Sousa Neto afirma que Flávio Dino abandonou Santa Inês

sousaneto

O deputado estadual Sousa Neto (PROS), denunciou em seu perfil, em rede social, o abandono do município de Santa Inês por parte do Governo do Estado.

Sousa considera que além da falta de investimentos na cidade, o governador Flávio Dino (PCdoB) acabou prejudicando a população ao não liberar as suas emendas parlamentares.

Ele disse que destinou R$ 1.675.000,00 que deveriam ser utilizados para a revitalização do mercado municipal; reforma do estádio Binezão; investimentos no Carnaval e no São João; implantação de uma academia de saúde pública, compra de duas ambulâncias; perfuração de poços artesianos; veículos para o Sétimo Batalhão da PM e três incubadoras neonatais.

Ele disse que Dino barrou as emendas por “ódio e ego pessoal”.

Acima, o posicionamento do parlamentar oposcionista.

“Aliados de Flávio Dino são privilegiados com convênios”, diz Andrea Murad

andreaMesmo inadimplentes, prefeituras aliadas ao governo Flávio Dino estão sendo priorizadas nos convênios junto à Secretaria de Estado da Cultura para o apoio às festas de São João deste ano. A denúncia foi feita pela deputada Andrea Murad que saiu em defesa das prefeituras prejudicadas, exemplo de Lago do Junco.

Ontem, o prefeito do município, Osmar Fonseca, e sua assessoria jurídica estiveram na SECMA com todas as documentações atualizadas, comprovando a adimplência do município, ou seja, sem qualquer restrição documental que pudesse comprometer a assinatura do convênio, cujos recursos tinham origem de emenda parlamentar. Para Andrea Murad, o episódio é retaliação escancarada do governador Flávio Dino com prefeitos que não rezam sua cartilha.

“Primeiro colocaram que estava tudo irregular, só que não tinha nada no Cadastro Estadual de Inadimplentes que pudesse impedir a Prefeitura de Lago do Junco de fazer o convênio e receber os R$ 90 mil de emenda. Só que chega o Dr. Tiago que disse claramente que essa decisão é política. Sabemos que na Secretaria de Cultura, como em várias outras, existe isso, ou seja, você manda uma emenda e só autoriza para quem é aliado ao governo, não é o caso do prefeito Osmar Fonseca. E aí o mesmo Tiago disse que o secretário é quem iria decidir e mandou pegar a lista dos municípios que iriam ser pagos. Ou seja, existe uma lista dos municípios que vão ser pagos de acordo com a vontade do governador”, denunciou Andrea Murad.

A Secretaria de Cultura ainda alegou uma pendência sobre tomada de contas, mas apenas o ex-prefeito de Lago do Junco teria sido notificado, situação que não deveria inviabilizar a cidade de conveniar com a SECMA, segundo informações dos advogados, já que a atual gestão nunca foi notificada sobre qualquer situação. Mesmo com todas as certidões, a retaliação se concretizou e mais uma vez a população é prejudicada e o São João arruinado em mais um município maranhense.

“Após as argumentações, ficou evidente que a Secretaria recebera orientações para não pagar o Município de Lago do Junco. E o mais grave de tudo foi quando Alexandre ameaçou colocar naquele momento o município no cadastro estadual de inadimplentes sem qualquer notificação que respeitasse o prazo hábil que lhes propiciasse o livre direito de defesa. O fato é que há retaliação na Secretaria de Cultura. Isso afeta os municípios, afeta a população dos municípios que perdem dinheiro, perdem rendas, perdem visitantes, enfim, perdem tudo. Nós sabemos o que está acontecendo. O São João do Maranhão está destruído, ou seja, se destruir ainda mais com o pouco que se pode dar para um município desses é demais”, disse Andrea Murad.

Falta de habilidade

dinoQuem acompanhou a sessão da última terça-feira da Assembleia Legislativa ficou com pelo menos uma convicção: não há relação saudável entre o governador Flávio Dino (PCdoB) e os deputados estaduais que compõem a sua base.

Os deputados estaduais obstruíram a Ordem do Dia e inviabilizaram a votação de pelo menos três matérias de interesse do Poder Executivo. Uma delas tramita em regime de urgência na Casa.

O motivo: a não liberação das emendas parlamentares; o não cumprimento de acordos políticos e a falta de traquejo na condução de alianças para as eleições 2016. Em alguns municípios, por exemplo, deputados estão perdendo espaços na disputa eleitoral para militantes do PCdoB. Daí a revolta.

A crise entre o Governo do Estado e a Assembleia Legislativa foi escancarada da forma mais constrangedora possível. Líderes de blocos e bancadas – que até então evitavam a exposição do desgaste -, se levantaram como num ato de rebeldia, e anunciaram a obstrução da pauta.

Um duro golpe para o governador.

O presidente da Casa, deputado Humberto Coutinho (PDT), que atuou até então como uma espécie de mediador entre Dino e os deputados insatisfeitos, deixou o Plenário logo após a Ordem do Dia.

Sutilmente, deu o seu recado ao Palácio dos Leões.

Coube ao líder do Governo na Casa, deputado Rogério Cafeteira (PSB), visivelmente constrangido, conduzir o restante da sessão.

E não conseguiu esconder a ferida aberta na relação entre os Poderes.

Ferida que pode demorar a cicatrizar.

Da coluna Estado Maior, de O Estado do Maranhão

“Governo fraco”, diz Edilázio sobre gestão comunista

edilazioO primeiro secretário da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa, deputado Edilázio Júnior (PV), classificou de fraco o governo Flávio Dino (PCdoB).

O posicionamento do parlamentar ocorreu no Legislativo, logo após a base governista reagir a Dino e obstruir a votação da Ordem do Dia.

Três projetos de interesse do Poder Executivo – um deles tramita em regime de urgência -, deixaram de ser apreciados na Casa. Os deputados reclamam do não pagamento das emendas parlamentares e do não cumprimento de acordos políticos.

“O que aconteceu aqui hoje mostra a fragilidade da base governista. O governador trata esta Casa sem o menor carinho, sem prestigiar, sem dar a atenção merecida a nós que somos representantes do povo. Tudo tem um limite, e eu acredito que está chegando ao limite a situação dos parlamentares aqui que estão enfrentando e passando por este governo comunista. E creio eu que esse momento que já vem acontecendo há duas ou três sessões. É isso que a população espera, é isso que os nossos eleitores esperam, então que essa primeira faísca de hoje se torne uma grande chama. Uma chama a partir da qual nós possamos sim ser aquilo que toda a população espera, independentes, que possamos fiscalizar o Executivo, que possamos cobrar o Executivo. Isso mostra a cada dia como está sendo o governo Flávio Dino, um governo fraco politicamente, um governo fraco popularmente”, disse.

“Flávio Dino é o pior governador da história do Maranhão”, diz João Marcelo

João Marcelo SouzaO deputado federal João Marcelo Souza (PMDB) utilizou a tribuna da Câmara na manhã de ontem, para denunciar atos de perseguições políticas por parte do governador do Maranhão Flávio Dino (PCdoB).

Em seu discurso, João Marcelo citou detalhes de casos ocorridos com o pré-candidato à Prefeitura de Turilândia, Domingos Curió; e com o também pré-candidato à Prefeitura de Santa Inês, delegado Valter Costa. Esse último teria sido transferido de cidade, a mando do governador.

“Temos hoje o pior governador do Maranhão, conhecido como perseguidor do povo e da classe política. Ele não atende a classe política, nem de situação e nem de oposição. Mas agora ele extrapolou com a perseguição de pré-candidatos dos municípios de Santa Inês e Turilândia”, denunciou.

Segundo João Marcelo, Flávio Dino estaria por trás da recente prisão por motivos políticos do pré-candidato Domingos Curió (PMDB-MA), que segundo ele lidera pesquisas de intenções de votos. Ao ser preso o ex-prefeito teria sofrido agressões e teve a cabeça raspada.

“Ele está incomodando o candidato do governador Flávio Dino em Turilândia e é assim que esse governador age. Tenho vergonha do que ocorre hoje no Maranhão”, denunciou.

Base governista reage e obstrui pauta de Flávio Dino na Assembleia

plenario

Imagem meramente ilustrativa do Plenário da Assembleia

Deputados que integram a base governista e de oposição obstruíram há pouco a votação de pautas de  interesse do Poder Executivo na Assembleia Legislativa.

O ato ocorreu como uma resposta do Legislativo ao governador Flávio Dino (PCdoB), em decorrência do não pagamento das emendas parlamentares.

Dentre as pautas de interesse de Dino, havia a mensagem de autoria do Executivo, que trata da lei nº 068/2016 que dispõe sobre as diretrizes para a elaboração e execução da Lei Orçamentária 2017.

Outra matéria, em regime de prioridade, encaminhado pelo governador Flávio Dino ao Legislativo, foi o projeto de lei nº 086/2016 que dispõs sobre a designação de policiais civis aposentados para a realizçaão de tarefas por prazo certo.

Havia também na pauta o projeto de lei nº073/2016 que dispõe sobre a transferência dos saldos credores acumulados do ICMS em decorrência de operações de exportação de mercadorias.

O recado a Dino parece ter sido dado…

 

Edilázio relata decepção de eleitores de Dino no sul do estado

edilazioO primeiro secretário da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa do Maranhão, deputado Edilázio Júnior (PV), relatou hoje na tribuna da Casa, a decepção de eleitores do governador Flávio Dino (PCdoB) na região sul do estado.

Ele também fez críticas em relação à política econômica e financeira adotada pelo comunista e apontou o não cumprimento de promessas de campanha feitas por Dino em 2014.

“A base do governo falou aqui há pouco que o governador Flávio Dio ajuda todo mundo, que não persegue. Na verdade, ele não ajuda nem quem o ajudou. Passe o final de semana nos municípios da região sul do estado e o que mais ouvia era a pergunta se o governador Flávio Dino já havia tomado posse, porque ninguém sabe por lá se ele governa esse estado”, disse.

Edilázio também afirmou ter ido à Agrobalsas e disse ter constatado a queda do evento por falta de incentivos por parte do Governo do Estado.

“A feira teve uma queda de 35% nos negócios devido à falta de incentivo do Governo do Estado. Enquanto o presidente da República Michel Temer ajuda os estados dando anistia ao pagamento de dívidas públicas, Flávio Dino vai aumentando os impostos, vai tributando boa parte dos pecuaristas do nosso estado”, disse.

O deputado também recebeu grave denúncia de produtores de soja do estado, que consiste na perda de investimentos da ordem de R$ 500 mil por causa do Governo do Estado.

“Enquanto estive andando por lá um produtor me chamou a atenção para os blimps [balões infláveis flutuantes] com a marca do Governo. Eu perguntei logo se havia ocorrido que nem na Expoema 2015, quando Flávio Dino colocou propaganda e não pagou, ele me explicou o fato. ‘Não deputado. Nós, produtores, conseguimos um convênio com a ex-ministra Kátia Abreu, de R$ 500 mil’. Só que esse convênio é  firmado via Governo. Simplesmente o Governo do Estado perdeu o convênio e o dinheiro não veio. É um Governo incompetente”, completou.

Edilázio disse que irá cobrar informações da Secretaria de Estado do Planejamento e da Secretaria de Estado da Agricultura e da Indústria e Comércio, para saber se houve algum patrocínio do Estado, uma vez que havia publicidade da pasta do Planejamento no Agrobalsas. “Quero saber qual a situação. Se houve patrocínio, se foi pago, se está empenhado ou se haverá novo calote”, finalizou.

 

Flávio Dino anuncia concurso para procurador do Estado

concurso procurador1O governador Flávio Dino (PCdoB) anunciou hoje, em seu perfil, em rede social, que o Executivo lança amanhã o edital de concurso público para procurador do Estado.

Ele não deu detalhes a respeito do número de vagas. O concurso era esperado para ocorrer em 2015, mas acabou não sendo realizado.

Um regulamento do certame chegou a ser publicado em fevereiro de 2015. Porém, DIno não deu prosseguimento, naquela ocasião. A remuneração inicial da categoria era de R$ 17.785,00.

A decisão de realização de concurso público para procurador do estado atende também uma cobrança levantada pelo deputado estadual Edilázio Júnior (PV), que desde 2013 cobra do Executivo, a abertura de novas vagas para a categoria.

No início do ano passado, por exemplo, Edilázio lembrou que era necessária a criação de pelo menos 53 vagas para que a alta demanda de processos por procurador fosse reduzida.

Com o concurso público, a expectativa da Procuradoria Geral do Estado é de que haja uma reorganização estrutural. Resta saber quantas vagas serão abertas por Dino…

Mídia nacional aponta articulação de Dino para barrar CPI da UNE

antagonista

Clique na imagem para ler o texto

A mídia nacional tem chamado a atenção, em Brasília, para novo fato – negativo, diga-se de passagem -, protagonizado pelo presidente interino da Câmara Federal, deputado Waldir Maranhão (PP), e que teria a influência direta do governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB).

Trata-se do adiamento, pela terceira vez consecutiva, da instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da UNE.

Para colunistas, blogs e analistas políticos nacionais, Waldir tem provocado o adiamento da instalação da CPI para beneficiar partidos historicamente ligados ao movimento estudantil: PT e PCdoB.

Daí a suposta influência de Flávio Dino.

O Antagonista tem dois textos sobre o assunto. No primeiro: “Flávio Dino quer barrar a CPI da UNE. O texto diz que Dino anda rondando Brasília para convencer Waldir Maranhão a não instalar o colegiado.

No segundo texto, o título é um alerta à população: Alô maranhenses!

A coluna escreve o seguinte:

– Sobre a articulação de Flávio Dino para tentar barrar a CPI da UNE, O Antagonista tem uma pergunta a fazer: Ele ainda governa o Maranhão?

Murilo Ramos, da Revista Época, também fala da atuação de Dino contra a CPI e mostra que o PCdoB, partido do governador do Maranhão, comanda a UNE há duas décadas.

E o governador Flávio Dino, o que diz a respeito?

Policiais civis desabafam contra o governador Flávio Dino

2016-06-24-PHOTO-00000193Policiais civis que até o início da semana estavam em greve e que foram obrigados pela Justiça a suspender o movimento, se manifestaram nas redes sociais contra a política salarial aplicada pelo governador Flávio Dino (PCdoB) ao servidor público.

O desabafo da categoria foi feito por meio do perfil, no Facebook, da Polícia Civil do Maranhão, que é administrada por policiais.

Os policiais lembraram que para os delegados de polícia, Flávio Dino assegurou reajuste salarial de 40%, mas para investigadores e escrivães, o reajuste foi de apenas 5%.

“Ou seja, para o governador vale, no funcionalismo público,a lógica dos ricos cada vez mais ricos e dos pobres cada vez mais pobres. Vergonha!!”, afirma a página.

Com a palavra, o governador Flávio Dino…