Estudo confirma fracasso de Dino também no saneamento básico

Um levantamento do Instituto Trata Brasil, mostra evidencia mais um dos fracassos da gestão Flávio Dino (PSB).

Após oitos anos de governo, no Maranhão apenas 48% dos maranhenses têm direito ao abastecimento de água, e somente 11% da população possuem coleta de esgoto em casa.

Ainda de acordo com o levantamento, o Maranhão tem desperdiçado dinheiro: seriam economizados R$ 2,8 bilhões em saúde pública água tratada e esgoto fossem levados a toda a população do estado.

veja reportagem do Hora 1 sobreno assunto:


9 pensou em “Estudo confirma fracasso de Dino também no saneamento básico

  1. Isso só comprova e evidencia a incompetência deste patético e mequetrefe governadorzinho imbecil, que em vez de cuidar do povo que o elegeu passa os tristes dias de sua vida em rede social politicando e criticando o governo federal, isso que este nesta reportagem é simplesmente vergonhoso, se este patético tivesse um mínimo de compromisso com o povo do Maranhão e com o Maranhão não estaríamos nesta triste reportagem, isso é ridículo, e o que é pior o povo ainda vai eleger este incompetente a cargo publico, é muito triste isso

    • Atualmente um dos mais fracos dos governadores do Brasil, talvez até o pior do Norte/Nordeste. Liquidou com o Maranhão com aquela invencionice de querer se projetar como um grande político em nível de Brasil pra se contrapor ao presidente Bolsonaro, perdeu muito tempo com isso. Agora, faltando só 6 meses pra sair, não tem propagandas, comunicação e nem pesquisas fajutas pra reverter essa situação política ruim no estado. kkkkkkkkkkk

  2. Um falastrão com um linguajar esquerdista manjado. O maranhense embarcou no que falava esse sujeito em 2014, agora vai deixar o Maranhão liquidado. Nos dois governos dele fora o empreguismo eleitoreiro nada se sobressaiu, incrível!

  3. Esse ESCROQUE tem como predileção falar mal do presidente BOLSONARO… enquanto o pobre MARANHÃO continuará pior q antes, nas garras desse comunista sem futuro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *