Roberto Rocha deve relatar projeto sobre divisão do Maranhão

O senador Roberto Rocha (PSDB) deve ser o relator do Projeto de Decreto Legislativo nº 509/2019, que propõe a realização de um plebiscito sobre a separação do Maranhão, com a consequente criação do Maranhão do Sul.

A proposta, de autoria do senador Siqueira Campos, do DEM do Tocantins, já está na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado.

Se aprovado, o projeto obrigará o Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão (TRE-MA) a realizar o plebiscito.


2 pensou em “Roberto Rocha deve relatar projeto sobre divisão do Maranhão

  1. A princípio seria muito bom, porém tem que se ver a questão do impacto econômico para o Estado. No entanto a proposta tem meu apoio, por acreditar que seria melhor para essa parte esquecida pelo governo do Estado; tendo em vista que o pior sistema educacional e saúde preventiva está aqui região.

  2. Moro em Balsa e apoio a proposta para que nossa região não seja esquecida e que possomos ter cidades com maior qualidade de vida para a sua população

  3. Muito melhor, afinal, o Maranhão sempre foi de oligarquias e essa que está começando agora, a Dinoquina, não vai dar para aguentar maus 50 anos.
    Ao menos, teremos opção de migrar pra uma segunda alternativa.

  4. Miséria NÃO SE DIVIDE, o que deve ser dividido, são riquezas. O Maranhão SEMPRE foi o estado mais miserável da Federação, alguns bandidos travestidos de parlamentares criaram uma quantidade enorme de municípios que, POR NÃO PRODUZIREM ABSOLUTAMENTE nada, vivem do Fundo de Participação dos Municípios ( uma espécie de Bolsa Família ). O Velho Siqueira Campos de cima dos seus mais de DUAS DEZENAS de processos por malversação de verbas, peculato, extorsão e outros casitos de menor monta, DEVE SABER o que faz. Quanto ao ROUBerto Rocha, dependendo de quanto for a “coleta” arrecadada pelos sojeiros , todos ALIENÍGENAS, o “parecer” já está concluso. Enquanto isso, o velho , bom e saudoso Luis Rocha , revira-se no túmulo, que por sinal, não é “visitado” há décadas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *