Roberto Rocha confirma que quer aliança do PSDB com Braide

O senador Roberto Rocha, presidente do PSDB no Maranhão, emitiu hoje (21) uma nota (veja acima) para reforçar sua análise sobre aliança com o Podemos, de Eduardo Braide, e desmistificar versões da mídia dinista sobre uma declaração ele a O Estado.

Disse Rocha ao jornal, na semana passada: É perceptível a estratégia de Flávio Dino em lançar vários candidatos e forçar um segundo turno na tentativa de impedir uma vitória de Eduardo Braide no primeiro turno. E segundo turno em São Luís contra duas máquinas, estado e prefeitura, é complicado. Dessa forma, o olhar político pode transcender as necessidades partidárias”.

Logo depois disso, aliados de Flávio Dino (PCdoB) tentaram vender a ideia de que o senador já descartou uma candidatura do deputado Wellington do Curso (PSDB) e, portanto, o estaria traindo.

A leitura fria do que declarou Rocha, no entanto, mostra que ele fez uma análise muito coerente e realista da cena política da capital no momento atual.

É claro que a intenção do grupo de Flávio Dino é forçar um segundo turno, porque no primeiro só quem tem chances de vencer é Eduardo Braide.

Para isso, o Palácio dos Leões usa como estratégia o lançamento de várias candidaturas.

Ao afirmar que “o olhar político pode transcender as necessidades partidárias”, Roberto Rocha admite, coerente com a sua leitura de cenário, que o PSDB pode não ter candidato, para apoiar a candidatura de Braide, já que, segundo ele próprio, “segundo turno em São Luís contra duas máquinas, estado e prefeitura, é complicado”.

Mas, vejam bem: “pode”…

Roberto Rocha em nenhum momento fechou questão sobre abdicar de um projeto do partido para apoiar Braide.

Essa é, portanto, uma possibilidade dentre outras.

É questão de semântica. Mas é, sobretudo, questão de leitura.

O resto é o velho debate político entre “bem” e “mal” já conhecido do maranhense mais atento.


3 pensou em “Roberto Rocha confirma que quer aliança do PSDB com Braide

  1. Todo mundo sabe quem é Roberto Rocha, um ser de inveja que não pode ser medida. Um cidadão de bem a lá Bolsonaro, sua queda já é anunciada em 2022. Só aguardemos.

  2. Pingback: Wellington do Curso busca novo partido desde o ano passado - Gilberto Léda

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *