Caso Décio: ex-prefeito abre o jogo e conta como funcionava esquema de Gláucio

O ex-prefeito de Serrano do Maranhão, Vagno Pereiria, o Banga (PTdoB), resolveu abrir o jogo e contar tudo o que sabe sobre a agiotagem no interior do estado.

Afastado da prefeitura no início de 2010 – ele era vice-prefeito e havia assumido após a cassação de Leocádio Rodrigues (PDT) -, Banga foi ainda preso em flagrante pela Polícia Federal, no bojo da Operação Rapina V, comandada pelo delegado federal Pedro Meireles, após sacar R$ 10 mil da prefeitura na boca do caixa.

Curiosamente, esse é o valor que ele diz a amigos e aliados próximos ter sido tomado por autoridades policiais ligadas à agiotagem numa batida ocorrida quando ele fazia trafegava entre um povoado e a cidade de Serrano. Mas as investigações da PF e da CGU revelaram, ainda, saques que totalizavam R$ 3,1 milhões

________________Leia mais:

“Consórcio” de agiotas pode ter participado da morte de Bertim

Apesar das robustas provas contra ele, Banga disse, hoje pela manhã (3), em entrevista à rádio Mirante AM, ter sido preso injustamente, que é “homem direito” e vítima da quadrilha comandada pelo agiota Gláucio Alencar. Ele contou como funcionava o esquema para tirar dinheiro das prefeituras.

“Assim que eu assumi a prefeitura, fui procurado pelo Gláucio e ele disse que o prefeito cassado tinha um débito de R$ 200 mil e que eu deveria pagar”, denunciou, relatando encontro no restaurante Picuí Tábua de Carne, na Cohama, em São Luís. Banga disse que não aceitou pagar o débito porque não foi ele quem contraiu o débito. “Eu disse a ele que era vice-prefeito e não poderia pagar dívida de campanha do prefeito. E, além do mais disse que não tinha nem cheque.

Mas a resposta de Gláucio foi rápida, segundo o ex-prefeito. “Ele [Gláucio Alencar] disse que eu iria pagar de qualquer jeito e que até tinha vinte folhas de cheque da prefeitura dentro do carro, só pra eu assinar. Mas eu não quis”, relatou.

Ronaldo Ribeiro e Meireles no velório de Décio Sá (Foto: Biné Morais/O Estado)

Foi após isso que houve a prisão. “Eu não sei como eles conseguiram fazer essa armação e ele [Gláucio Alencar] com esse delegado Pedro [Meireles] conseguiram me prender, de um nada. Esse delegado me encontrou aqui na estrada, vindo de um povoado, e simplesmente me prendeu”, completou.

O ex-prefeito contou, também, o que diz achar ser coincidências sobre o caso. “O advogado do Hermininho [Hermínio Filho, presidente da Câmara, que chegou a assumir a prefeitura por alguns meses] é esse mesmo Ronaldo Ribeiro e o candidato dele é o deputado Raimundo Cutrim”, disparou.

Banga acredita que a quadrilha comandada por Gláucio armou para que houvesse a posse de Hermínio Filho e o consequente pagamento da dívida de R$ 200 mil.

Histórico

O que diz hoje, Banga já havia revelado em 2010, em entrevista a alguns blogs do interior do estado. Citando o vereador Hermínio Filho, então presidente da Câmara Municipal, ele disse que Gláucio Alencar já atuava na cidade, com o apoio do parlamentar.

“O presidente da Câmara coordenou isso tudo, com o apoio de um agiota, de nome Gláucio, que tem aqui em São Luís. Para ter ideia, deixei a prisão por crime de fiança, portanto não era para eu permanecer preso, o que demonstra que minha prisão foi irregular”, afirmou.

Depois do afastamento do prefeito Leocádio Olímpio Rodrigues (PDT), em abril de 2009, por uma ação civil pública, o município de Serrano do Maranhão foi governado por cinco prefeitos. Assumiram o vice-prefeito Vagno Pereira, o Banga (PT do B), dois presidentes e dois vice-presidentes da Câmara Municipal.

Atualmente, quem comanda a prefeitura é o vereador e presidente da Câmara, Uaunis Rodrigues, filho do prefeito eleito e cassado em 2009 (veja documento ao lado).


15 pensou em “Caso Décio: ex-prefeito abre o jogo e conta como funcionava esquema de Gláucio

  1. Po esse Glaucio é bom mesmo! Ele manda até nos desdobramentos de uma operação da Polícia Militar! Que isso Gilberto Leda! Pq de uma hora pra outra tão querendo ferir a imagem do delegado Pedro? Quando tem muita gente assim apontando em uma direção ai q eu fico desconfiado…

  2. Que fundamento é esse? Onde estão as provas? o Cesar Bello é quem está sabendo das coisas, existe aí um mascarar de causa/motivo, uma difamação para por em dúvida o trabalho do delegado Pedro.

  3. Esse enrolado está se aproveitando do momento pra vê se consegue alguma pontinha de fama, mas a história só depõe contra ele.

  4. Este delegado é um […] mesmo pior do que os […] ,se esconde atraz do cargo de delegado pra […] desse agiota, queimando totalmente o nome da Policia Federal, tem que ser exonerado e preso .

  5. Não se deve acusar alguem sem provas…isso é uma tremenda de uma sacanagem…publiquem alguma coisa quando estiverem provas o suficiente pra condenar alguem.

    • mas quem deve condenar é a Justiça… a imprensa informa… e, no caso em tela, o que deve ser informado é que o ex-prefeito declarou tudo o que está escrito aí

Os comentários estão fechados.