Acusados de cobrar R$ 400 mil para “sumir” com processo já estão soltos

Delegado Augusto Barros e os R$ 400 mil entregues à dupla

Durou pouco a estada dos advogados Marco Túlio Cavalcante Dominici, presidente da Associação dos Criadores do Maranhão (ACEM), e  Francisco Reginaldo Duarte Barros na prisão.

Ele foram beneficiados por um relaxamento de prisão concedido pelo juiz plantonista Raimundo Ferreira Neto, por volta das 3h da madrugada desta sexta-feira (20), e já deixaram a sede do Comando Geral do Corpo de Bombeiros, onde estavam detidos desde a tarde de ontem (19). Cada um da dupla pagou R$ 6 mil de fiança.

Os dois são acusados de cobrar R$ 400 mil do empresário Savigny Sauaia para “sumir” com um processo de espólio judicial envolvendo a família dele (veja post abaixo). Marco Túlio e Francisco Reginaldo Duarte foram presos em um flagrante esperado pela polícia, que filmou o momento em que Savigny repassou o dinheiro aos acusados e recebeu o original do processo.

As investigações continuam.

(Com informações do blog do Marcial Lima)


12 pensou em “Acusados de cobrar R$ 400 mil para “sumir” com processo já estão soltos

  1. Gilberto, se o flagrante foi armado eles realmente não deveriam estar presos, pois flagrante armado é prova ilícita.

    • Isso é verdade… a OAB só se posicionou para dizer que os dois não atuam como advogados…

  2. Gilberto quem foi o magistrado que concedeu o liberdade aos dois…parece que quando se trata de juiz os jornalistas temem publicar seus nomes!

      • A liberdade no Processo Penal é a regra e não a exceção.
        Acredito que o magistrado que concedeu a sentença não ficará nenhum pouco chateado na divulgação de seu nome, pois certamente não cometeu nenhuma ilegalidade.
        Deve-se, pois, pensar-se nas leis que temos ates de criticar a concessão de qualquer benefício, visto que nosso sistema penal é fundado na progressão de regime até mesmo para os já condenados, o que se dizer aqueles que sequer foram denunciados.
        Ainda deve-se acrescentar que até onde se sabe o crime foi cometido sem violência ou grave ameaça a pessoa o que torna ainda mais fácil a concessão de benefícios.
        Por fim, NÃO CONCORDO e ABOMINO as ações atribuidas as incriminados. Porém a lei é para todos e todos temos nossos direitos que devem ser resgaurdados….

  3. seria uno caso isolado ??????? mas pelo que corre de boca-a-boca tudo leva a crer que o cnj tem um abacaxi para descascar em nome do retorno da moralidade e da credibilidade dessa avacalhada instituição.

  4. Acho que isso acontece muito, com certeza não foi o primeiro caso…a diferença, é que esse empresário teve a coragem de denunciar, e não se deixou corromper, pois com certeza, são essas armações, que mantém o luxo dessas pessoas.

    • Tb duvido que este seja o primeiro caso, e que essa turma aja por sua conta e risco, sem o apoio de gente mais importante

Os comentários estão fechados.