Desembargadores se exaltam e batem boca no TJMA

Por maioria, TJ decidiu uniformizar entendimento contra concessão de 21.7% a servidores estaduais

Os desembargadores Marcelo Carvalho e Paulo Velten se exaltaram hoje (14) durante a conclusão do julgamento de Incidente de Resolução de Demanda Repetitiva (IRDR) suscitado pela Procuradoria Geral do Estado (PGE) para que a Corte uniformizasse o entendimento das Câmaras Cíveis Reunidas acerca da improcedência de ações com o objetivo de implantar esse reajuste nos contracheques dos trabalhadores.

A tese defendida pelo Governo Flávio Dino (PCdoB) foi a vencedora – entenda aqui o que pode acontecer agora com os servidores estaduais.

Durante a votação, o relator do caso, Paulo Velten, reclamou da demora para a finalização do julgamento, numa espécie de crítica aos três pedidos de vistas feitos no processo. Ele votou a favor do corte dos 21,7%.

O Marcelo Carvalho, um dos que haviam pedido vistas, reagiu. Exigiu respeito e disse que representará contra Velten no Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

No curto vídeo abaixo, é possível perceber que Carvalho exige respeito e emenda: “Eu sou um juiz de carreira”, numa provável referência ao fato de que Paulo Velten era advogado antes de ser alçado ao posto de desembargador.

O relator, por outro lado, repetia a todo momento: “eu estou com a palavra”, e pedia que a presidência garantisse sua fala.

 


14 pensou em “Desembargadores se exaltam e batem boca no TJMA

  1. Pensão para ex-governador é legal por que está inserido na Constituição esse direito, mas é imoral pois são apenas quatro anis de contribuição. Isso aí o Ministério Público não vê, muito menos o TJ. Hoje o servidor não pode vender suas férias mas os magistrados podem. O servidor comissionado é obrigado a trabalhar 8 horas diárias, mas, constantemente, no diário oficial é publicada a concessão de horas extras e diárias. Por outro lado, os julgamentos no TJ são demorados mas o desembargador relator estava ansioso pelo encerramento da votação. Com esperança em Deus um dia nós servidores seremos respeitados.

  2. Esse paulo velten só chegou ao tribunal graças a politicagem de Roberto rocha e aderson lago, que forçaram jackson lago nomear ele. E agora fica querendo ser o tal. Marcelo carvalho tá certo em dar essa estocada nesse playboi.

  3. EU VENHO DENUNCIANDO A TEMPO QUE NO TJ TEM VARIOS DESEMBARGADORES SUSPEITOS DE JULGAREM PROCESSO DO GOVERNO FLAVIO DINO POR TER MUITO TRAFICO DE INFLUENCIA ,NUNCA, VÃO JULGAR PROCESSO CONTRA O GOVERNO DINO MESMO APARTE TENDO RAZÃO.ISSO TEM QUE SER DENUNCIADO NO CNJ .CORREGEDORIA NACIONAL DE JUSTIÇA, PAULO VELTEN. CLEONES CUNHA SÃO UNS DO LADO DE FLAVIO DINO ISSO É UM ABSURDO .DIGO PORQUE É 1000 POR CENTO VERDADE

  4. Será que um juiz de carreira é mais competente do que um advogado militante nas varas judiciais ? Duvido.Este enfrenta diversos problemas no dia dia dos
    tribunais praticam justiça enquanto o juiz de carreira é apenas um teórico.

  5. No caso em comento, o juiz julgou à luz da lei, enquanto o Desembargador Advogado fez sua parte, defendeu com afinco os interesses do seu patrão, nessa contenda o Governo do Estado que conseguiu reverter uma situação já consumada, inclusive com um Incidente de Uniformização julgado por esse mesmo TJMA no ano de 2013, simplesmente rasparam o NCPC, mas, não é de assustar, mais um capítulo de COISAS DO MARANHÃO.

  6. Esse Quinto Constitucional em todas as esferas dos Tribunais foi uma verdadeira “furada”. Os advogados indicados sempre estão a serviço do governo indicador ou seu grupo político. Sem falar que, sem noção alguma da tarefa de julgar, já que não foram juizes de base, fazem cada presepada.

  7. Sem duvida, um juiz de carreira é mais competente e experiente que um advogado, principalmente em se tratando de uma já Desembargador.

  8. Velten foi sócio de Italo Azevedo, um dos donos de escritório de advocacia que mais ganha em contratos no Governo Flávio Dino! E quem paga o pato é o servidor público estadual!

  9. Juiz teórico, e as comarcas por onde passou? Sabe de nada incompetente. Esse juiz que não passou em concurso tal de Paulo está usando gravata vermelha dando a entender que é comunista.

  10. Um circo de vaidades.
    A afirmação “juiz de carreira” não diz muita coisa.
    A expressão “estou com a palavra” muito menos.
    Apenas digam o voto e pronto. A maioria vence.
    O resto é interesse contrariado.

  11. Canalhas pomposos,hipócritas miseráveis, hienas imorais capazes de matar e chorar no velório. O povo sofre constante traições de maneira que : a chibata dos capatazes deixam cicatrizes profundas e arrancam a coragem e a disposição de lutar do coração seus escravos,ainda que hoje o chicote seja invisível.

Os comentários estão fechados.