Hildo Rocha defende o fim do voto obrigatório

hildoO deputado federal Hildo Rocha (PMDB) se manifestou de forma favorável, em seu perfil em rede social, por meio de um vídeo, pelo fim do voto obrigatório no país, item da reforma política que será apreciado a partir do dia 10 na Câmara Federal.

Para o peemedebista, obrigar o eleitor a votar durante o processo eleitoral, é ir de encontro ao que rege a Constituição Federal.

“O voto facultativo impede o voto de cabresto. O cidadão não pode ser obrigado a votar. A obrigatoriedade do voto fere o direito da individualidade do cidadão. E é por isso que nós temos de acabar com o voto obrigatório”, disse.

A proposta pelo fim do voto obrigatório foi apresentado pelo deputado federal Rodrigo Maia (DEM-RJ). O texto já foi protocolado na Mesa Diretora da Casa e irá para a apreciação do plenário na próxima semana.

Reforma

Na primeira semana de votação da reforma política, o plenário da Câmara decidiu manter o atual sistema de eleição de deputados e vereadores; acabar com a reeleição para chefes do Executivo; cortar o Fundo Partidário de legendas sem congressistas; e permitir doações de empresas a partidos, e de pessoas físicas a partidos e candidatos. Tudo faz parte da PEC 182/07, que está sendo discutida por temas.

Até agora, a reforma ocupou mais de vinte horas de debates em Plenário, com 10 votações nominais e momentos tensos. Houve bate-bocas entre parlamentares, e o presidente da Casa, deputado Eduardo Cunha (PMDB), suspendeu a sessão para reunião reservada entre os líderes em duas ocasiões – na votação do financiamento empresarial e na discussão do tempo de mandato.

Os pontos mais controversos da reforma – financiamento e sistema eleitoral – já foram superados, mas ainda falta discutir vários temas. Ficou para depois do dia 10 de junho a decisão sobre duração dos mandatos; eleições municipais e gerais no mesmo dia; cotas para mulheres; voto facultativo; data da posse presidencial; federações partidárias; entre outros assuntos. E o resultado final ainda precisa ser votado em segundo turno antes de ir ao Senado. Para valer nas eleições de 2016, as mudanças têm de entrar em vigor até outubro.

 


8 pensou em “Hildo Rocha defende o fim do voto obrigatório

  1. Hildon racha . Deputado Zé mané de um só mandato não se elege mais nem presidente de clube de mães , imagine deputado
    Federal nunca mais . Não sei o que você tem contra o prefeito de Santa Inês ribamar Alves ? Bastou seu desembarque no aeroporto Cunha Machado começou falar mau do prefeito ribamar Alves . O prefeito de Santa Inês tem uma grande virtude gosta de mulher e você sempre gostou foi de homem já dizia o prefeito de Catanhede . E os andares da carruagem se confirma baitola .

  2. Concordo. As pessoas devem ser livres oara votar. Temos que quebrar mais essas correntes que a burguesia inventou para garrotear o povo. Nao somos boi.

    • Esse é da Coisa. Votar é uma amarra burguesa!!!! É por isso que na Cuba ninguém vota? Se chover cangalha. …..

  3. Mais uma vez bato na tecla: no Brasil não existe voto obrigatório. Você vota se quiser. O que é obrigatório, desde que não exista justificativa, e você comparecer ao local de votação.

  4. “O voto facultativo impede o voto de cabresto”. O deputado deveria ganhar o Prêmio LEBON (contrário de Nobel) de lógica. Deveria ser nomeado doutor honoris causa da Universidade de Harvard por esse ultrabrilhante algoritmo da lógica cartesiana!!!!
    Ora, o que ele denomina de “voto facultativo” é que pontencializa o cabresto. Se o eleitor é “encabrestado”, assim o é por alguém que manda no seu (dele, eleitor) voto. Esse jamais vai deixar de comparecer às urnas, pois, encabrestado, vai ter que comparecer e votar no dono do voto.
    Caso contrário, não é encabrestado. Certo?

  5. Concordo,como a maioria da população brasileira,com o voto facultativo.Vai cair assustadoramente o numero de votantes mas,acaba SIM com os votos de cabrestos e comprados.Nas maiores democracias do mundo é,esse o modelo de votação.Eu,por exemplo VOU votar.

    • “mas,acaba SIM com os votos de cabrestos e comprados”.
      Mais um merece o prêmio “leboN”. Ora, só os encabrestados e comprados vão comparecer 100%. Se o cara vende, vai lá entregar… se é encabrestado vai ser puxado pelo cabresto às urnas. Se o encabrestado quando vota, mesmo sendo o voto secreto, não desobedece seu dono, como é que vai deixar de votar, que o dono dele tá vendo? Acorda!!

Os comentários estão fechados.