Delegada diz haver indícios de ligação de Pedro Meireles com agiotagem

A delegada-geral da Polícia Civil, Cristina Menezes, é categórica: há indícios de que o delegado da Polícia Federal Pedro Meireles tem envolvimento com a quadrilha que se acredita comandar a agiotagem no Maranhão, encabeçada por Gláucio e Miranda Alencar. E mais: devido a essa suspeita, o federal pode ser chamado novamente para depor.

A informação foi repassada, ontem, pela própria delegada-geral, ao repórter Leandro Santos, de O Estado.

“Há indícios da participação dele [Pedro Meireles] na quadrilha. Se houver necessidade, ele pode ser chamado”, disse a delegada. Ainda segundo Cristina Meneses, a comissão responsável por elucidar os crimes de agiotagem no estado, formada pelos delegados Maymone Barros, Roberto Larrat, Roberto Wagner e Breno Araújo, também utilizará as informações dadas por Meireles na manhã de quarta-feira (1°), durante depoimento prestado por ele na Superintendência Estadual de Investigações Criminais (Seic), para dar continuidade às investigações sobre a agiotagem no Maranhão.

Na oitiva, Meireles confirmou a amizade que mantinha com Gláucio Alencar, apontado pela polícia como um dos mandantes do assassinato do jornalista Décio Sá. “No entanto, isso não implica dizer que ele tenha relações com a morte de Décio Sá”, enfatizou Meneses.


9 pensou em “Delegada diz haver indícios de ligação de Pedro Meireles com agiotagem

  1. A policía civil do Maranhão esta de parabens. Investigando quem tem q investigar de caseiro a delegados federais e deputados. É muito fácil comprovar o envolvimento desse delegado da policia federal basta pegar os processos e inqueritos onde os acusados e indiciados são defendidos pelo advogado que é seu amigo e colocar em confronto com os que o referido delegado da pf esteve a frente. É simples o advogado tem um cliente por exemplo os prefeitos envolvidos com desvio de verba publica federal e ai como tem contato com a autoridade paga ela para que nao investigue ou pelo menos atenue nas acusações, sumindo com processos, deixando de produzir provas etc. Mais uma vez parabenizo a policia civil do maranhao, que mesmo tendo um contingente muito pequeno, esta conseguindo fazer trabalhos brilhantes. Governadora dê uma estrura melhor para policia civil do seu estado que eles merecem

  2. Esse delegado tem cara de homem sério, e Carlos procure se inteirar das coisas, as investigações são metódicas, têm planejamento e vários órgãos envolvidos, comentário de prefeitos presos pelo delegado Pedro e de envolvidos em crimes não tem credibilidade, e vc não passa de um maria vai com as outras, analise os fatos, até a delegada geral nessa ultima entrevista fala que existem possíveis indícios, ou seja, não tem provas, estou achando que querem fazer nome às custas do delegado Pedro. Queria saber, se o inquérito corre em segredo de justiça como essas notícias chegam aos blogs, sera pq ela é casada co m um cara da mirante?

    • Acho que vc não leu o posto inteiro. Nenhuma informação da delegada vazou para os blogs… ela deu uma entrevista ao Leandro Santos, repórter de O Estado

    • Cara de homem sério? Por se tratar de delegado federal indícios, mesmo que incontestáveis, não tem valia para prosseguimento de investigações policiais? Agora recorre-se ao fato de que se o inquérito corre em segredo de justiça nenhum fato deveria ser denunciado ou publicado por que se trata de Pedro Meireles. O que dizer das operações capitaneadas por esse delegado sob a égide do segredo de justiça e que tiveram depoimentos liberados para a mídia? De acordo com a visão do sr José Maria segredo de justiça so vale para delegado a serviço de agiotas e de si próprio e para os demais cidadãos não? Com esse tipo de análise não dá pra ficar silente, não mesmo.

  3. Essa delegada Cristina Meneses deu entrevista agora, umjas duas vezes citando o nome do delegado Pedro Meireles, mas o vazamento está acontecendo há muito tempo, além do mais creio que ela está sendo mais real que o rei, haja vista o açodamento exacerbado em falar de indícios, ou seja, nada consistente, portanto ela não pode se posicionar como uma magistrada que julga e condena, ela como boa profissional tem que se ater aos autos e não fazer prejulgamentos para atender interesses midiáticos. Pelo que se tem notícias o inquérito apesar de ser meramente uma peça informativa nesse caso está sob sigilo, pergunta-se: não está havendo um descumprimento da ordem estabelecida pelo senhor secretário de segurança pública?

Os comentários estão fechados.