Uso da Abin para interesses de Bolsonaro faz lembrar caso de espionagem no MA

A denúncia de uso da Abin para atender a interesses do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) – mais especificamente do seu filho senador, Flávio Bolsonaro – faz lembrar um episódio que marcou as eleições de 2018 no Maranhão.

Naquele ano, revelou-se um documento da Polícia Militar do Maranhão (PMMA) orientando comandos do interior a proceder ao fichamento e monitoramento de lideranças políticas de oposição e até mesmo de autoridades, como juízes e promotores.

Como no caso da Abin, de agora, o episódio da espionagem da PM gerou fortes reações na imprensa e entre partidos e lideres políticos de todo o estado.

Agora, Flávio Dino (PCdoB), governador do Maranhão, pede até impeachment de Bolsonaro pelo uso da Abin para atender a interesses pessoais.

Dino nunca viu crime, contudo, no uso político-eleitoral da PMMA.

Como no caso da espionagem na PMMA, de 2018, o episódio da Abin não deve dar em nada…


7 pensou em “Uso da Abin para interesses de Bolsonaro faz lembrar caso de espionagem no MA

  1. O pior foi o que Esse criminoso do DINÓQUIO SORVETAO fez através da polícia COMUNISTA sem que ps órgãos de fiscalização nada FIZERAM ou fazem pra prender esse bandido.
    Governador nefasto já está no 6 amo de desgoverno e perseguição, e não para. Agora vive tentando holofotes nacional a fim de se projetar para a campanha de presidente. Impossível ganhar com 1% e o estado em última colocação. Xô dinóquio sorvetao!

  2. Amigo, legal ou não, ess serviço é de extrema.necessidade. Graças a ABIN que estamos detectando a dimensão dos desserviços do STF. E muitos outros.
    Não e pode alegar legalidade do Estado-Eexecutivo quando se tem um STF que não gosta de seguir a lei. Isso chama_se princípio da paridade compensatórial.

    • Digam para o Presidente Bolsonaro,nem responder nada ao Dino.O que ele quer é isso,mídia nacional com o Presidente.É um inespressivo até no seu Estado imaginem no Brasil.Perdeunos maiores colégios eleitorais nas ultimas eleições.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *