O risco Ricardo Murad para Flávio Dino

Do blog do Marco d’Eça

muradNenhum outro candidato a prefeito de São Luís terá tanta força midiática quanto o ex-secretário Ricardo Murad (PMDB), independentemente do tempo de propaganda que ele conseguir.

Além da capacidade administrativa já comprovada – e que será exibida diariamente à população – Murad tem força pessoal para gerar fatos, sobretudo ao demonstrar, com documentos e informações exclusivas, as entranhas do governo Flávio Dino (PCdoB).

E é por isso que Dino tenta tirá-lo da disputa na capital maranhense, movimentando peças dentro e fora do seu tabuleiro político.

O comunista quer uma campanha que o deixe fora dos holofotes.

E tenta montar um quadro de candidatos apenas com membros de seu próprio grupo – para que possam se engalfinhar sem expor os problemas de sua gestão.

E será assim se a disputa se apresentar apenas com candidatos como o próprio Edivaldo Júnior (PTC) e Eliziane Gama (PPS), João Castelo (PSDB), Bira do Pindaré (PSB) ou Neto Evangelista (PSDB).

Todos eles, de uma forma ou de outra, devem obediência a Dino.

Sem a presença de Ricardo Murad na disputa, portanto, a campanha de 2016 será uma espécie de propaganda da gestão comunista, com todos querendo a bênção do governador.

Continue lendo aqui.

TV Globo mostra abandono de hospital na gestão Flávio Dino

O Bom Dia Brasil, da TV Globo, mostrou hoje (30), um caso que vem sendo denunciado no Maranhão desde junho.

Em Bernardo do Mearim, a prefeitura foi obrigada a fechar um hospital de 20 leitos, recém-inaugurado, porque o Governo do Estado simplesmente decidiu cancelar o repasse de R$ 100 mil mensais que era feito pela Secretaria de Estado da Saúde.

O governo Flávio Dino (PCdoB) alega falta de prestação de contas e diz que, após isso, o hospital voltará a receber recursos estaduais, mas apenas até o teto de R$ 70 mil.

Por conta do fechamento da unidade, o Ministério Público do Maranhão acionou o Executivo estadual na Justiça, requerendo a retomada, no prazo máximo de 72 horas, do repasse de R$ 100 mil (reveja).

Em junho, durante reunião com deputados federais, em Brasília, o prefeito de Trizidela do Vale, Fred Maia, reclamou da superlotação dos hospitais da sua cidade, justamente em virtude do fechamento da unidade de Bernardo do Mearim (releia).

Logo depois, a Secretaria de Estado da Saúde (SES) emitiu nota oficial, confirmando a suspensão e reafirmando que não voltaria a repassar o dinheiro. “O recurso de R$ 100 mil não existe”, dizia o comunicado (leia mais).

Veja acima a reportagem completa da TV Globo.

Gondim diz que auditoria do governo Flávio Dino contra Roseana é perseguição

gondimO ex-secretário de Gestão e Previdência do Maranhão Fábio Gondim – atual secretário de Saúde do Distrito Federal – classificou como “perseguição política” auditoria do governo Flávio Dino (PCdoB) contra a gestão da ex-governador Roseana Sarney (PMDB).

Segundo os comunistas, houve omissão de dados no Portal da Transparência na administração peemedebista.

Ex-consultor do Senado, ele afirmou que foi responsável pela instituição de vários sistemas de controle em todo o país e que seria um contrassenso ser acusado de omissão de gastos públicos. “Isso é uma verdadeira ‘caça às bruxas’ instituída pela atual gestão. Tudo não passa de perseguição política”, declarou.

“O que pode ter acontecido é que alguns gastos não foram disponibilizados antes de serem auditados. Mas mesmo assim, isso é apenas uma hipótese. Eventualmente pode até ter ocorrido falha ou omissão, o que sinceramente duvido. Mas, mesmo neste caso, não houve má-fé”, afirmou Gondim. Ele disse que encaminhou uma defesa prévia à Secretaria de Controle e Transparência do Maranhão.

(As informações são do Congresso em Foco)

Convênios: governo “joga” reunião para a semana que vem

flavio_dinoO Governo do Estado anunciou que ainda tratará, na semana que vem, do pagamento de convênios firmados com prefeituras maranhenses no ano passado.

Segundo o secretário Márcio Jerry (PCdoB), a direção da Famem será recebido no Palácio dos Leões no dia 4 de agosto, para ainda “dialogar” sobre o tema.

A notícia foi um balde de água fria na animação de prefeitos. Isso porque no início da semana o mesmo Jerry já havia anunciado, em entrevista a O Estado, que os convênios começariam a ser pagos nesta semana (reveja).

“Ontem [sexta-feira] fechamos um primeiro lote de convênios que podem e serão pagos, a partir da próxima semana”, declarou.

Com a confirmação de uma reunião para discutir especificamente convênios, o governo ganha tempo.

“Zé Reinaldo está com síndrome de Barrichello”, diz Roberto Rocha

Roberto RochaO senador Roberto Rocha (PSB) respondeu ontem (29), em contato com o titular do blog, aos ataques disparados pelo deputado federal José Reinaldo Tavares (PSB) – que na terça-feira (28) questionou sua intenção de disputar a Prefeitura de São Luís em 2016 (reveja).

Segundo Rocha, o colega socialista “está com síndrome de Barrichello”, porque discute um assunto passado e sobre o qual já houve esclarecimentos.

O senador diz que jamais afirmou que decidiria os rumos do partido em relação a candidatura. Além dele, o deputado estadual Bira do Pindaré também figura como pré-candidato do PSB, mas vozes do partido – Zé Reinaldo, inclusive – temem que Roberto Rocha manobre.

“Zé Reinaldo está com síndrome de Barrichello. Ele chega atrasado e fala sobre um assunto vencido, amplamente desmentido. Jamais afirmei que eu decidiria a candidatura em São Luís. Então, como a premissa é falsa, tudo o mais é errôneo e não me cabe comentar”, declarou.

Colinas: PF abre inquérito contra Valmira Miranda por fraude na construção de creches

Do Blog do Badeco

vamiraA Polícia Federal instaurou inquérito policial (veja abaixo) para apurar a responsabilidade criminal da ex-prefeita Valmira Miranda (foto ao lado) por fraude na aplicação dos recursos destinados à construção de três creches/escolas nos bairros Piquete, Chapadinha e Liberdade.

A PF quer saber por que as obras estão paradas e longe de serem concluídas, já que pelo menos R$ 1.700.000,00, de um total de R$ 2.302.155,75 repassados pelo FNDE/MEC, já foram pagos às construtoras responsáveis e aquilo que seriam três creches para atenderem crianças carentes do município não passam de esqueletos.

crecheTudo começou mais ou menos assim: no final de 2014 o FNDE oficiou a prefeitura colinense requerendo informações acerca do reinício das obras, porque havia parado, bem como da apresentação um Plano de Ação para conclusão das mesmas.

Em resposta, a prefeitura colinense informou que ao tomar posse no cargo de em 1º de janeiro de  2013, o prefeito Antonio Carlos não encontrou nenhum dado ou documento sobre as três creches, razão pela qual baixou o Decreto nº 5/2013 criando uma comissão para análise de todos os contratos administrativos e suspendendo todos os pagamentos e contratos, em especial os relativos aos convênios celebrados com o FNDE/MEC.

Continue lendo aqui.

Governo mente ao dizer que O Estado omitiu nota da Caema

pedidorespostaO Governo do Estado mentiu hoje (29) ao anunciar que O Estado omitiu nota oficial da Caema sobre ação popular em que se questiona a contratação da Sá Vale Advogados, sem licitação, por R$ 828 mil (reveja).

Mente também em pedido de direito de resposta encaminhado ao jornal, alegando que “os jornalistas dessa empresa não entrevistaram e nem (sic!) solicitaram nota ou qualquer outra explicação do governador, da Secretaria de Estado da Comunicação ou da CAEMA (sic!)”.

A verdade sobre o assunto é uma só: O Estado encaminhou pedido de nota ao Governo do Estado às 9h59 de ontem (28).

Até o fechamento da edição – que se deu, no caso da editoria de Política, às 16h, em virtude do feriado – nenhuma resposta havia sido encaminhada.

Uma nota de esclarecimento só chegou ao e-mail da reportagem às 17h53, o que inviabilizou a publicação na mesma edição.

Mesmo assim, em respeito ao contraditório, O Estado publicará na edição de amanhã (30) novo texto com o posicionamento da Caema.

Pedreiras: aliados de Totonho Chicote manobram contra posse de Fátima Vieira

Aliados do prefeito cassado de Pedreiras atuam em duas para tentar tumultuar o processo de posse da vice-prefeita, Fátima Vieira, após o afastamento do titular de Totonho Chicote, por força de decisão judicial.

Na Câmara Municipal, governistas comandados pelo presidente da Casa, vereador Robson Rios, pensam em alegar que a vice-prefeita não tem domicílio eleitoral em Pedreiras para evitar que ela assuma a Prefeitura – sustentam, ainda, incapacidade psíquica, em virtude de sequelas de um AVC.

Em outro flanco, assessores do Município estão dando sumiço em documentos e computadores da Prefeitura. O objetivo é dificultar atos administrativos no início da nova gestão.

Serenidade

Após a confirmação da cassação de Totonho Chicote, Fátima Vieira declarou haver recebido “com muita serenidade” a notícia.

“Não recebemos a notícia com comemoração,  mas com muita serenidade,  responsabilidade e preocupação com os destinos de nosso povo. O momento é de reflexão e planejamento de como fazer justiça social a nossa cidade por quase três anos abandonada e ao nosso povo sendo maltratado. Todos são responsáveis por ajudar a construir nesse momento difícil as melhores condições de garantir ao povo de Pedreiras os seus plenos direitos que lhes tem sido negados”, disse.

Segundo ela, o momento é de instabilidade e precisa da união de forças políticas da cidade.

“O momento é de instabilidade e todas as forças políticas e sociais progressistas  de Pedreiras têm a obrigação neste momento, e são convocadas a tanto, para contribuir e construir esse momento difícil do nosso município para que a justiça seja realmente eficaz. Essa é a disposição e compromisso da Vice-Prefeita Fátima Vieira. Pedimos ao nosso povo que mantenha viva a chama da esperança e o espírito de luta”, completou.

MPF diz que esposa de Madeira causou prejuízo de R$ 6,5 milhões à Saúde de ITZ

madeiraA Procuradoria da República no Município de Imperatriz (PRM/Imperatriz) propôs ação contra a secretária municipal de saúde e esposa do prefeito de Imperatriz, Conceição Maria Soares Madeira, o ex-secretário municipal de saúde, Mamede Vieira Magalhães, a Clínica Cirúrgica de Imperatriz LTDA. e seus sócios, Cloves Dias de Carvalho e Alisson Mota de Aguiar, por improbidade administrativa. Conceição Maria é secretária de saúde de Imperatriz desde 2010 e Mamede Magalhães foi secretário entre 2009 e 2010.

A investigação foi iniciada pelo Ministério Público Federal no Maranhão (MPF/MA) com o objetivo de apurar denúncias de que a Secretaria Municipal de Saúde de Imperatriz teria contratado a empresa Clínica Cirúrgica de Imperatriz LTDA. sem procedimentos licitatórios. Dessa forma, foi solicitada realização de auditoria ao Departamento Nacional de Auditoria do SUS  (Denasus).

Em análise de documentação de 2009 a 2012, o Denasus confirmou a ausência de processo licitatório e indevida prorrogação de contratos, além de constatar que os dois sócios da empresa eram também diretores do Hospital Municipal de Imperatriz na época, o que fortalece o direcionamento da contratação. Segundo a Lei, servidores de órgão contratante são proibidos de participar de processos licitatórios.

De acordo com o MPF/MA, a prática de dispensa de licitação gerou grande prejuízo aos cofres públicos, além de graves danos morais à população da cidade de Imperatriz, que sofre constantemente com a má prestação de serviço público de saúde. O valor atualizado dos serviços realizados pela empresa Clínica Cirúrgica de Imperatriz LTDA. soma a quantia de R$ 6.554.314, 84.

Na ação, o MPF/MA pede, liminarmente, que cada denunciado responda individualmente, segundo a sua responsabilidade. Assim, requer a indisponibilidade de bens e o ressarcimento integral e atualizado aos cofres públicos por parte da secretária de saúde Conceição Maria Soares Madeira, do ex- secretário de saúde Mamede Vieira Magalhaes, da Clínica Cirúrgica de Imperatriz LTDA e ainda, dos sócios da empresa na época, Cloves Dias de Carvalho e Alisson Mota.

Negociações não avançam, e Polícia Civil mantém greve

Os policiais civis do Maranhão bem que tentaram dar mais uma oportunidade de diálogo ao governador Flávio Dino (PCdoB), mas o comunista não a aproveitou.

Após Assembleia Geral da categoria deliberar por greve – a ser iniciada no dia 3 de agosto – o Governo do Estado marcou nova reunião com o Sinpol.

O encontro ocorreu ontem (28), mas o Executivo mandou apenas assessores para negociar com os policiais. Nenhum secretário de Estado apareceu.

“Mandaram um pessoal que não resolve nada”, relatou um policial ao Blog do Gilberto Léda.

Resultado: a classe ficou ainda mais indignada. E a greve está mantida.