Nada nova
Apesar de haver estourado agora, após um discurso do deputado Raimundo Cutrim (PCdoB), essa crise de deputados com secretários não é nova.

Ainda em 2017 o secretário Adelmo Soares (Agricultura Familiar) atraiu a ira dos deputados da base ao assediar prefeitos aliados.

Ele chegou a ser convocado a dar explicações na Assembleia, mas os mesmos deputados que reclamavam nada fizeram quando estiveram frente a frente com ele.

Provas
A propósito de Adelmo Soares, há quem diga que ele tem deixado um rastro enorme de campanha eleitoral antecipada por onde passa.

O secretário é pré-candidato a deputado estadual pelo PCdoB e, segundo apurou a coluna, tem transformado os eventos da sua pasta em atos político-eleitorais.

Tudo registrado em vídeo, sob as barbas do Ministério Público, que, assim como Flávio Dino, segue silente.


10 ideias sobre “Silêncio complacente

  1. Por isso que Flávio Dino não gosta de Cutrim (como bem pontuou Eduardo Bride), pois Cutrim não se cala.

    Torço muito que um dia Cutrim volte para o grupo de Roseana.

    Ele tem o respeito de todos os colegas, até do Edilazio, que já discutiram feio.

    O problema é só um: Aluísio Mendes.

    Mas Eduardo Braide falou bem como FD trata Cutrim, feito um cachorro.

  2. Pingback: Silêncio complacente | OK FM

  3. Sobre abuso de máquina. me explica de onde vem o respaldo social e político que que deu votos para : Aluísio, Trinchão, Gondim, Andrea, Sousa Neto, Juscelino ????????? Fala sério reis da hipocrisia !!!!! Nem vou falar de outros que a lista é grande.

  4. Dino poderia usar suas redes sociais coisa que faz tão bem para defender Lula e, “condenar” a utilização da máquina por seus secretários, mas é claro que isso não interessa melhor mesmo é deixar como está escrito tentar eleger o maior número possível de aliados mantendo assim o domínio do estado que aliás confundi-se com ele.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *