Associação médica aciona a Justiça contra ‘Revalida a Jato’ do MA

A Associação dos Médicos dos Socorrões I e II (Amess) protocolou na Justiça uma ação pela declaração de nulidade do “Processo Especial de Revalidação” de diplomas de médicos formados no exterior criado pelo governo Flávio Dino (PCdoB), o “Revalida a Jato”.

Liminarmente, a entidade pede a suspensão do edital, até julgamento do mérito pelo juiz Douglas de Melo Martins, da Vara de Interesses Difusos e Coletivos de São Luís, e será julgada pelo.

O Blog do Gilberto Léda apurou que se inscreveram para ter acesso ao processo 4.356 médicos formados fora do Brasil.

Segundo a Amess, a ação tem como objetivo “impedir que haja precarização da saúde”.

“O Edital nº 101/2020 PROG/UEMA acima citado, atenta contra a vida, a dignidade, a segurança, a saúde e contra o Sistema Democrático Republicano Brasileiro, pois afronta as regras relativas ao regular exercício da profissão médica no Brasil, especialmente as regras que tratam da revalidação de diplomas e dos requisitos para o exercício profissional”, diz um comunicado assinado pela presidente da Associação, Janaína Bentivi.

Veto

Na terça-feira, revelamos que o Conselho Regional de Medicina do Maranhão (CRM-MA) também já se insurgiu oficialmente contra o “Revalida a Jato” (saiba mais).

A entidade publicou nesta semana uma resolução vetando a participação de profissionais registrados na entidade na banca de avaliação do processo.

Segundo o CRM, quem infringir os termos da resolução, responderá “eticamente”. O conselho pretende barrar a participação até mesmo de médicos integrantes da Comissão Técnica de Medicina da Universidade Estadual do Maranhão (Uema).

A contratação de mais profissionais médicos tem sido uma das frentes de ação da gestão comunista para tentar garantir maior capacidade de atendimento da rede estadual durante a pandemia da Covid-19. No processo de busca de mão-de-obra, contudo, o Executivo tem experimentado alguns revezes.

No final do mês de abril, por exemplo, o juiz federal José Valterson de Lima, da 13ª Vara Federal Cível da Justiça Federal no Maranhão, indeferiu ainda um pedido de liminar protocolado pelo governo para que médicos formados no exterior, mas ainda sem revalidação de diploma, obtivessem registro profissional local (reveja).

Após essa derrota, a gestão comunista decidiu criar o “Revalida a Jato”, processo pelo qual médicos formados no exterior podem validar seus diplomas apenas apresentando documentos à Uema.

Desde sua divulgação, a medida encontrou forte oposição da classe médica e dos estudantes de medicina do Maranhão. E é contra ela que o CRM está disposto a punir médicos que integrem a banca de avaliação da universidade.


4 pensou em “Associação médica aciona a Justiça contra ‘Revalida a Jato’ do MA

  1. Pois não entendo como as entidades médicas querem interferir em um processo “acadêmico”.
    Entidades médicas como CRM e CFM defendem e sempre irão defender os interesses dos seus, que é a manutenção de uma reserva de mercado idiota e que no cenário da saúde atual atinge diretamente a vida das pessoas.
    A UEMA tem autonomia tanto para a formação acadêmica quanto para a revalidação de diploma.
    Esse vulgo termo de “revalidação a jato” citado acima tem apenas o intuito de desmoralizar um processo justo e que É UM DIREITO GARANTIDO pelo CNE.
    Me causa muito estranhamento o aparelhamento do governo junto às entidades médicas. Tanto evidenciado nas vagas oferecidas no site Carolina Bori quanto no acesso à uma revalidação justa diretamente nas universidades.
    Nenhuma outra profissão tem todo esse alarde e burocracia para revalidação. É visível e evidente que toda e qualquer sinalização de oferecer um programa é revalidação é alvo de boicote e ameaça das entidades médicas. O mesmo aconteceu quando foi instaurado o programa Mais Médicos ou será que vocês não se lembram da Dra. Mayra que atualmente está a frente do ministério da saúde defendendo o uso da cloroquina (que não tem evidência científica no tratamento do Covid19) ou quando as mesmas entidades médicas ameaçaram de retaliação aos médicos tutores do programa?
    Vocês realmente acham que esse aval no uso do hidroxicloroquina pelas entidades médicas não foi uma troca de favores do governo com as entidades médicas para boicotarem e dificultarem o ingresso dos egressos formados no exterior?
    Sabe qual o pior disso tudo? Sabe quem sofre com a manutenção dessa reserva de mercado?
    O povo. O povo do interior inassistido, onde o ego desses médicos que não querem sair dos grandes centros urbanos não chega. Vocês, como veículos de informação tem a obrigação de evidenciar a verdade e buscarem sempre uma visão mais ampla. Conto com vocês nessa missão.

    • Teoria da conspiração… kkkkk

      Cheguei a rir de tanta besteira escreveu em seu comentário.

      Revalida a jato mesmo… tornará médico quem não possui competência para tal. O resultado disso o povo vai saber: piora na qualidade prestada de atendimento, o que hoje, diga-se de passagem já não é a ideal.

    • Não duvida nada que o Raphael seja um dos beneficiados pelo revalida a jato… ou então tenha algum filhinho que se beneficiará… kkkk

Os comentários estão fechados.