MPF arquiva denúncia contra Bolsonaro por ‘guaraná cor-de-rosa’ e ‘boiola’

O Ministério Público Federal (MPF) arquivou notícia de fato apresentada por parlamentares e uma ativista de esquerda contra o presidente Jair Bolsonaro (PL) por declarações supostamente homofóbicas durante uma passagem pelo Maranhão em outubro de 2020.

“Agora, eu virei boiola. Igual maranhense. É isso? Guaraná cor-de-rosa do Maranhão. Aí, quem toma esse guaraná aqui vira maranhense”, disse o presidente, ao tomar o refrigerante em Bacabeira.

Por conta disso, ele foi denunciado por duas deputadas federais, uma estadual um deputado distrital, duas vereadores e uma ativista – todos de esquerda.

O procurador Aldo de Campos Costa, no entanto, não viu motivos para levar adiante o procedimento e negou-se a abrir inquérito. Segundo ele, a fala não teve como objetivo atacar a comunidade LGBTI+, nem o povo maranhense.

“Das falas impugnadas, não se extrai o objetivo de fazer com que determinados grupos de indivíduos sejam reprimidos, dominados, suprimidos ou eliminados. À luz dessas circunstâncias, conclui-se que as afirmações lançadas no expediente não consubstanciam ofensas discriminatórias de caráter negativo e, em virtude disso, não estão inseridas no conteúdo proibitivo da norma em questão”, destacou.

Um das autoras de pedido do MPF, a deputada federal Fernanda Melchionna já declarou que recorrerá.

Com informações do colunista Lauro Jardim, do jornal O Globo.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.