Flávio Dino praticamente triplicou valor de “calote” em fornecedores do MA

Nas alturas

Da coluna Estado Maior

Um fato chamou especial atenção de fornecedores do Governo do Maranhão na a entrevista que concedeu o governador Flávio Dino (PCdoB) à Folha de S. Paulo, publicada na segunda-feira, 7.

Em determinado ponto, o comunista admite “algum atraso de fornecedores, mas nada alarmante”.

Após uma rápida pesquisa no Portal da Transparência do Maranhão, percebe-se que o conceito de “alarmante” do governador maranhense pode não ser o mesmo do homem médio – muito menos dos fornecedores com faturas em atraso.

Segundo dados oficiais, a atual gestão estadual entrou o ano de 2018 com mais de R$ 807 milhões de restos a pagar – ou seja, débitos não quitados do ano anterior -, quase R$ 200 milhões a mais que os R$ 624 milhões de 2017.

São valores que só aumentam ano a ano. Por isso, hoje estão nas alturas.

Em 2015, assim que assumiu o governo, Dino recebeu o Estado com restos a pagar da ordem de R$ 289 milhões. Quatro anos depois, o valor do “calote” em fornecedores praticamente triplicou.

Mas não é “nada alarmante”.

Aguardemos os dados de 2019, que estarão disponíveis para consulta pública em breve.


12 pensou em “Flávio Dino praticamente triplicou valor de “calote” em fornecedores do MA

    • Por falar em calote, a coisa também está é preta lá pela Caema, não pagam ninguém. Pra ter uma ideia até as terceirizadas que trabalham no desentupimento das redes coletoras de esgotos sanitários, um serviço de extrema urgência, não estão trabalhando porque os seus funcionários estão em greve por não receber os seus salários, fruto do longo calote que o Governo de Flávio Dino vem dando nas empresas contratadas. Um absurdo!

  1. Se forem levar à risca o que Flávio Dino deve a fornecedores e prestadores de serviço, o calote real monta quase R$ 2 bilhões. Eles vêm mascarando tudo e as empresas maranhenses quebrando. Pagam no conta-gotas ou nunca pagam, mas as “empresas amigas” na surdina recebem tudo. Já tenho pena das grandes empreiteiras rodoviárias que estão devendo Deus e o mundo e mesmo operando pra eles já estão com os seus capitais de giro e empréstimos bancários todos dentro do Estado e quem sabe até candidatas em breve a levar um baita calote, quebrando consigo várias terceirizadas e ficando inadimplentes nos bancos pra vida toda. Queria ver o que a secretária da Seolan e o secretário de Fazenda têm a dizer agora?

    Na Sinfra é só roubo dos comunistas. O MPF precisava fazer umas inspeções rotineiras naquilo. Nunca pensei.

  2. Esse cara é um irresponsável! Como pode isso? Qual é o problema de fazer um reajuste? Não era só manter o que estava ? Já que fica colocando a culpa na grave crise Federal? Preferiu foi encher a máquina pública de comunista amadores que não sabem nem ligar um computador.

  3. Em um Estado que um dos maiores pagadores é o próprio Estado, e este dá um “calote”, o Estado pára, o comércio míngua e os prestadores de serviço quebram.
    Triste Maranhão…

  4. Eles ficam inadimplentes com os fornecedores; não cumprem o que foi contratado; querem que as empresas cumpram religiosamente os contratos e lhes atendam com a máxima eficiência e em dia. E depois lhes dão o calote e ainda aplicam penalidades nas mesmas suspendendo de ser contratada pelo Estado. Pra depois justificarem junto ao público e ao TCE que o problema foi a empresa que faliu ou que não cumpriu o contrato!? Uma patifaria! Ato contínuo, como se não bastasse, colocam as suas empresas do peito pra operar, na cara de todo mundo, usando até contrato ilegal e diverso do anterior . É esse o retrato do governo republicano de Flávio Dino e de seus “adevogados”!

    Firmar contrato com o Governo do Estado hoje é um ato temerário e de altíssimo risco, quem está dendro reza pra sair e quem está fora corre de medo. Ninguém quer mais.

  5. Não esqueça de colocar nessa conta os valores dos precatórios, o tempo vai passando, esse comunista de propagandas mentirosas fica com esse discurso para sua galera curtir, outro ponto a ser questionado é até que mês conseguirá pagar os salários em dia. Se começar a atrasar os salários dos servidores, ficará pior que Rio Grande do Norte e Minas Gerais, louco é quem defende ou acredita no que ele diz no Twitter.

  6. Quanto mais o tempo passa, mais calote nas empresas esse governo irresponsável aplica.

    Flávio Dino não respeita a classe dos empresários que contratam com o Governo do Estado, pois tem todas as entidades que os representam no colo. O grande dilema dele é manter em dia o pagamento da folha de pessoal, porque o resto ele embroma, embroma, embroma, quebra as empresas, rola de ano a ano e não está nem aí. Nunca faz a drástica e necessária reforma administrativa como os outros estados quebrados estão fazendo cortando na carne, porque o desgaste político é imenso e vêm aí eleições. Já está no fio-da-navalha! Quero só ver até que mês de 2019 eles irão suportar essa situação desesperadora e muito preocupante pra todos nós maranhense?

    • Significa dizer que os fornecedores e os prestadores de serviço do estado estão financiando a irresponsabilidade fiscal e a incompetência administrativa de Flávio Dino. Ou seja, os salários do funcionalismo público estadual só estão mais ou menos em dia por causa desse vergonhoso calote. Também mais uma pedalada fiscal do governo de todos nós!!

  7. Seria interessante fazer um cruzamento de dados entre os servidores comissionados nomeados pelo governo estadual com a listagem de filiados ao PC do B, no site do TSE. De acordo com o estatuto do partido eles são obrigados a contribuir mensalmente a “título de contribuição”. Uma forma de arrecadação partidária em detrimento do erário público.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *