Roseana renuncia mandato; Arnaldo assume o Governo

Roseana fala de avanços de seu governo e entrega carta de renúncia ao deputado Arnaldo Melo

Roseana fala de avanços de seu governo e entrega carta de renúncia ao deputado Arnaldo Melo / Foto: Ribamar Cunha

Em ato realizado há pouco no Palácio dos Leões, a governadora Roseana Sarney (PMDB) renunciou o seu mandato.

Ela entregou a carta de renúncia e passou o comando do Executivo ao presidente da Assembleia Legislativa, deputado Arnaldo Melo (PMDB), que deve ser empossado novo governador do Maranhão daqui a pouco, em sessão extraordinária na Assembleia Legislativa.

Na solenidade, que ocorreu no Salão Nobre do Palácio dos Leões, Roseana foi acompanhada do pai, o ex-presidente da República José Sarney (PMDB), esposo, Jorge Murad, dos netos e demais familiares, além de aliados políticos.

Roseana afirmou que a decisão de deixar o Governo é de cunho pessoal e que não há nenhuma conotação política ou de qualquer outro interesse.

Ela também afirmou que a sua decisão é uma forma de homenagem à Assembleia: “esta Casa que sempre esteve ao meu lado e que foi muito importante para concretizarmos um bom Governo”, disse.

“Passo o cargo de governador com muito orgulho para o deputado Arnaldo Melo, que construiu a sua trajetória política com muita dedicação, serenidade e transparência”, completou.

Após o ato oficial no Palácio dos Leões, o deputado Arnaldo Melo segue para a Assembleia Legislativa. Ele tomará posse como governador em sessão presidida pelo vice-presidente da Casa, deputado Max Barros (PMDB).

Daqui a pouco mais detalhes…


6 pensou em “Roseana renuncia mandato; Arnaldo assume o Governo

  1. Demorei a acreditar em tal atitude, achei uma enorme falta de respeito.
    O ultimo a pular da embarcação deve ser o comandante, muito pior é jogar a culpa da sua saida na sua saude.
    Por falar em saude voce pode nos informar quantos dos 72 (setenta e dois) hospitais prometidos para DEZEMBRO/2010 estão ENTREGUES e FUNCIONANDO em DEZEMBRO/2014?

  2. Arregou! Triste morte da “guerreira” que abandona o barco, levando consigo as marcas da arrogância, dos piores índices sociais do país, das obras inacabadas, dos hospitais fantasmas, do atraso político e, por fim, morrendo de medo de ser presa pela Operação Lava-jato, indo gastar os espólios de guerra subtraídos corruptamente nos cassinos de Las Vegas, tomando chandon e debochando da cara dos Poderes e do povo maranhenses.

  3. Ela renunciou??? Como assim??? Esse estado tinha governo??? Pq do jeito que está, tanta pobreza e coisa ruim… Se tinha só governava a casa dela e olhe lá. Publica isso aí, puxa-saco! Aproveitador, oportunista!!!

  4. Veja os 10 problemas que Roseana Sarney deixará para o seu sucessor
    Posted: 09 Dec 2014 04:00 AM PST

    Ao prometer renunciar ao governo do Maranhão nesta terça-feira (9), a governadora Roseana Sarney (PMDB) deixa também um lista extensa de problemas que não foram resolvidos, como alguns dos piores índices sociais do país, crescimento da violência, caos prisional e o maior número de pessoas vivendo abaixo da linha pobreza. O UOL fez uma lista desses problemas.

    A ‘herança’ de Roseana

    Estado com mais miseráveis

    Assim como todo o país, o Maranhão reduziu o número de pessoas miseráveis desde 2004. Mesmo assim, segundo o Ipea, em 2013 eram 1.174.693 pessoas que viviam abaixo da linha da pobreza no Estado, ou 17,3% da população. A média é a maior entre os Estados e três vezes maior que a nacional, de 5,2%

    Violência explode

    Nos últimos anos, o Maranhão viveu uma explosão de violência. Entre 2002 e 2012, a taxa de homicídios cresceu 162%, chegando a 26 por cada 100 mil habitantes ?ainda menor que a média nacional, que é de 29 por 100 mil–, segundo dados do Mapa da Violência 2014. Nessa década, o Maranhão foi o terceiro Estado com maior crescimento período, atrás apenas de Rio Grande do Norte e Bahia

    Caos prisional

    No inicio de 2014, o mundo conheceu a barbárie no Complexo Penitenciário de Pedrinhas, em São Luís. Em 2013, foram 60 mortes, algumas com decapitações. Nenhum Estado teve tantas mortes como somente registrou Pedrinhas. Neste ano, já foram 19 assassinatos dentro do complexo

    Líder em mortalidade infantil

    Na última década, o Maranhão ultrapassou Alagoas na ?disputa? pela lanterna em relação à mortalidade infantil. O Estado, segundo o estudo Tábua da Vida do IBGE, teve a maior taxa em 2013: 24,7 por mil nascidos vivos. A mortalidade na infância também é maior no Maranhão: 28,2 por mil

    Maior deficit habitacional

    O Maranhão tem o maior deficit habitacional do país entre todos os Estados. Em 2008, quando Roseana assumiu pela segunda vez o mandato de governadora, após a cassação de Jackson Lago (1934-2011), taxa de pessoas sem moradia era de 25,2% em relação a todos os domicílios. Em 2012?dado mais recente– essa taxa caiu para 21,2%

    Pior acesso à Justiça

    Os moradores do Maranhão têm o pior acesso do país à Justiça, de acordo com estudo divulgado pelo Ministério da Justiça no final do ano passado. O índice leva em conta o número de profissionais, como advogados, defesa pública e juízes. Também se leva em conta o IDH. Boa parte disso se deve à falta de defensores públicos, que só atuam em uma a cada quatro municípios do Estado

    Menor expectativa de vida

    O Maranhão também é o local onde se vive menos no Brasil. O Estado é o único em que a expectativa de vida não chega aos 70 anos e ficou, em 2013, em 69,7 anos. No Brasil, essa taxa, em 2013, era de 74,9 anos. Entre os homens, a expectativa era ainda menor no Maranhão: 66 anos. Já entre as mulheres, essa esperança chega a 73,7 anos

    Renda é menos de 40% da média brasileira

    Os maranhenses têm a pior rendimento entre os Estados, conforme indica o IDH Renda. O Estado também é o segundo pior PIB (Produto Interno Bruto) per capita do país, segundo dados das Contas Regionais, do IBGE. Os maranhenses, em 2012, tinham PIB per capita de R$ 8.760,34, à frente apenas do Piauí (R$ 8.137,51). No Brasil, a renda per capita é quase três vezes maior que a maranhense: R$ 22.645,86

    Menos médicos no país

    Sem conseguir atrair ou forma mais profissionais, dados do CFM (Conselho Federal de Medicina) mostram que o Maranhão é o Estado brasileiro com o maior índice de habitantes por médico – com 5.390 profissionais para 6.794.301 habitantes. A média é de um médico para cada 1.260 pessoas –mínimo recomendado pela ONU é de pelo menos um para cada 1.000 pessoas

    Educação ainda engatinha

    A PNAD (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios) 2013, do IBGE, apontou que o Maranhão é o segundo Estado com o maior número proporcional de analfabetos, com 19,9% do total da população sem saber ler ou escrever. O Estado estava à frente apenas de Alagoas (que teve taxa de 21,7%). Do UOL

  5. JA VAI TARDE… O MARANHÃO ESPERA QUE NUNCA MAIS VOLTE AO PODER…50 ANOS DE OLIGARQUIA JA DEU!!! ATÉ NUNCA MAIS…E TENHAM CERTEZA DE QUE PIOR DO QUE VCS FIZERAM COM O NOSSO ESTADO DURANTE ESSE MEIO SÉCULO, NENHUM POLITICO POR PIOR QUE ELE TENTE OU QUEIRA SER, CONSEGUIRÁ DESTROÇA-LO COMO VCS TÃO BEM FIZERAM…PARABENS PELO LEGADO DEIXADO!!! MAS SOMOS MARANHENSES DE LUTA E NOS REEGUEREMOS COM FÉ EM DEUS…BASTA ESSE BANDO NÃO SE ENVOLVER MAIS EM NADA E NOS DEIXAR EM PAZ…QUE DEUS NOS AJUDE!!!

Os comentários estão fechados.