Números da pesquisa Pnad do IBGE preocupam Gastão Vieira

Pesquisa divulgada na quarta-feira (19) revela que o Brasil, infelizmente, não atingiu meta de alfabetização. Além do mais, aponta para problemas antigos como a evasão e o atraso escolar.

Em entrevista, o deputado federal Gastão Vieira (PROS), membro da Comissão de Educação, disse que os números incomodam.

“40% da população acima de 25 anos não têm sequer o ensino fundamental. Isso é terrível. Não saiu da primeira etapa da educação, só a outra metade está concluindo o ensino médio. Vamos ter melhoras apenas no ensino superior. Isso é terrível”, afirma Gastão.

Segundo o relatório do IBGE, permanecem os problemas do atraso escolar e da evasão, mais característicos do ensino médio (15 a 17 anos), onde foi registrada, em 2018, taxa de frequência líquida de 69,3%, ou seja, 30,7% dos alunos estavam atrasados ou tinham deixado a escola. Em 2018, cerca de 17,6% dos homens e 28,4% das mulheres não trabalham, nem estudavam ou se qualificavam.

“Nós temos mais de 11 milhões de analfabetos entre os adultos brasileiros. Nós já temos um ensino em que a qualidade do ensino é extremamente duvidosa e cada vez mais os alunos passam menos tempo na escola. Dados que incomodam, principalmente o jovem nem-nem. Que nem estuda e nem trabalha, ou seja, aquele que a qualquer momento poderá ser recolhido pelo tráfico. Esses dados nos deixam extremamente tristes”, finalizou o deputado federal maranhense.

Seminário

A Comissão de Educação da Câmara aprovou o Requerimento 168/19 de autoria de Gastão Vieira (MA) que propõe a realização do seminário “O Futuro do Financiamento da Educação” (PEC 15/15, do Fundeb), a ser realizado no dia 28 de agosto, a partir das 9h, na Câmara dos Deputados.


1 pensou em “Números da pesquisa Pnad do IBGE preocupam Gastão Vieira

  1. Ele foi da seduc por um bom tempo. Conseguiu fazer algo pela alfabetização do maranhão, ou deu para o MST doutrinar os analfabetos, como o dono dele está fazendo no famigerado sim, eu posso (um retumbante fracasso)?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *