Prejuízo do MA com compras via Consórcio Nordeste passa de R$ 5 mi

Passa dos R$ 5 milhões o prejuízo do Governo do Maranhão com as malfadas compras de respiradores pulmonares via Consórcio Nordeste feitas em meio à pandemia do novo coronavírus.

Segundo revelou o Blog do Gilberto Léda ainda em junho, a gestão Flávio Dino (PCdoB) tentou efetuar duas compras por meio do colegiado de governadores nordestinos, mas não recebeu os respiradores em nenhuma delas.

Na primeira, o Estado pagou R$ 4,9 milhões por 30 respiradores que nunca chegaram (releia).

Na segunda, o governo pagou R$ 4,3 milhões, também não recebeu os respiradores – seriam 40 -, mas diz que foi ressarcido dos valores pelo consórcio (relembre). Agora, sabe-se que o ressarcimento foi feito com deságio (saiba mais).

No total, R$ 5,3 milhões de prejuízo, dos quais a oposição agora exige ressarcimento (leia mais).


8 pensou em “Prejuízo do MA com compras via Consórcio Nordeste passa de R$ 5 mi

  1. O Erro foi de quem Coordena o Consórcio ! O prejuízo foi pequeno considerando que o Maranhão foi um dos estados que melhor investiu no combate à pandemia . A aprovação do governador Flávio Dino deixa claro que a população entendeu o que aconteceu.

  2. Se os órgãos federais não atuarem nesse caso isso termina ficando no esquecimento. O povo sabe que a maioria dos membros da Assembléia Estadual sai coniventes com as atrocidades cometidas pelo governador. Principalmente o presidente da assembléia. Infelizmente o Maranhão vive tempos sombrios. Muda Maranhão, nossa bandeira jamais será vermelha.

  3. Esse consórcio dos LadroNordeste, ainda vai acabar com gente safada na cadeia …esses 9 Governadores são vasilhas, tão usando as vítimas da Covid de palanque pra 20/22.

  4. Gostaria de saber onde Edivaldo Holanda Júnior achou tanto dinheiro para no final do seu mandato fazer tantas obras? Na periferia ele asfalta somente as vias principais, o resto fica para o próximo prefeito.

  5. Pingback: Edilázio comenta prejuízo de R$ 5 mi do Maranhão com Consórcio NE - Gilberto Léda

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *