Adriano: ‘Gasolina custaria R$ 2,90 se Dino aceitasse desafio de Bolsonaro’

No início da semana passada, o presidente Bolsonaro propôs zerar os tributos federais dos combustíveis em todo o Brasil caso os governadores fizessem o mesmo com o ICMS (Imposto sobre Operações relativas à Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços) de seus Estados (reveja).

No Maranhão, o preço seria quase a metade do valor atual. Um posto que cobra R$ 4,89, passaria a cobrar R$ 2,90, uma redução de 40%. Vale lembrar que, a Folha de S. Paulo publicou que, praticamente 1/3 de tudo que o Estado arrecadou em 2019 veio da comercialização de combustíveis, um total de 30,98%.

O deputado constatou in loco o preço exorbitante da gasolina em São Luís.

Veja o vídeo:


9 pensou em “Adriano: ‘Gasolina custaria R$ 2,90 se Dino aceitasse desafio de Bolsonaro’

  1. Bolsonaro nao zerou os impostos federais sobre os combustíveis. Isso não he desafio. Desafio he quando você faz primeiro e ahi desafia a outra parte a fazer o mesmo que você fez. Quando você desafia e quer que a outra parte faça primeiro, ahi não he desafio he blefe.

    Edvaldo

  2. Parabéns por entrar nessa mobilização! Tirando ICMS dos combustíveis vai sobrar dinheiro no bolso do motorista que o gastará com outros produtos que possuem ICMS. O estado não perde nada. A decisão será salutar para o consumidor/eleitor.

  3. Flávio Dino nunca vai ser Presidente do Brasil depois dessa, Governador que mais cobra impostos no Brasil, com essa propaganda o povo do Brasil não vota nele, só falar que o Flávio Dino cobra o imposto mais caro, esse não ganha votos.

  4. Pingback: Adriano: ‘Gasolina custaria R$ 2,90 se Dino aceitasse desafio de Bolsonaro’ – Osvaldo Maya

  5. E eu pergunto ao deputado Adriano. Ele, como governador, aceitaria retirar o ICMS dos combustíveis? Se sim, qual imposto ele iria aumentar para compensar a perda de receita gerada pela medida?
    Engraçado que essa galera quando não tá dentro da “parada” adora jogar para a plateia mas D U V I D O que se fosse ele, aceitaria fazer isso.
    Por essas e outras que a política é algo podre

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *