Simplício Araújo faz análise dos cenários político e econômico em coletiva especial

Com pré-candidatura confirmada ao governo do estado em 2022 – e um dos favoritos na disputa eleitoral -, Simplício Araújo fará uma coletiva especial nesta quinta-feira (17), a partir das 19h30, via YouTube, Facebook e Instagram.

Presidente do Solidariedade e secretário de Estado de Indústria e Comércio (Seinc), Simplício Araújo irá realizar uma coletiva sobre “Os desafios do Maranhão”, em que fará uma análise sobre os cenários político e econômico do Estado.

“Será um momento importante para discutirmos a conjuntura política e econômica do Maranhão, debatendo juntamente ao público sobre quais os principais desafios do Estado e como podemos seguir neste importante ritmo de desenvolvimento”, pontuou o secretário.

Acompanhe a live nos principais veículos de comunicação da sua região ou pelas redes:

Instagram: @simplicioaraujo // https://www.instagram.com/simplicioaraujo/;

Dino pegou PCdoB ‘de surpresa’ ao pedir para sair logo, diz O Globo

A decisão do governador do Maranhão, Flávio Dino, de pedir desfiliação do PCdoB (saiba mais), surpreendeu e provocou mal-estar na cúpula do partido, diz reportagem de O Globo.

“Em reunião com a direção da legenda, o governador havia se comprometido a esperar a votação das mudanças de regras eleitorais na Câmara”, destaca a publicação, lembrando falas do próprio ex-comunista sobre o assunto.

Na sexta-feira, 11, Dino disse  ao próprio O Globo que só tomaria qualquer decisão sobre o seu futuro político quando as regras eleitorais para 2022 estivessem claras, e que a eventual aprovação do modelo de federação partidária abriria um “cenário novo, que demanda novas avaliações”.

Manuela e outras lideranças do PCdoB, como o deputado federal Orlando Silva (SP), têm defendido a prioridade da tentativa de aprovar a federação partidária na Câmara, e que uma futura conversa com o PSB envolva um consenso interno no partido. Em suas redes sociais, a ex-deputada lamentou a saída de Dino:

“Lamento a saída de meu amigo Flávio Dino do PCdoB. Sei que nos encontraremos na luta em defesa de um Brasil justo e desenvolvido”, escreveu Manuela, que também comentou sobre a possibilidade de sua desfiliação. “Alguns me perguntam e especulam sobre o meu destino: não acredito em saída individual para dilemas coletivos”.

Auxílio Cidadão: Prefeitura de Ribamar investe R$ 3,6 mi no combate à fome

Será realizado nesta sexta-feira (18), a cerimônia de lançamento do auxílio cidadão de São José de Ribamar. O lançamento ocorrerá na Biblioteca Pública Municipal, localizada ao lado do prédio da prefeitura.

O auxílio emergencial da prefeitura de São José de Ribamar beneficiará famílias de baixa renda e é uma forma de amenizar a difícil situação que muitas famílias tem enfrentado, devido à pandemia do novo coronavírus.

A prefeitura investirá 3,6 milhões de reais em recursos próprios para garantir o benefício para 4.829 famílias, pois, atenderam aos critérios estabelecidos para garantir o auxílio de R$ 120,00.

O intuito é garantir o benefício a 10 mil famílias, mas para isso, após três meses, será realizada uma nova consulta ao CADÚnico Nacional para incluir novas famílias e contemplar novas pessoas, possibilitando ao povo ribamarense enfrentar essa crise sanitária.

Onde estão as 108 mil vacinas a menos que São Luís deveria ter recebido?

O secretário de Saúde de São Luis, Joel Nunes Júnior, reafirmou há pouco, em contato com o Blog do Gilberto Léda, que sua pasta tem em mãos todas as notas de entrega de doses de vacinas enviadas à capital pelo Governo do Estado.

Segundo a contabilidade do Município, os documentos comprovam que foram recebidas, até agora, apenas 662.605 doses. “Que é a informação que consta do nosso vacinômetro”, disse ele.

Apesar disso, a Secretaria de Estado da Saúde (SES), que é quem repassa as vacinas oriundas do Ministério da Saúde, afirma que já foram entregues 771.416 – embora o Localiza SUS, sistema do governo federal, informe 750.254.

A crise sobre os números foi instalada depois de o próprio Joel Júnior cobrar publicamente da SES o envido das doses faltantes (reveja).

No total, a diferença entre o que São Luís diz ter recebido, e o que o Estado afirma ter repassado, equivale a 108.811 doses.

Há uma forma simples de se comprovar quem fala a verdade: a Prefeitura apresenta suas notas de entrega, e o Estado apresenta comprovantes de que repassou todas as doses que recebeu do Ministério da Saúde.

Ufma convoca para depor 352 suspeitos de fraudar cotas raciais

A Universidade Federal do Maranhão convocou 352 alunos de seus cursos – alguns já formados – para provar o direito de entrar na faculdade por intermédio das cotas raciais disponíveis.

A informação é do Blog do Marco D’Eça.

A universidade já investigava um grupo de sete alunos desde o início de 2020 – todos suspeitos de fraudar cotas – e, após uma campanha de denúncia nas redes sociais, novos processos começaram a ser abertos para investigação (saiba mais).

Segundo relatos da OAB-MA e do Ministério Público Federal (MPF), foi identificada na Ufma a chamada “afrodescendência de conveniência”, quando brancos utilizam medidas cosméticas para se passar por negros.

“Até bronzeamento artificial, cacheamento de cabelos e mudanças no aspecto do nariz são feitos para fraudar as cotas”, diz um relatório da Comissão de Heteroidentificação criada pela Ufma.

SES diz que ‘não tem pé nem cabeça’ crítica de SLZ sobre doses de vacinas

O secretário de Estado da Saúde, Carlos Lua, declarou que não procede a denúncia do secretário de Saúde de São Luís, Joel Júnior, de que o Governo do Maranhão passou mais de 24h sem responder um pedido da Prefeitura para liberação de doses de vacinas contra a Covid-19 destinadas à capital.

Segundo Lula, a reclamação “não tem pé nem cabeça”.

“Não vou ficar brigando com o município. Entregamos todas as doses enviadas pelo Ministério da Saúde destinadas ao município de São Luís. Segundo dados do Ministério da Saúde, a prefeitura de São Luís recebeu 771.416 doses e aplicou 542.605 doses”, declarou o titular da SES ao blog do jornalista Diego Emir.

A Prefeitura de São Luís, no entanto, registra 662.605 doses recebidas, e 639.391 aplicadas.

Pelo visto, a briga política vai acabar mesmo atrapalhando a vacinação na maior cidade do Maranhão.

Governo do MA atrasa entrega de vacinas a SL, mas tem estoque de quase 400 mil doses

Informação do Ministério da Saúde

Intrigante, para dizer o mínimo, a revelação do secretário de Saúde de São Luís, Joel Júnior, de que o Governo do Maranhão passou mais de 24h sem responder um pedido da Prefeitura para liberação de doses de vacinas contra a Covid-19 destinadas à capital.

Por conta disso, afirma o titular da Semus, a campanha de imunização na cidade precisou ser atrasada hoje, 17, e amanhã, 18 (saiba mais).

E a informação é intrigante quando se comparam os dados do Ministério da Saúde e os da Secretaria de Estado da Saúde (SES) no que diz respeito à distribiuição das vacinas.

O governo federal informa o envio de 3.437.900 doses ao Maranhão (veja acima).

Já o governo estadual diz que distribuiu aos municípios apenas 3.059.080 doses (veja abaixo). Ou seja: há aproximadamente 400 mil doses estocadas.

E mesmo assim o governo, segundo a Semus, consegue atrasar entregas na capital….

São Luís reclama de demora na entrega de vacinas pelo governo Dino

O secretário de Saúde de São Luís, Joel Júnior, reclamou hoje (16), em entrevista à TV Mirante, que o governo Flávio Dino (PCdoB) está atrasando a entrega de doses de vacina contra a Covid-19.

Segundo ele, por conta dessa demora, a vacinação, que vinha sendo feita em duas idades por dia, amanhã, 17, será feita apenas em uma idade.

“A determinação do prefeito Eduardo Braide é que tenhamos vacinação em massa em São Luís, mas para isso é preciso que tenhamos vacinas. Ontem já fizemos um pedido ao Governo do Estado para que sejam repassadas as vacinas que são destinadas ao município de São Luís, mas até o momento não tivemos resposta e por esse motivo mudamos o cronograma de vacinação, vacinando na quinta-feira as pessoas com 23 anos e na sexta as pessoas com 22 anos”, informou Joel Nunes.

Por onde andam os ‘defensores da educação’ da Uema?

O ano era 2019, primeiro de Jair Bolsonaro (sem partido) à frente da Presidência da República.

Sob o pretexto de reagir ao contingenciamento de orçamentos de universidades e institutos federais, ocorreram protestos em todos os Estados do país.

Em São Luís, estudantes e professores da Uema – que não teve nenhuma verba contingenciada pelo governo federal, já que é estadual – organizaram-se para participar dos protestos nacionais.

Estamos agora em 2021.

Desde o fim do mês de maio, o deputado César Pires vem denunciando cortes no orçamento (vejam só!) da Uema.

Segundo o parlamentar, a “tesourada” neste ano já chegou aos R$ 100 milhões (saiba mais).

Até hoje não se viu nem mesmo um esboço de reação dos “defensores da educação” da Uema.

Duplo padrão, como sempre…