Governo pode ter tirado R$ 141 milhões Emap

A denúncia de que o Governo do Maranhão tomou R$ 80 milhões da Emap – caso revelado durante a semana (reveja) – deve ser aditada.

Explica-se: os advogados que patrocinam a causa descobriram outros saques das contas do órgão, feitos a título de juros sobre o capital próprio.

Segundo apurou o Blog do Gilberto Léda, houve um saque em dezembro de 2017 e outro em janeiro deste ano.

No total, os saques chegam a R$ 61 milhões, elevando a R$ 141 milhões o total retirado da Emap.

Até agora, o governo não se manifestou oficialmente sobre o caso.

“Não tenho dúvida de que a eleição será decidida em segundo turno”, diz Roberto Rocha

O senador Roberto Rocha, pré-candidato a governador do Maranhão pelo PSDB, acredita que seu projeto tende a crescer junto com a candidatura do presidenciável tucano Geraldo Alckmin e que a eleição maranhense será inevitavelmente decidida em dois turnos.

Em entrevista exclusiva a O Estado, ele acrescentou que, por conta da certeza de que o pleito estadual não se resolve no dia 7 de outubro, avalia que o melhor para os pré-candidatos de oposição ao governador Flávio Dino (PCdoB) é marchar unidos num segundo turno, quem quer que passe.

“É natural que haja uma convergência entre as candidaturas estaduais e a nacional. Isso é da própria lógica política. Tanto mais que partilharemos o mesmo número. Por enquanto o cenário político nacional está turvado por um ambiente de muita animosidade, fruto da criminalização da atividade política. Eu creio que o curso da campanha ajudará a dar mais racionalidade à escolha do eleitor, que hoje está movido por uma justa indignação. Mas essa indignação levará a uma reflexão sobre os projetos e os nomes postos e ficará claro que nenhum candidato reúne os atributos de integridade e experiência de Geraldo Alckmin”, disse Rocha, sobre sua campanha vinculada à do ex-governador de São Paulo.

Sobre a unidade dos nomes da oposição, ele ressalta que essa nem sequer precisa ser uma estratégia, porque se trata de uma verdadeira aspiração do eleitorado.

“Essa unidade nem precisará do aval dos políticos. Ela acontecerá por vontade do eleitorado”, completou.

Senado – O senador também comentou a recente polêmica envolvendo o lançamento da pré-candidatura do deputado federal Waldir Maranhão ao Senado – o que ocorreu na semana passada, em Carutapera, durante discurso do próprio Rocha.

Até aquela data, o PSDB tinha apenas dois pré-candidatos a senador: o deputado federal José Reinaldo Tavares e o deputado estadual Alexandre Almeida. Com três nomes, o natural seria uma disputa entre eles em convenção.

Apesar disso, Roberto Rocha crê em uma decisão consensual antes da definição oficial da chapa majoritária tucana.

“Esse é o caminho protocolar. Mas acredito no diálogo e no entendimento, para chegarmos a uma solução de consenso”, completou.

Abaixo, a íntegra da entrevista.

O Estado – Senador, sua pré-candidatura está muito vinculada à imagem da pré-candidatura do ex-governador Geraldo Alckmin. O senhor acredita que o recente desempenho do seu colega de partido – que melhorou segundo as mais novas pesquisas – pode também funcionar como uma alavanca ao seu nome no Maranhão?

Roberto Rocha – É natural que haja uma convergência entre as candidaturas estaduais e a nacional. Isso é da própria lógica política. Tanto mais que partilharemos o mesmo número.

Por enquanto o cenário político nacional está turvado por um ambiente de muita animosidade, fruto da criminalização da atividade política. Eu creio que o curso da campanha ajudará a dar mais racionalidade à escolha do eleitor, que hoje está movido por uma justa indignação. Mas essa indignação levará a uma reflexão sobre os projetos e os nomes postos e ficará claro que nenhum candidato reúne os atributos de integridade e experiência de Geraldo Alckmin. Será o caminho natural para conduzir o país no rumo da reconciliação e respeito entre as diferentes correntes de opinião.

Não tenho dúvida também que o eleitor compreenderá que, aqui no Maranhão, o projeto do PSDB estará alinhado a essa perspectiva de solução pelo trabalho e o respeito à coisa pública. Sem demagogia, sem bravatas. Pé quente, cabeça fria, como diz a música.

O Estado – O senhor se considera um representante da terceira via?

Roberto Rocha – Ninguém pode se auto proclamar a terceira via. Cabe ao julgamento da população determinar quem reúne os atributos de contraste para se constituir numa via alternativa. Eu tenho clareza que levarei para o debate eleitoral uma outra visão para o Maranhão, que em nada se compara com essa triste e fatalista escolha que querem impor ao nosso Estado, entre o passado que não quer passar e o presente que não tem futuro.

O Estado – Recentemente surgiram informações de que o senhor teria convidado a ex-prefeita Maura Jorge para uma composição. Estrategicamente, o senhor acredita que é melhor diminuir a quantidade de candidaturas no campo de oposição ao governador Flávio Dino? Esse movimento não enfraqueceria esse campo?

Roberto Rocha – Sempre tive um diálogo fraterno com a Maura Jorge e nesse diálogo já discutimos cenários eleitorais, o que é da natureza da política. Não vejo essa questão como um cálculo matemático. Na política, podem haver convergências, mas é importante que se preservem os campos políticos. Toda candidatura é legítima, desde que represente um projeto com identidade própria.

O Estado – Qual a relação atual com o deputado federal José Reinaldo? Ao anunciar a pré-candidatura do deputado Waldir Maranhão ao Senado, José Reinaldo é considerado carta fora do baralho tucano?

Roberto Rocha – Sobre a minha relação com Zé Reinaldo, da minha parte ele terá sempre o respeito que merece, por sua biografia e importância na história do nosso Estado.

Sobre a pré-candidatura do deputado Waldir, é bom que se entenda que é uma legítima postulação dele, não do partido. Assim também as pré-candidaturas dos deputados Alexandre Almeida e Zé Reinaldo. É um direito deles. Eu não anunciei a pré-candidatura de Waldir Maranhão. Apenas fiz menção em um contexto da presença dele em um evento. Aliás, outras pré-candidaturas ainda podem se manifestar, dentro do partido, inclusive para governador. Esse é um direito assegurado no estatuto partidário.

O Estado – No caso da manutenção das três pré-candidaturas ao Senado, a definição dos dois escolhidos se dará mesmo em convenção, com os três submetidos ao voto dos correligionários?

Roberto Rocha – Esse é o caminho protocolar. Mas acredito no diálogo e no entendimento, para chegarmos a uma solução de consenso.

O Estado – O senhor acredita em eleição em dois turnos no Maranhão?

Roberto Rocha – Não tenho dúvida alguma de que a eleição será decidida em segundo turno. Só quem acha que as pesquisas são prognósticos, e não diagnósticos, é que pode se iludir imaginando que o Maranhão tenha capitulado ao marketing da propaganda oficial.

O Estado – Havendo segundo turno na eleição no Maranhão, o senhor acredita em unidade da oposição, seja em torno do nome da ex-governadora Roseana Sarney, seja em torno do nome de outro candidato que passar?

Roberto Rocha – Essa unidade nem precisará do aval dos políticos. Ela acontecerá por vontade do eleitorado.

VÍDEO! Astro de Ogun barra Procon em arraial: “Aqui não entra”

O presidente da Câmara de São Luís, vereador Astro de Ogun (PR), barrou hoje (22) uma fiscalização do Procon-MA no Arraial Pertinho de Você, organizado por ele.

Uma equipe do órgão foi ao local depois de viralizar, durante a semana, um vídeo em quem uma família foi impedida de entrar no local com uma garrafa de água comprada fora do evento (veja).

Ao chegar ao arraial, no entanto, os funcionários do Procon-MA não puderam entrar.

“Eu não tenho medo de Procon, não, tá? Aqui não entra mesmo. Procurar o que fazer”, declarou o parlamentar, em discurso no palco do evento.

Delegado da PF do Maranhão participou de ação que prendeu brasileiro na Rússia

Um delegado lotado na Superintendência da Polícia Federal no Maranhão participou da ação que culminou com a prisão de um brasileiro, hoje (22), no Estádio Krestovsky, em São Petersburgo, na Rússia, onde o Brasil venceu a Costa Ricapor 2 x 0 (saiba mais).

Luis André Almeida foi designado oficial de ligação para atuar no Centro Internacional de Cooperação Policial (CICP) instalado para a Copa do Mundo de Futebol.

Nessa missão, ele participou da investigação para identificação e localização do brasileiro acusado de assalto a uma agência dos Correios no interior do Espírito Santo.

PF prende brasileiro assistindo ao jogo da Seleção na Rússia

(Photo by Laurence Griffiths/Getty Images)

A Polícia Federal prendeu hoje (22) um brasileiro foragido da justiça, no Estádio Krestovsky, em São Petersburgo, na Rússia, onde o Brasil venceu a Costa Ricapor 2 x 0. O homem, de 31 anos, teve o mandado de prisão preventiva decretado pela 1° Vara Federal Criminal do Espírito Santo pela suspeita de participação no roubo de uma agência dos Correios no município de Itarana/ES, em 22 de março de 2017.

As investigações da PF apontaram que o preso participou do assalto, juntamente com outros dois homens, tendo ameaçado funcionários e clientes com uma arma de fogo.

Mais de R$ 26 mil foram levados dos cofres da agência. O inquérito também apontou que o grupo já havia tentado roubar a agência dos Correios no município de João Neiva/ES, naquele mesmo dia.

O brasileiro, que utilizava um passaporte italiano quando foi preso, havia sido incluído pela Polícia Federal brasileira na lista de difusão vermelha de procurados pela Interpol, possibilitando a sua prisão na Rússia.

A prisão foi efetuada por policiais federais enviados para o Centro Internacional de Cooperação Policial (CICP), em Moscou, para atuar nos estádios durante os jogos do Brasil e auxiliar nas ocorrências envolvendo cidadãos brasileiros.

Os policiais agem de forma integrada às autoridades locais, o que permitiu a identificação e a localização do foragido brasileiro que poderá ser extraditado.

O envio de equipe especializada de policiais federais ao CICP durante a Copa integra um modelo de ação típico de grandes eventos, tendo o Brasil também recebido diversas equipes de policiais estrangeiros durante a Copa do Mundo de 2014 e os Jogos Olímpicos e Paralímpicos de 2016.

Governo silencia sobre retirada de R$ 80 milhões da Emap

Da coluna Estado Maior

O Governo do Maranhão ficou em silêncio após ser formalmente acusado, na Justiça Federal, de apropriar-se indevidamente de R$ 80 milhões da Emap.

O caso foi revelado com exclusividade na edição de ontem de O Estado em ação do advogado Thiago Brhanner (saiba mais).

Por meio da Secretaria de Estado da Comunicação e Assuntos Políticos (Secap), tenta-se obter uma resposta do Executivo estadual desde a quarta-feira, 20, sem qualquer retorno.

Não é a primeira vez

Esta não é a primeira vez que a Secap silencia a respeito de problemas no governo. Em outros episódios, a secretaria – cuja estrutura é mantida com dinheiro público – decidiu não responder a questionamentos.

O mais recente exemplo foi sobre a sindicância da Polícia Militar que deveria apurar a autoria de uma circular que determinou a espionagem de adversário de Flávio Dino no interior do estado.

O Estado pediu formalmente a informação, mas nunca recebeu qualquer posição. Segundo os interlocutores da Secap, a culpa é da Secretaria de Segurança Pública (SSP), que não repassa a informação.

Coutinho e Neymar decidem para o Brasil, que bate a Costa Rica

Apontada como favorita ao título da Copa do Mundo, a seleção brasileira sofreu, mas conseguiu arrancar a primeira vitória na Rússia nos acréscimos do segundo tempo. Com um gol de Philippe Coutinho, o seu segundo na competição, e outro de Neymar, a equipe derrotou a Costa Rica por 2 a 0, na Arena Zenit, em São Petersburgo, nesta sexta-feira. Mas mais uma vez reclamou de decisões da arbitragem e teve atuação irregular.

Dessa vez, os protestos brasileiros envolveram a anulação de um pênalti em Neymar, já na reta final do segundo tempo. O árbitro holandês Bjorn Kuipers chegou a marcar a infração de Giancarlo González, que deu uma leve segurada no atacante, mas a anulou ao revisar o lance através do recurso do árbitro de vídeo, por considerar que o brasileiro simulou a falta.

A jogada diz muito sobre a atuação de Neymar, principal jogador do elenco brasileiro, mas que voltou a pecar pelo individualismo e reclamou demais do juiz. Ele marcou o segundo gol da seleção pouco depois, aos 51, após erro da defesa da Costa Rica, mas ainda não exibiu, na Rússia, maturidade e talento para liderar a seleção ao sexto título mundial.

Restou, assim, a Philippe Coutinho o poder de decisão para marcar o seu segundo gol na Copa do Mundo e aliviar a situação da seleção brasileira em uma jogada que fugiu ao estilo Tite, com a participação de seus dois centroavantes, abrindo o caminho para a vitória.

Brasil e Costa Rica encerram a participação no Grupo E da Copa na quarta-feira. A seleção de Tite vai encarar a Sérvia em Moscou, enquanto a equipe da América Central terá pela frente a Suíça em Nijni Novgorod. A equipe nacional soma quatro pontos, enquanto os costarriquenhos ainda não pontuaram e estão eliminados.

Texto: Agência Estado / Fotos: Jamie Squire/FIFA

Alckmin e José Reinaldo discutem programa para desenvolvimento do NE

O pré-candidato à Presidência da República, Geraldo Alckmin, e a equipe que está elaborando o Plano de Governo do PSDB, se reuniram, em Brasília, com o deputado federal e pré-candidato ao Senado, Zé Reinaldo Tavares (PSDB), para discutir as linhas básicas de um programa de desenvolvimento social e econômica para o Nordeste.

A proposta foca, principalmente, ações de erradicação da pobreza nos noves estados da região, principalmente no Maranhão – apontado pelo IBGE como o mais pobre entre as 27 unidades federativas do País.

Devido à sua larga experiência na vida pública, com passagens e atuações destacadas na área executiva do Ministério dos Transportes, como superintendente da Sudene (Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste) e ainda como ex-presidente do DNOS (Departamento Nacional de Obras de Saneamento) – órgão que deu origem ao atual Ministério da Integração Nacional – o ex-governador foi convidado por Alckmin para representar a região Nordeste na construção do seu Plano de Governo.

*Missão*- “Recebi missões do Alckmin para montar um grande programa para resolver as questões fundamentais do Nordeste e do Maranhão, em particular, para enfrentarmos a pobreza imensa que a região e o estado estão envolvidos”, revelou o parlamentar maranhense.

Para Tavares, “não há coisa mais viável para o Brasil do que resolver o problema da pobreza, da desigualdade social e de criar uma nova geração de brasileiros”. As linhas básicas desse programa já foram apresentadas e começaram a ser discutidas pelo comando da campanha de Alckmin e têm a Educação e Saúde às crianças como ponto forte, além da atenção social às famílias de baixa renda e a geração de renda e empregos.

“O Alckmin fez coisas parecidas, lá em São Paulo, quando governador por quatro vezes. Ele (Alckmin) é médico e está acostumado a cuidar das pessoas”, completou o deputado.

Crescimento

Zé Reinaldo também avaliou o crescimento na pré-candidatura do ex-governador de São Paulo à Presidência da República.

“O Alckmin está no momento em que começa a reagir (nas pesquisas de intenção de votos). Em São Paulo, por exemplo, ele já subiu bastante. As pesquisas mostram isto. E tenho a impressão que em pouco tempo ele estará bem colocado, pelo preparo que tem. Para o Brasil e para o Maranhão, muito mais ainda, será uma sorte ter uma pessoa (na Presidência da República) tão bem preparada”, acrescentou.

“Só atendeu interesses da família dele”, diz Roberto Costa de Zé Vieira

O deputado estadual Roberto Costa (MDB) comentou ontem, em entrevista coletiva na Assembleia Legislativa, a decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que cassou definitivamente o mandato do prefeito de Bacabal, José Vieira Lins (PP), e determinou a realização de novas eleições na cidade.

Candidato em 2016, Costa disse não acreditar que a eleição suplementar ainda ocorra neste ano, por isso, afirma estar focado em renovar o mandato parlamentar.

“Há uma resolução no TSE de que neste ano as eleições suplementares devem acontecer até o dia 24 de julho. Então, penso que haverá tempo para a eleição em Bacabal ocorrer apenas a partir do ano que vem. Com isso, manteremos nossa candidatura a deputado estadual”, declarou.

O deputado não descartou ser novamente candidato a prefeito, mas incluiu no rol de nomes do MDB para a disputa o vereador Edvan Brandão, atual presidente da Câmara Municipal, que assumirá o comando do município assim que for publicado o acórdão do TSE confirmando a cassação de José Vieira.

Segundo Costa, Brandão tem a confiança do MDB. “O Edvan Brandão é um nome que nós temos, de confiança, que poderá também, futuramente, ser apresentado como candidato a prefeito de Bacabal. O compromisso dele, comigo e com a população, é trabalhar e tirar Bacabal desse abandono em que se encontra”, destacou.

O parlamentar também aproveitou para tecer duras críticas à gestão do prefeito cassado e ao grupo político que lhe dá sustentação, encabeçado pelo deputado estadual Carlinhos Florêncio (PHS), cujo filho, Florêncio Neto, é o vice na chapa cassada pelo TSE.

“A administração do Zé Vieira foi desastrosa. Só atendeu aos interesses da família dele, da mulher dele, Patrícia Vieira, da família Florêncio, que se beneficia dos recursos da prefeitura, e a população completamente esquecida”, denunciou.