Morre aos 70 anos o narrador Luciano do Valle

lucianodovalleO narrador esportivo Luciano do Valle morreu hoje (19), em Minas Gerais, aos 70 anos, provavelmente vítima de um infarto fulminante.

A informação foi confirmada pelo programa Brasil Urgente, da Band.

O narrador rumava para a cidade de Uberlândia, onde narraria a partida entre o Atlético-MG e o Corinthians, e passou mal ainda no avião.

Ele chegou a ser encaminhado à Unidade de Terapia Intensiva (UTI) de um hospital particular na cidade, com parada respiratória, por volta das 15h da tarde, mas não resistiu e morreu, já às 16h15.

Aparte: os bastidores da Câmara de SLZ

EFEITO FERIADÃO

Como é de praxe, em véspera de feriado o plenário da Câmara de São Luís fica sem quórum para qualquer atividade. E o rito voltou a se repetir durante esta semana. O feriado da Semana Santa mexeu com a produção da Casa Legislativa. Os vereadores só se reuniram na segunda-feira (14), para debater a situação dos cemitérios públicos da capital. Depois disso, não houve mais sessão durante a semana. Na terça (15), não houve quórum para abertura dos trabalhos. Na quarta (16), apenas 15 dos 31 edis,compareceram para abertura dos trabalhos. A sessão foi aberta, mas teve que ser fechada por falta de vereadores no plenário.

PRESSÃO

Na última segunda-feira (14), durante a audiência pública que discutiu a situação dos cemitérios públicos da capital, a vereadora Rose Sales (PCdoB) partiu para cima do prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PTC) mais uma vez. Durante discurso na Casa, a comunista pediu aos colegas a instalação de uma comissão para “pressionar” o petecista a resolver as questões de superlotação e abandono nos cemitérios públicos da cidade.

ocorrenciaCASO DE POLÍCIA

O líder da oposição na Câmara de São Luís, vereador Fábio Câmara (PMDB), denunciou a cobrança – que pode chegar a até R$ 3 mil – pelo sepultamento  em alguns dos nove cemitérios públicos de São Luís. A cobrança irregular, segundo o parlamentar, já foi denunciada à polícia pelo soldador Lenilson Diniz Silva, em Boletim de Ocorrência registrado no dia 09 de dezembro de 2013, na Delegacia do São Raimundo. “Não sou vereador de quanto pior melhor, porém, sempre tenho dito que, o que está ruim pode piorar. É o caso do governo do prefeito Edivaldo de Holanda Júnior, que já virou caso de polícia”, disse o peemedebista.

IMPOTENTE E INCAPAZ

frotaO vereador Sergio Frota (PSDB), questionou em plenário a dificuldade por ele encontrada. Segundo o tucano, mais de um ano depois assumir a gestão do município, o prefeito Edivaldo Júnior praticamente não tem atendido os requerimentos enviados pelo Legislativo. “A população cobra dos vereadores, porém, quando não há um efetivo atendimento, por parte do Executivo, nós sofremos as consequências. Estou me sentindo impotente e incapaz de continuar como vereador”, declarou.

DE OLHO NA VAGA

O vereador Pedro Lucas Fernandes disse essa semana que seu partido, o PTB, vai disputar a vaga de candidato a senador na chapa a ser liderada pelo senador Lobão Filho. “É ideal que o PTB tenha uma discussão interna e também com os demais partidos do grupo. Na política, quanto mais prevalecer o diálogo, prevalece a democracia”, declarou. Pedro Lucas reafirmou a tese de que a vaga de candidato é por direito do PTB.

NÃO QUER FICAR “INELEGÍVEL”

O vice-prefeito de São Luís, Roberto Rocha (PSB), não vai assumir, em hipótese alguma, em alguma ausência do prefeito Edivaldo Júnior. Não quer ficar inelegível.  Nessa hipótese, quem assumiria, era o presidente da Câmara, Isaias Pereirinha (PSL), mas ele também é pré-candidato a deputado federal e demonstra não ter interesse. Sendo assim, quem poderia assumir o comando do Palácio de La Ravardière, seria o vereador Astro de Ogum (PMN), vice-presidente da Câmara.

meloPARCERIA DE DIVULGAÇÃO

Falando nisso, o presidente eleito da Câmara de São Luís para o biênio 2015-2016, vereador Astro de Ogum (PMN), visitou esta semana o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Arnaldo Melo (PMDB). Os dois presidentes trataram de uma parceria para divulgar ações. Melo prometeu abrir espaço para a Câmara divulgar suas ações na TV Assembleia. Astro de Ogum foi acompanhado pelo seu colega de partido, deputado Eduardo Braide (PMN).

RASGOU A FOLINHA

Quem fez aniversário no último dia 14 de abril, foi o vereador Honorato Fernandes (PT), ex-líder do governo Edivaldo Júnior na Câmara de São Luís. O pestista, que completou 40 anos, já pensa em alçar vôos maiores no pleito deste ano. Ele é um dos quadros do PT que disputará vaga na Câmara Federal. Caso obtenha a vitória nas urnas, quem assume seu lugar na Câmara de São Luís é o suplente Nelson Brito Martins, o Nelsinho.

PPP JÁ ESTÁ NA CÂMARA

Projeto de lei de autoria do Executivo que institui o Programa de Parcerias Público-Privadas (PPP) no município de São Luís foi protocolado esta semana na Câmara Municipal. Antes de ir para votação, o projeto deve passar pelas comissões da Casa.

Falta d’água provoca tumulto em presídio feminino

A Secretaria de Estado da Justiça e Administração Penitenciária (Sejap) informou há pouco por meio de nota que foi contido um início de tumulto promovido por detentas do Presídio Feminino, em São Luís, e ocorrido na manhã deste sábado (19). Elas reclamavam da falta d’água.

“O problema de interrupção no fornecimento de água naquela unidade, e que gerou toda a confusão, já foi solucionado por equipe de técnicos que fica de plantão 24 horas para atender ao sistema penitenciário. A causa foi uma pane elétrica que provocou a queima da bomba hidráulica”, diz a nota.

A Sejap investiga as causas da pane, já que o mesmo problema foi detectado na quinta-feira (17), quando os técnicos também providenciaram a imediata troca do equipamento.

NÃO SABE O QUE QUER… Eliziane já estuda candidatura a senadora

De O Estado

elizianeA deputada estadual Eliziane Gama (PPS) já avalia a possibilidade de abrir mão de sua pré-candidatura ao Governo do Estado para disputar uma vaga no Senado Federal. Segundo a popular-socialista, a tese é defendida por uma “corrente” do partido e é incentivada pelo ex-presidente da sigla no Maranhão, Paulo Matos. Ela afirmou que avalia a possibilidade.

Segundo Eliziane, a sua pré-candidatura ao Palácio dos Leões permanece mantida. A intenção é criar uma espécie de terceira via no processo eleitoral. No entanto, ela explicou que na ausência de apoio de outros partidos políticos, fica praticamente insustentável manter o PPS com a candidatura ao Executivo.

Neste cenário, o PPS poderia aderir a uma aliança com o pré-candidato da oposição, Flávio Dino (PCdoB), e pleitear espaços para a disputa do Senado. “É bom frisar que nunca falei com nenhum pré-candidato sobre o assunto. Nem com o Lobão Filho [PMDB], tampouco com Flávio Dino”, afirmou.

A possibilidade de abrir mão de uma candidatura própria ao Governo ganhou força no PPS após o PSDB aliar-se ao comunista Flávio Dino. Os tucanos tinham compromisso com o PPS.

Um cenário político onde vale tudo

berenicePor Berenice Gomes da Silva *

Um dia, o tema vai se exaurir pela repetição e cansaço que causa aos leitores. É sempre o discurso anti-Sarney e fora Sarney.  O ex Presidente sairá da cena política, pois chegará aos 84 anos. E o que restará à esquerda do Maranhão? Sintomaticamente, os ataques se acentuaram a partir do instante em que o senador fez a opção em apoiar o presidente Lula, esse operário e líder sindical que ousou chegar à Presidência da República e a Presidente Dilma Rousseff, sua sucessora.

É muito evidente o horror que causa à grande mídia a pessoa da Presidenta Dilma. Até mesmo a Copa, que foi motivo de comemoração o Brasil sediá-la, passou a ser um evento negativo para muita gente. Decidisse o senador José Sarney declarar seu apoio ao presidenciável Aécio Neves e todos os seus pecados estariam perdoados.  Relegar Lula ao ostracismo e tentar impor uma derrota ao PT é o grande objetivo de setores da mídia. Comprovadamente, não basta o famoso atestado de bons antecedentes e vida pregressa aos políticos, de atuação mais duvidosa e até mesmo escabrosa. Rompeu com Sarney, corre o risco de ser canonizado.Até os mais duvidosos ou os que dantes foram alvo de ataques de setores progressistas, agora a onda é ser contra o Sarney para parecer bem na fita.

Análise semelhante se encontra na entrevista do escritor Joaquim Haickel ao traçar características de políticos do Maranhão que apóiam o candidato Flávio Dino e Edson Lobão Filho. Quem são os que mudam de lado? Onde estavam? A que grupo pertenciam?  Qual o seu passado?

Agora, o candidato a governador Flávio Dino vem apenas legitimar uma relação que já vinha sendo construída com os tucanos. Após deixar a Magistratura, Dino buscou conversar com o PT, seu antigo partido. Sua opção pelo PC do B, onde teria um espaço sem ter que enfrentar disputas internas, não o impediu de ser acolhido e muito bem acolhido pelos antigos companheiros do PT. Seu nome para disputar a Prefeitura de São Luís havia deixado seqüelas em alguns petistas, como o ex filiado, Bira do Pindaré.

A indicação de Flávio Dino para a presidência da Embratur não se deu apenas pela sua referência no PC do B ou pela sua competência, mas certamente, deu-se, também, pela boa relação com a cúpula do PT nacional, pela sua atuação como parlamentar e jurista.  Mas os sonhos políticos não medem consequências para voos mais altos. E mais uma vez, o PC do B igorou a dialética como método, fazendo uso da forma pragmática ao considerar o projeto local acima do nacional.

 Pela análise da história, não foi a primeira vez. Em 1995, o PC do B apoiou e compôs o Governo Roseana quando a governadora era do PFL, portanto, da base do governo Fernando Henrique. Quando o grupo Sarney rompe com o PSDB, coincide com o momento em que o PC do B faz a ruptura com o grupo Sarney, tornando-se oposição.

A candidatura do PC do B consolida uma aliança com setores mais conservadores com as chamadas “oligarquias” regionais, herdeiros da política patrimonialista em âmbito regional ou local, muitos dos quais que se utilizam do poder para perseguir lideranças progressistas em seus municípios, com o mesmo método de poder de mando com que criticam o grupo Sarney.

Tentam “justificar” e até comparar a adesão do candidato do PC do B ao PSDB, com a aliança que houve no Acre entre o PT e o PSDB. Só esquecem de citar que, no Acre, foi uma aliança contra o tráfico e o crime organizado e aprovada pela direção dos dois partidos. Na realidade, a aproximação entre os neocomunistas e os tucanos têm raízes locais. Querer culpar o PT talvez seja a “desculpa” que interessa ao candidato do PC do B, pois o mesmo nunca explicitou o desejo de querer aliança com o PT. Aliás, quando o grupo do PT bancou a aliança e apresentou Flávio Dino como candidato à prefeitura de São Luís, em 2008, foi com a intenção conjunta de dar prosseguimento à aliança para 2010. Após as eleições, o candidato, talvez, não tenha aceitado a derrota ou talvez tenha tido receio de “compartilhar” com os companheiros que o apoiaram. Mas os companheiros petistas históricos nunca se pautaram em mandatos e muito menos por cargos.

Ao deixar de lado o projeto nacional do qual fez parte até recentemente, o candidato do PC do B joga em todas as frentes, de Aécio Neves a Eduardo Campos, no afã de eleger-se governador do Maranhão. Mais ainda,  dando sustentação ao projeto político de Partidos contrários aos interesses nacionais, como é o caso do PSDB e dos que se mantiveram aliados dos governos Lula e Dilma,  somente no momento em que interessava aos seus projetos locais ou individuais, como é o caso do PSB, de Eduardo Campos e Bira do Pindaré, além  do Solidariedade, do Paulinho da Força Sindical, onde o Dutra foi buscar guarida.

Pelo visto, pouco se fala de programa ou propostas nestas eleições no Maranhão. No lugar de aliança programática, o ódio e o adesismo a personalidades.

Por outro lado, a aliança com o PMDB tem um custo político muito grande. E ela não se sustenta no romantismo, mas na opção daqueles que não abrem mão do projeto que está em curso no Brasil e que tem mudado a vida de milhões de pessoas. Se o PMDB pode ser aliado no plano federal, o PT pode se manter aliado em nível local. Mas as bases para uma aliança política é o programa, são as ideias e propostas.

É claro que temos várias questões de divergência programática com o PMDB. Defendemos um modelo de desenvolvimento com sustentabilidade econômica e social, distribuição de renda e justiça social. Não abrimos mão da participação e do diálogo com a sociedade civil. Esta foi a marca do PT no governo estadual. Mas é preciso ir além do simbólico e avançar em ações concretas, caso contrário não se justifica a reedição de uma aliança. É inadmissível, por exemplo, que o Maranhão, um estado com forte característica rural e agrícola, não tenha um Plano Estadual de Apoio à Agricultura Familiar que inclua a assistência técnica e Extensão rural, como temos o da Segurança Alimentar e Nutricional, resultante da forte atuação e apoio dado ao CONSEA. O PT propôs a criação da Secretaria de Desenvolvimento Rural e Agricultura Familiar, em 2010, proposta acatada pela Governadora Roseana, tão logo assumiu o governo, em 2009. A SEDAGRO foi criada nos mesmos moldes do MDA, da estrutura do Governo Federal, mas houve uma reforma unilateral, sem que o PT fosse consultado, o que descaracterizou esta área. Isto enfraqueceu a política de desenvolvimento rural e ainda complicou a área de direitos humanos, com a fusão da SEDES, quebrando, inclusive, a lógica do sistema e da política de Assistência Social. Isto afetou diretamente a relação com os movimentos sociais que vinham dialogando com o Governo, por meio da Vice-Governadoria.

O maior desafio para o PT não será nestas eleições, mas após as mesmas. Construir a unidade interna, sabendo que é na hora da guerra que sabemos quem são os aliados e os adversários. Outro desafio é desconstruirmos a imagem de desgaste que tem o PT do Maranhão, superarmos a disputa entre suas ex-lideranças que foram importantes para o PT, mas já deram a sua contribuição. Isto sim é reinventar a política, ao invés de negá-la ou desconstruí-la. Apostar em novas lideranças, na capacidade dos jovens e das mulheres e sonhar que a reforma política possa motivar as pessoas, assim como a arte, a cultura, o esporte e o lazer. Reinventar é, ao mesmo tempo, despertar nas futuras gerações a credibilidade na política e o prazer de estar nas ruas com as bandeiras nas mãos e o coração vermelho.

* Membro do Diretório Nacional do PT; Bibliotecária, mestre em Sociologia pela UnB; professora universitária.

Sampaio “entra na taca” em casa na estreia pela Série B

Do Globo.com

(Foto: Biné Morais/O Estado)

(Foto: Biné Morais/O Estado)

No duelo entre o novato e o experiente, os sete anos consecutivos de Série B do Paraná valeram na vitória de 2 a 0 sobre o Sampaio Correa, no estádio Castelão, em São Luis, no Maranhão. Os torcedores que acompanharam a volta da equipe maranhense ao campeonato após 12 anos viram o Tricolor paranaense frustrar os planos com os gols de Edson Sitta e Carlinhos no segundo tempo. Quem estreava também era o técnico do Paraná, Claudinei Oliveira, que começou com o pé direito.

O jogo foi bem aberto no primeiro tempo, com várias chances dos dois lados, mas nenhum dos times tinha como virtude acertar as finalizações. Na correria, o famoso último passe nunca se acertava, e, com o passar do tempo, o Paraná dominou o meio de campo, sobretudo com Lucio Flavio na coordenação das jogadas. No entanto, a pontaria continuou fraca até o fim do primeiro tempo.

No intervalo, Oliveira disse ter gostado do Paraná e pediu apenas melhoria na finalização. O resultado veio aos oito minutos com Edson Sitta, que recebeu bola fora da área, arrumou e chutou rasteiro direto para a rede. O gol mexeu com a equipe maranhense, que tentava na força de vontade encontrar o gol com Válber e Hiltinho. Mas quem ampliou foi o Tricolor, com Carlinhos, que entrara no segundo tempo. A torcida do Sampaio Corrêa começou a deixar o Castelão aos 34 minutos. Entre os que ficaram, boa parte vaiou os jogadores.

O Paraná Clube fará sua primeira partida em casa na Série B na próxima sexta-feira contra o Joinville. Antes disso, na terça, recebe a Ponte Preta, pela segunda fase da Copa do Brasil. Já o Sampaio Corrêa só joga na Copa do Brasil em abril, e seu próximo compromisso será no Ceará, contra o Icasa, também na sexta-feira.

Líder da greve da PMMA, Marco Prisco é preso pela PF

priscoA Polícia Federal prendeu na tarde de hoje (18) o vereador Marco Prisco, líder do movimento grevista da Polícia Militar (PM) na Bahia e presidente da Associação de Policiais e Bombeiros e de seus Familiares no Estado (Aspra). A prisão foi realizada a pedido do Ministério Público Federal na Bahia (MPF-BA).

Em nota, a Polícia Federal informou que Prisco já está sendo transferido para o Presídio Federal de Brasília (Complexo da Papuda).

Prisco estava em um resort, na Linha Verde, quando foi detido pela Polícia Federal (PF). O pedido foi feito na segunda-feira, 14, dentro da ação penal movida pelo MPF em abril de 2013, que denunciou sete vereadores, soldados e cabos da PM por diversos crimes, a maioria deles contra a segurança nacional, praticados durante a greve realizada entre os dias 31 de janeiro e 10 de fevereiro de 2012. A intenção do pedido de prisão preventiva é garantir a ordem pública.

Segundo informações do MPF, Marco Prisco é processado por crime político grave, e qualquer recurso contra sua prisão só pode ser ajuizado no Supremo Tribunal Federal (STF). O mandado de prisão nº007/2014 foi expedido no dia 15 de abril, pelo juiz federal da 17ª Vara, Antônio Oswaldo Scarpa.

No documento, a prisão preventiva do vereador é decretada, “visando à garantia da ordem pública, com fundamento nos arts. 311 a 313 do CPP (…), devendo o mesmo permanecer preso e à disposição deste Juízo”.

Prisco já esteve duas vezes no Maranhão (veja aqui). A primeira delas no final do ano de 2011, comandando greve da PM maranhense, dias antes de iniciar movimentos na Bahia e no Rio de Janeiro, que culminaram com  prisão desta sexta-feira.

Já no final do mês de março deste ano, Prisco voltou a São Luís, para mais uma greve da PM local, desta vez sem grande repercussão.

(Com informações do jornal A Tarde, da Bahia)

De volta à Série B, Sampaio Correa estreia nesta sexta contra o Paraná Clube, no Castelão

Do Imirante.com

SÃO LUÍS – Foram 11 anos, cinco meses e seis dias de espera. Desde o dia 12 de novembro de 2002, quando se despediu do Campeonato Brasileiro Série B após a derrota por 2 a 0 para o Americano (RJ), no estádio Godofredo Cruz, o torcedor do Sampaio Corrêa Futebol Clube sonhava com o retorno da equipe às principais divisões do futebol brasileiro. Depois de muitos esforços, recompensados com uma conquista invicta da Série D e de um vice-campeonato da Série C, o desejo dos tricolores se tornou realidade: nesta sexta-feira (18), o Sampaio dá o primeiro dos seus 38 passos na disputa do Campeonato Brasileiro Série B contra o Paraná Clube. A partida terá início às 19h30, no estádio Castelão, e terá transmissão ‘minuto a minuto’ no Imirante Esporte. A rádio Mirante AM também acompanhará, ao vivo, todas as emoções da estreia do Bolivão na Segundona.

Embalado pelo ótimo desempenho nas duas últimas edições de Campeonato Brasileiro que disputou, onde não só conquistou o acesso, mas também brigou pelo título, o Sampaio agora terá uma competição bem diferente a disputar. Considerada por muitos uma verdadeira corrida de resistência, a Série B será realizada até o final de novembro e não conta com os tradicionais ‘mata-matas’, onde o Bolivão se destacou com bons resultados como mandante e triunfos preciosos como visitante. Na Segundona, a regularidade cobrará um preço maior dos tricolores, que garantem estar prontos: a base vencedora das últimas temporadas foi mantida e o desempenho em 2014 está dentro das expectativas, com direito a um título maranhense conquistado de forma antecipada sobre o rival Moto Club e a classificação para a segunda fase da Copa do Brasil.

No primeiro duelo pela Série B, o técnico Flávio Araújo terá a maior parte do time considerado titular, mas sofre com desfalques justamente no setor mais forte da equipe: a defesa. Sem contar com o lateral Tote e os zagueiros Mimica e Paulo Sérgio, o Sampaio testará uma dupla de zaga que atuou junta apenas em treinamentos, formada pelo jovem Alex e pelo recém-chegado Edimar. Do meio para frente, porém, nenhum desfalque e esperanças depositadas no atacante Edgar, que fez quatro gols nos últimos três jogos e voltou a apresentar o futebol que o tornou um dos ‘xodós’ da sempre exigente torcida boliviana.

CNJ julgará denúncia contra viagem de magistrados do MA para curso em Orlando (EUA)

Do blog do Buzar

O Conselho Nacional de Justiça poderá submeter à apreciação do plenário um volumoso processo que tem tudo a ver com o Tribunal de Justiça do Maranhão.

Trata-se de denúncia segunda a qual o TJ teria praticado despesas irregulares com passagens aéreas e diárias para 31 juízes, 2 desembargadores e 3 servidores.

Essas despesas seriam destinadas à participação de magistrados e serventuários da Justiça em cursos de segurança pessoal realizados na Flórida, nos Estados Unidos.

EM TEMPO: Em contato com o titular do blog, a assessoria do desembargador Raimundo Melo informou que, apesar de convidado (por isso no nome dele aparece em uma das listagens abaixo), o magistrado não viajou para o curso em Orlando.

_________________Leia mais

Magistrados viajam para curso em Orlando; sindicato pede providência do CNJ

TJ já mandou segunda turma de juízes e desembargadores para os EUA

EXCLUSIVO! Veja 2ª lista de magistrados que viajaram para curso em Orlando

Constrangido, PCdoB esconde apoio ao PSDB em site oficial

vermelho

Imagem do Portal Vermelho capturada às 18h39 de ontem (17)

Dois dias depois de o pré-candidato do PCdoB ao Governo do Maranhão, Flávio Dino, pedir a benção do tucano Aécio Neves para ter apoio do PSDB no estado, não há qualquer referência à reunião dos dois pré-candidatos em Brasília na página inicial do site oficial dos comunistas.

Na aba “Maranhão” do Portal Vermelho – “uma página mantida e gerida pela Associação Vermelho, entidade sem fins lucrativos, em convênio com o Partido Comunista do Brasil – PCdoB”, segundo informa o expediente do sítio – a notícia em destaque, pelo menos até 18h39 de ontem (17), ainda era o tal ato de petistas em prol de Flávio Dino, ocorrido no sábado (12).

Apoio do PSDB? Nada além de uma nota escondida na aba “Mais”, abaixo de todas as matérias consideradas mais importantes.

A única referência aos tucanos na “capa” vem de forma tímida, constrangida mesmo, numa matéria na qual o presidente estadual do partido, Márcio Jerry, tece comentários sobre a formação de uma “frente do tamanho do desejo de mudança”.

Outra curiosidade: em editorial na mesma página, o Portal Vermelho exalta pronunciamento da Comissão Política Nacional do Partido Comunista do Brasil (PCdoB).

“O pronunciamento da direção comunista é uma peça política que ajuda a construir a contraofensiva das forças progressistas, indispensável para enfrentar o jogo sujo da oposição conservadora e neoliberal e sua estratégia de desestabilização do país”, diz.

Por “oposição conservadora e neoliberal”, entenda-se PSDB e afins…

É… dá pra entender o constrangimento.