Contrabando: juiz federal revoga prisões de Bardal e mais sete acusados

O juiz Luiz Régis Bomfim Filho, da 1ª Vara Federal Criminal no Maranhão, determinou hoje (30) a soltura de oito dos 13 acusados de intergar uma máfia de contrabando desbaratado no início do ano (saiba mais).

Foram beneficiados pela decisão – com pagamento de fiança de R$ 30 mil – o delegado Thiago Bardal, o ex-vice-prefeito de São Mateus Rogério Garcia, além dos PMs Luciano Rangel e Joaquim de Carvalho Filho.

Ao PM Fernando Paiva e ao coronel Francalanci, foi concedida liberdade provisória mediante fiança de R$ 15 mil.

Já Galdino Santos e Evandro da Costa Araújo foram soltos sem fiança. Todos terão que cumprir uma série de medidas cautelares (veja todas no despacho).

Coação

O caso ganhou especial notoriedade nas últimas semanas depois da revelação de que o policial militar Fernando Paiva teria sido sido coagido pelo secretário de Estado da Segurança, Jefferson Portela (PCdoB), a envolver o deputado estadual Raimundo Cutrim (PCdoB) e um segundo delegado da Polícia Civil em sua delação.

O militar já tinha firmado os termos da colaboração premiada, mas em depoimento na 1ª Vara Federal Criminal, acabou contado que havia sido forçado a envolver inocentes e sua delação acabou não sendo homologada.

Em coletiva de imprensa há dez dias, o MPF disse que as declarações de Paiva não tinham “credibilidade” (reveja). Um dia depois, em entrevista exclusiva ao Blog do Gilberto Léda, os advogados do PM garantiram que ele falou a verdade (relembre).

Jefferon Portela nega que tenha mantido qualquer contato com Paiva.


3 pensou em “Contrabando: juiz federal revoga prisões de Bardal e mais sete acusados

  1. Justiça feita.
    Depois que jeferson portela coagiu o policial militar a fazer uma suposta delação o próprio juiz federal enfim percebeu a perseguição desse secretario.
    Parabéns a justiça federal pela imparcialidade.

  2. Pingback: Justiça barra perseguição da SSP a delegado que defendeu Thiago Bardal - Gilberto Léda

  3. Pingback: Justiça barra remoção arbitrária do delegado de Paulo Ramos - Gilberto Léda

Os comentários estão fechados.