Contrário à prisão em 2ª instância, Dino exonerou Bardal sem julgamento

Atualmente contrário à prisão após condenação em segunda instância, o governador Flávio Dino (PCdoB) assinou, em junho deste ano, ato de exoneração do ex-delegado da Polícia Civil, Tiago Bardal, antes da apreciação de todos os recursos do mesmo.

Bardal – acusado de envolvimento em esquema de contrabandos divulgado pela Secretaria de Segurança Pública (SSP) em fevereiro do ano passado – segue preso apenas de forma preventiva. Mas já está oficialmente fora dos quadros da Polícia Civil.

_______________Leia mais
Flávio Dino premiou Thiago Bardal

O chefe do Executivo assinou o documento um dia antes de o delegado ser autorizado a ir a Brasília para depor na Comissão de Segurança da Câmara dos Deputados.

À época, o Governo do Maranhão informou que a demissão ocorrera com base nas apurações da Superintendência Estadual de Prevenção e Combate à Corrupção (Seccor).

Aliados de Flávio Dino também corroboraram a tese governista e pré-julgaram o delegado antes da conclusão do processo. Expressões como “bandido” foram usadas por pessoas próximas ao governador, para se referir ao ex-delegado.


3 pensou em “Contrário à prisão em 2ª instância, Dino exonerou Bardal sem julgamento

  1. Pois é, DINÓQUIO sorvetao fala tanto em democracia, Constitucionalidade, paz e amor…, enquanto mete a faca nos outros sorrindo. Agora quando é os ladrões de estimação dele, aí é tudo o contrário!
    Um verdadeiro lôbo safado travestido de ovelha, típico dos comunistas vorazes.
    A casa já caiu, seu DINÓQUIO safado. Assim como na Bolívia, Venezuela, no Brasil não foi diferente pra vcs esquerdocaviar. Vai pras ruas pra vcs ver em o que vai acontecer. BOLSONARO vai usar o artigo 142 da constituição, palavra que tu tanto usa para os incautos…, só que dessa vez vai ser contra vcs terroristas.

  2. Culpa do secretário Portela que pensa que é juiz antecipando condenações de pessoas.
    Tenho certeza que o poder judiciário com sua independência funcional será imparcial no julgamento das acusações envolvendo o delegado Bardal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *