Processo que aponta “fraude” em notas na UFMA está parado desde 2003

Está parado desde fevereiro de 2003 – há nada menos que nove anos, portanto – o processo administrativo em que o professor do curso de Filosofia Wildoberto Bstista Gurgel, o Ayala Gurgel, denuncia suposta “fraude” no lançamento de notas na Universidade Federal do Maranhão (UFMA).

Segundo o professor, em seis casos, alunos que foram reprovados apareceram, posteriormente, com notas que os credenciavam a passar na matéria.

___________________Leia mais

Fraude em notas pode ter acontecido também na UFMA

Dados do Sistema Integrado de Patrimônio, Administração e Contratos (SIPAC) da UFMA mostram que Ayala Gurgel deu entrada na contestação das notas desses seis alunos no dia 14 de março de 2002.

Quase um ano depois, no dia 4 de fevereiro de 2003, a denúncia foi despachada para a Secretaria dos Colegiados Superiores. E lá adormece desde então.

“No caso que levei ao CONSUN, alunos que não fizeram provas tiveram notas lançadas e outros reprovados aparecem como aprovados. Já ministrei aula no CEUMA. Nunca um aluno que ficou reprovado comigo foi aprovado à minha revelia. Já na UFMA aconteceu seis vezes”, revelou o professor, semana passada, em sua página no Twitter.


4 pensou em “Processo que aponta “fraude” em notas na UFMA está parado desde 2003

  1. Meu caro porquê vc não fala a fonte sei quem primeiro publicou foi o blogueiro Hugo FREITAS ANTES DE VC SE INTITULAR COLOQUE OS CREDITOS.

    • Neuton, pra começo de conversa: quem é Hugo Freitas? E depois: em algum momento eu disse aqui que publiquei o post em primeira mão?

Os comentários estão fechados.