Covid-19: PGR nega interferência de Aras em ofícios a governadores

Foto: Gabriela Biló / Estadão

Estadão

Depois de distribuir ofícios a todos os 27 governadores, cobrando informações sobre a desativação dos hospitais de campanha e o uso de verbas públicas na pandemia (saiba mais), a Procuradoria Geral da República (PGR) minimizou o movimento e disse nesta quarta-feira, 21, que ‘cumpre seu dever de fiscalizar’ e que as notificações a agentes públicos fazem parte da rotina da instituição.

“É dever da CCR [Câmara de Direitos Sociais e Fiscalização de Atos Administrativos em Geral] velar por atos, contratos e aplicação de verbas públicas, e fiscalizar e controlar a correta destinação de recursos públicos federais nas áreas de saúde e educação”, diz a nota institucional.

Os governantes foram notificados após a instalação da CPI da Covid no Senado, que vai investigar a atuação e possíveis omissões do governo Jair Bolsonaro na crise sanitária. Foram requisitados esclarecimentos complementares depois que uma primeira leva de informações foi considerada ‘insuficiente’ ou ‘incompleta’ pelo Ministério Público Federal.

“A fiscalização, que é dever do órgão superior do Ministério Público Federal, não começou na semana passada”, segue a PGR. “Em outra linha de atuação, na esfera criminal, a PGR investigava oito governadores desde o início da pandemia.”

Nos documentos, a subprocuradora-geral da República Lindôra Araújo pede esclarecimentos sobre o uso de repasses federais. Recentemente, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), em guerra com governadores e prefeitos desde o início da pandemia, levantou desconfiança sobre supostos desvios de recursos da Saúde. No final de fevereiro, o presidente chegou a publicar nas redes sociais uma lista com valores enviados pela União para cada Estado em 2020.


4 pensou em “Covid-19: PGR nega interferência de Aras em ofícios a governadores

  1. Como não pode?se deixar por conta das Assembleias de cada Estado,TODAS o governador tem maioria devido “favores aos Deputados”.A PF já fez mais de 60 operações por desvios de recursos da Covid em vários Estados.No Pará foi preso o Secretário de Saúde e o Chefe de Gabinete do Governador que,pasmem!!! tem o pai(velho conhecido por desvios de recursos e já foi preso pela PF)na CPI da Covid.Gente!!! esse País tem que mudar,por favor.

  2. A PGR nega a interferência da PGR. Só rindo. Está escancarado para tido mundo ver o quanto o PGR não passa de capacho de Bolsonaro para assumir uma vaga no STF e do que a procuradora Lindôra, que é bolsonarista, não está fazendo para ser a nova PGR. Isso é um escândalo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *