‘Considero soldados’, diz Adriano sobre petição de formados em curso da PMMA

O deputado Adriano Sarney (PV), líder da Bancada de Oposição, lançou nesta quinta-feira, dia 11, uma ação inédita na Assembleia Legislativa. O deputado pôs em suas redes sociais uma petição online (http://bit.ly/NomeacaoJa), que visa arrecadar assinaturas em prol dos 1.800 policiais militares concursados que protestam em frente ao Palácio dos Leões, sede do governo comunista, reivindicando a nomeação e, ao mesmo tempo, cobrando uma promessa de campanha do governador Flávio Dino (PCdoB). Até o fim da tarde o número de assinaturas passava de cinco mil.

“Eu os considero, de fato, soldados da Polícia Militar, pois foram aprovados em concurso público, realizaram o curso de formação e aperfeiçoamento e muitos deles largaram emprego na confiança de que seriam nomeados, pois durante o curso recebiam custeio e dispunham de contra-cheque comprovando o vínculo com o Estado. Entretanto, eles foram surpreendidos pela atitude do governo comunista, foram exonerados e colocados como cadastro de reserva. Ocorre que o governador prometeu durante a sua campanha à reeleição contratar os mais de três mil aprovados no concurso de 2017, mas acabou contratando apenas 1.200 concursados”, relatou Adriano.

O deputado ressaltou ainda que há cerca de 200 policiais militares que lutam na Justiça, isto é, estão sub judice, oriundos do concurso público de 2012, esperando uma definição do governo. O documento, idealizado por Adriano tem como meta mostrar ao governador que a população maranhense apoia a nomeação de cerca de 2 mil policiais. “Estamos falando de uma questão que não tem cor partidária ou grupo político, que é a segurança pública. Mais policiais, mais segurança. O próprio governador falou muito isso”, disse o deputado.

Adriano lembrou que o governo vem alegando aos concursados que falta previsão orçamentária para nomeá-los, mas que este argumento não faz sentido pois há sempre possibilidade de realocar recursos de outras pastas do Executivo. “O orçamento da Secretaria de Governo é de R$ 73 milhões por ano e não se sabe exatamente o que faz esta secretaria. Para a Comunicação os recursos chegam a R$ 63 milhões por ano. Há também outras secretarias recém-criadas, pois este é o governo mais inchado do país, com mais secretarias estaduais. Portanto, não há justificativa plausível para o governo não atender a reivindicação dos policiais concursados”, afirmou.


4 thoughts on “‘Considero soldados’, diz Adriano sobre petição de formados em curso da PMMA

  1. Parabéns ao deputado pela sua coragem e apoio a esta causa que é de todos os maranhenses. Nós sofremos todos os dias com o aumento da violência e esse governo tem a cara de pau de dizer que está tudo uma maravilha.

  2. Que tivéssemos mais Deputados da estirpe do Adriano, pois o maranhense tem a sensação que tá tudo dominado: o judiciário mais parece um puxadinho do Palácio dos LEILÕES; a justiça tem dado todas as causas ganhas ao comunista; o Ministério Público não investiga nada, parece ter uma mordaça ou acordos sombrios; as polícias, pelo menos é o que sentimos, são subservientes do bonito de corpo… Quem poderá nos defender? 😔

    Talvez o povo já tenha percebido que eram felizes e não sabiam.

  3. Gilberto Leda, posta a reunião do Edilazio com os moradores da Península, para que as pessoas vejam o quanto o Deputado é preconceituoso, soberbo e racista. Mas o que esperar de um integrante do clã? desses pode vir alguma coisa que preste?

  4. Exclusivo: 🤐Lobão Filho arrenda Difusora para Weverton Rocha e fecha apoio ao Pdetista para o Governo do Maranhão em 2022. Caso Flávio Dino não emplaque para presidência, Weverton Rocha será o candidato ao governo com ou sem a aprovação do atual governador do Maranhão. 🤐 Weverton Rocha envia Kariadine para conversar com Maura Jorge a convidando para uma possível união em 2022. 🤐 Políticos da Oposição do Maranhão reuniram-se em Brasília com objetivo de unir forças em torno de um projeto de unidade em torno do nome que estiver mais consolidado em 2022 ( Roberto Rocha, Hildo Rocha, Maura Jorge).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *