Flávio Dino e a nova Lei do Cão

A recém-aprovada MP 230/2017 – que concede reajuste apenas às gratificações dos professores, e não aos vencimentos – já foi batizada pelos profissionais da categoria de “Nova Lei do Cão”.

A denominação vem bem a calhar e remete, de imediato, ao ano de 2007, quando o então governador Jackson Lago (PDT) pressionou sua base aliada na Assembleia Legislativa a aprovar a Lei do Cão original.

O dispositivo proposto pelo pedetista – em forma de lei (justiça seja feita), não de Medida Provisória, como em 2017 – transformava salários de servidores, em especial os dos professores, em subsídios e retirava vários direitos do funcionalismo.

Na ocasião, a proposta teve apoio do PCdoB do hoje governador Flávio Dino (PCdoB).

Mas não apenas isso.

Segundo denunciou em 2010 o então candidato a governador Saulo Arcangeli (PSTU), Dino não apenas pertencia ao partido que apoiou a Lei do Cão original, como também trabalhou pela sua manutenção nos tribunais superiores.

Arcangeli revelou em um dos seus programas eleitorais que o comunista chegou a ir ao Supremo Tribunal Federal (STF) defender a Lei do Cão, então questionada pelo PMDB numa Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) – depois apoiada pelos sindicatos.

Atualmente no comando do Executivo, Dino mantém o mesmo ímpeto contra o trabalhador.

Ode à hipocrisia

Chega a ser até curiosa a hipocrisia – alguns chamarim apenas de incoerência – do governador e de alguns dos seus fiéis seguidores.

O mesmo Flávio Dino que edita uma MP mutilando o Estatuto do Magistério – que é lei e determina, em seu artigo 32, que na data base o Poder Executivo deve proceder “aos ajustes dos valores do vencimento do Subgrupo Magistério da Educação Básica” – é também um professor.

Esse mesmo Flávio Dino construiu sua carreira no mundo jurídico, ainda, como defensor de sindicatos de trabalhadores.

Mas não só ele peca pela hipocrisia.

Dois dos mais criticados deputados na sessão de ontem também têm fortes ligações com os trabalhadores em geral, e com os professores em particular.

O deputado Marco Aurélio (PCdoB) é também professor.

E o deputado Bira do Pindaré (PSB) é bancário, com forte atuação no movimento sindical.

Isso tudo, no entanto, era antes de eles chegarem ao poder.


17 pensou em “Flávio Dino e a nova Lei do Cão

  1. Dois deputadozinhos de difícil reeleição, Bira do Pindaré ficou sem discurso após a desastrosa ascensão dos comunistas ao poder.

  2. Esse governo já era está perdidinho em busca de fazer um equilíbrio fiscal e de olho pra chegar em 2018 com recursos pra convenios eleitoreiro.

  3. Eu sabia que quando Flavio Jerry assumisse o governo ele jamais cumpriria o prometido em campanha, esses camaradas que comem no mesmo prato que Dino são os mesmos que detonaram o governo do Dr. Jackson Lago.

  4. Flávio Dino não passa de mais um político que entrou nos dando a esperança de acabar com uma “suposta okigarquia” e até o momento está fazendo pior que Sarney e todos os governos apoiados por ele. É um governador que não entende de administração, é super hipócrita arrogante e prepotente, é o governador que mais já perseguiu o comércio e empresariado e mesmo assim não perde aquela super estrela que ele acha ser. Além de ele ter todos esses defeitos ainda fez o favor de apoiar a quadrilha que estava no governo Federal e pra completar montou um grupo de governo que é um lixo.

  5. Acho interessante a discussão… Fato que o aumento poderia até ser maior e sem ser apenas na GAM. Contudo, não podemos esquecer o contexto em que o Brasil está inserido e, consequentemente, o Maranhão que, apesar de ter uma ilha como capital e ser em algum sentido geograficamente isolado, sofre com os efeitos nefastos dá crise econômica atual. Dessa forma, vejamos, quais outros estados deram aumento para os docentes? ( Seja na GAM?). Resposta: nenhum! Isso ninguém fala, é preferível atacar a forma que o aumento foi dado…. talvez ” venda mais jornal”… Outro detalhe ainda na área da educação: quantas escolas em tempo integral o Maranhão tinha até 2014? Resposta: nenhuma…Esse ano já entregaram 11…De certo, problemas existem e sempre irão existir façamos nossas críticas, só não sejamos seres ahistoricos e cegos ao contexto macro econômico. Sabemos de onde estamos vindo e o resultado de todas as batalhas travadas por uma certa ” guerreira” que agora se apresenta como o ” Messias”…Mas essa já é outra história….Se é que vocês me entendem… Abraço!

  6. FD podia diminuir também o salários dos ex-secretários que já perderam os cargos, mas continuam mamando como assessores.

  7. Sr. Pedro para ganhar a eleição esse perseguidor prometeu não fazer que os Sarneys faziam de ruins, hoje tudo de pior que existe ela faz, lembre Sr. Pedro que escola em tempo integral faz pouco tempo que foi implantado, o povo está indignado pelas mentiras desse comunista.

    • Vamos ler Valdir,é tão nefasto o atraso que o Maranhão foi posto que vc considera novidade ( escola de tempo integral) algo já existente ha algum tempo nos demais estados.

  8. O mais impressionante é que o governador foi juiz federal e até já escreveu livro onde chamava de ditadores, os governos que editam medidas provisórias para governar. Logo ele, conhecedor profundo das leis, descumpriu a lei do piso, a lei do estatuto dos educadores e a própria constituição numa tacada só. Não satisfeito e perseguindo os professores, deu o reajuste à várias categorias e em todas no vencimento e não em gratificação, apenas os professores tiveram esse reajuste ilegal sobre a gratificação. Esse é a nova LEI DO CÃO, agora não somente apoiada pelo Flávio Dino, mas assinada por ele. VERGONHA !

  9. Bira votando contra os professores! Quem te viu, quem te vê. Quer conhecer um homem dê poder a ele. Teu troco vem ano que vem!

Os comentários estão fechados.