Seminário em São Luís “fecha o ciclo de uma ação pioneira”, diz Junior Marreca

O presidente da Federação dos Municípios do Estado do Maranhão (FAMEM), prefeito Junior Marreca, é um dos mais empolgados com a chegada da edição de São Luís do Seminário Regional de Lideranças, nesta quinta-feira (18), no Centro de Convenções Pedro Neiva de Santana.

Para ele, a chegada das discussões municipais à capital, após a passagem por 10 regionais no interior do estado, são o “fechamento de um ciclo muito proveitoso”. O presidente da FAMEM destacou que a ação do Governo do Estado, pioneira por sinal, aproximou os municípios do poder público.

“O evento de São Luís representa, para nós da FAMEM, o fechamento de um ciclo, muito proveitoso por sinal. Esta foi uma iniciativa pioneira, que levou o Governo do Estado e as instituições executoras de projetos para perto dos municípios, que são, em última análise, o destino final das ações governamentais”, avaliou Marreca.

A expectativa é que participem várias lideranças de todo o Maranhão, prefeitos dos 217 municípios maranhenses, além de deputados, vereadores, lideres comunitários e a população em geral.

Confira abaixo a programação do evento.


4 pensou em “Seminário em São Luís “fecha o ciclo de uma ação pioneira”, diz Junior Marreca

  1. Mais uma BOMBA vinda de Santa Luzia do Paruá. Gilberto, como se não bastasse os desmandos do prefeito de Santa Luzia do Paruá com nossa saúde, que está inclusive sendo investigada pela PF por suspeita de desvio em um esquema montado pelo prefeito Nilton Ferraz e pelo agiota Pacovan que incluia a suposta compra de remédios atravéz da FUTURA MED, agora os professores da rede municipal de ensino estão de greve. O prefeito Nilton Ferrza se nega em repassar o abono do FUNDEB, relativo ao ano de 2010. Ele alega que o dinheiro foi usado para pagar a previdencia (SANTA PREV), fato que foi desmentido com uma simples pesquisa que nos mostrou que a previdencia de muitos professores nunca fora paga. Tem ainda o PASEP e de feriás que o prefeito Nilton Ferrza diz que não paga de forma alguma. O movimento grevista tem apoio de toda a categoria de servidores do municipio, sendo professores ou não. Tem ainda a reivindicação das “amigas da cidade”, que são senhoras responsáveis por varrer as ruas de nossa cidade que tem salário de 30 reais e ainda assim está atrazado.Todas as reivindicações já foram encaminhadas atravéz de oficio para a prefeitura que ainda não sinalizou de forma alguma interesse em negociar com a categoria, ameaçando ainda de demissao e de transferencia de local de trabalho aqueles que apoiarem a paralização.

    • Permita-me discordar. Pode até ser que ele tenha justificado o não pagamento de abono por causa de uma falcatrua. Mas, em verdade, os prefeitos não têm obrigação de pagar abono de 2010 com os recursos oriundo dos extras do FUNDEB pagos este ano. Esse dinheiro que entrou em 2011, embora seja decorrente de recálculo das receitas do ano passado, deve ser contabilizado este ano, portanto, fazer parte da divisão 60% / 40% deste ano.
      Grato pela participação

Os comentários estão fechados.